Gostou do artigo? Compartilhe!

Coração do lado direito do peito? É a dextrocardia!

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é dextrocardia?

A dextrocardia (latim: dexter = direita + grego: kardia = coração1) é uma condição congênita2 rara na qual o ápice do coração1 está voltado e localizado no lado direito do corpo, em vez do lado esquerdo. Menos de 1% da população geral nasce com dextrocardia. Se a pessoa tiver dextrocardia isolada, o coração1 estará intacto, mas localizado no lado direito do peito3 e não haverá outros defeitos. Contudo, a dextrocardia pode também implicar em outros defeitos cardíacos ou em outros órgãos relacionados à anatomia.

Quais são as causas da dextrocardia?

A causa da dextrocardia não é inteiramente conhecida. Os pesquisadores sabem que isso ocorre durante o desenvolvimento fetal e as pessoas nascem com essa anormalidade. Às vezes, o coração1 se desenvolve do lado errado porque existem problemas anatômicos com outros órgãos. Defeitos nos pulmões4, no abdômen ou no peito3 podem fazer com que o coração1 se desenvolva do lado direito do corpo.

Qual é o mecanismo fisiológico5 da dextrocardia?

A dextrocardia também pode ocorrer em uma condição chamada situs inversus, na qual muitos ou todos os órgãos viscerais estão no lado espelhado do corpo. Por exemplo, além do coração1, fígado6, baço7 e outros órgãos também podem estar localizados no lado oposto ao normal.

Saiba mais sobre "Situs inversus", "Cardiopatias congênitas8", "Tetralogia de Fallot" e "Sopros cardíacos".

Quais são as principais características clínicas da dextrocardia?

Em outras formas de inversão de órgãos, que não a dextrocardia isolada, pode haver defeitos nas câmaras ou válvulas do coração1. A dextrocardia isolada geralmente não causa sintomas9 e a condição só se torna conhecida quando uma radiografia ou uma ressonância magnética10 do tórax11 mostra a localização anômala do coração1.

No entanto, algumas pessoas com dextrocardia isolada têm um risco aumentado de infecções12 pulmonares, infecções12 sinusais ou pneumonia13. Com a dextrocardia isolada, os cílios14 nos pulmões4 (pelos muito finos que filtram o ar respirado) podem não funcionar adequadamente e serem incapazes de filtrar todos os vírus15 e germes, assim a pessoa pode ficar doente com mais frequência.

A dextrocardia que afeta a função cardíaca pode causar vários sintomas9: dificuldades respiratórias, lábios e pele16 cianóticos17 (arroxeados) e fadiga18. As crianças com dextrocardia podem não se desenvolver corretamente e, portanto, podem precisar de cirurgia cardíaca para corrigir esse e outros defeitos anatômicos. As anormalidades que afetam o fígado6 podem causar icterícia19.

Um bebê com dextrocardia também pode ter orifícios no septo do coração1 que divide as câmaras cardíacas esquerda e direita, o que pode causar problemas na maneira como o sangue20 flui para dentro e para fora do coração1. Isso resultará em um sopro no coração1 que pode ser ouvido com um estetoscópio.

Bebês21 que nasceram com dextrocardia também podem ter nascido sem o baço7, que é um órgão importante do sistema imunológico22 e, assim, isso pode aumentar o risco deles desenvolverem infecções12. A dextrocardia pode também estar associada a bloqueios no sistema digestivo23, porque a dextrocardia quase sempre ocorre juntamente com uma condição chamada de má rotação intestinal.

Como o médico diagnostica a dextrocardia?

Um simples exame de imagem é suficiente para demonstrar a dextrocardia. Outros exames podem ser necessários para diagnosticar outros eventuais defeitos no coração1 ou em outros órgãos.

Como o médico trata a dextrocardia?

Uma dextrocardia isolada não requer tratamento, a não ser que esteja impedindo que outros órgãos vitais funcionem adequadamente. Se houver defeitos septais, a cirurgia pode ser necessária para repará-los. Certos antibióticos podem ser necessários a longo prazo para reduzir o risco de infecção24, inclusive se não houver um baço7 ou caso ele não funcione corretamente. A obstrução intestinal, se não for tratada, pode ser perigosa e até mesmo fatal. Para corrigir qualquer obstrução, o paciente pode precisar também de cirurgia.

Como evolui a dextrocardia?

As pessoas com dextrocardia isolada vivem uma vida normal. Um médico pode ajudar com orientações sobre como evitar infecções12. Alguns pacientes podem ter um caso mais complicado de dextrocardia e poderão enfrentar problemas de saúde25 por toda a vida.

Leia sobre "Cianose26", "Obstrução intestinal", "Ecocardiograma27" e "Sete passos para um coração1 saudável".

 

ABCMED, 2018. Coração do lado direito do peito? É a dextrocardia!. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1325568/coracao-do-lado-direito-do-peito-e-a-dextrocardia.htm>. Acesso em: 18 set. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
2 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
3 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
4 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
5 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
6 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
7 Baço:
8 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
11 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
12 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
13 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
14 Cílios: Populações de processos móveis e delgados que são encontrados revestindo a superfície dos ciliados (CILIÓFOROS) ou a superfície livre das células e que constroem o EPITÉLIO ciliado. Cada cílio nasce de um grânulo básico na camada superficial do CITOPLASMA. O movimento dos cílios propele os ciliados através do líquido no qual vivem. O movimento dos cílios em um epitélio ciliado serve para propelir uma camada superficial de muco ou fluido.
15 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
16 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
17 Cianóticos: Relativo à cianose, ou seja, à coloração azul violácea da pele e das mucosas devida à oxigenação insuficiente do sangue e ligada a várias causas (distúrbio de hematose, insuficiência cardíaca etc.).
18 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
19 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
20 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
21 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
22 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
23 Sistema digestivo: O sistema digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
24 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
25 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
26 Cianose: Coloração azulada da pele e mucosas. Pode significar uma falta de oxigenação nos tecidos.
27 Ecocardiograma: Método diagnóstico não invasivo que permite visualizar a morfologia e o funcionamento cardíaco, através da emissão e captação de ultra-sons.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cardiologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.