Gostou do artigo? Compartilhe!

Sangue no esperma - o que pode ser?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Sangue1 no esperma2?

A presença de sangue1 no esperma2 (hematospermia) é um problema que, em geral, causa muitas preocupações ao homem, podendo ocorrer tanto em níveis microscópicos3 quanto em maiores quantidades. O sangue1 no esperma2 deve ser examinado e sua causa subjacente deve ser investigada. Na maioria das vezes, não indica um problema de saúde4 necessariamente grave.

A hematospermia é dita primária quando o sangue1 no sêmen5 é o único sintoma6 e dita secundária quando há uma causa suspeitada ou conhecida de sangramento.

Quais são as causas do sangue1 no esperma2?

O sangue1 no esperma2 é causado por uma inflamação7 das vesículas seminais8. Esta inflamação7 pode acontecer devido a inúmeras razões, sendo a principal delas alguma doença sexualmente transmissível. Mas a presença de sangue1 no sêmen5 também pode ser resultado tanto de um bloqueio, quanto de uma infecção9, lesão10 ou trauma. Frequentemente, o esperma2 com sangue1 indica também a presença de algum problema na próstata11, na uretra12, nos testículos13 ou no epidídimo14.

As principais possíveis causas para a presença de sangue1 no sêmen5 são: malformações15 congênitas16 e vasculares17, distúrbios hemorrágicos18, doenças sexualmente transmissíveis, prostatite19, infecção9 urinária, cálculo20 urinário, cálculo20 prostático, tumores e doenças sistêmicas com risco elevado de sangramento.

Além disso, o sangue1 no esperma2 também pode ocorrer como um efeito de exames ou tratamentos médicos e do uso de certos medicamentos, biópsia21 da próstata11 e uso de anticoagulantes22.

Saiba mais sobre "Doenças sexualmente transmissíveis", "Prostatite19", "Infecção9 urinária", "Cálculo20 renal23" e "Câncer24 de prostata11".

Quais são as principais características clínicas do sangue1 no esperma2?

O sangue1 pode estar presente no esperma2 sob uma forma microscópica, invisível a olho25 nu, ou de forma macroscópica, visível. O paciente deve ficar atento ao surgimento de outros sintomas26 concomitantes como febre27, calafrios28, perda de peso, dor nos ossos, dor ao urinar, dor ao ejacular, sangue1 na urina29, inchaço30 do escroto31, dor na região lombar32 e sensibilidade no escroto31. Esses sintomas26 podem sugerir ao médico possíveis doenças subjacentes.

Como o médico diagnostica a causa do sangue1 no esperma2?

Por mais que não signifique nenhum problema de saúde4 mais grave, o sangue1 no esperma2 é um sintoma6 um tanto quanto assustador para o homem. O ideal é sempre consultar um urologista33 para que a causa seja identificada e devidamente tratada.

O médico procurará, em primeiro lugar, fazer um exame físico e exames de sangue1 que ajudem a determinar se o paciente tem ou não alguma doença sexualmente transmissível (DST). Uma análise de urina29 pode ajudar a detectar infecções34 bacterianas ou outras anormalidades na urina29. O exame do PSA (prostate-specific antigen), que testa os antígenos35 criados pela próstata11, avalia a saúde4 daquele órgão.

Exames de rastreamento, como ultrassonografias, tomografias computadorizadas, ressonâncias magnéticas e ultrassonografia36 transretal podem ajudar a localizar eventuais obstruções ou outras causas.

Leia sobre "Sangue1 na urina29", "Antígeno37 Prostático Específico ou PSA", "Espermograma", "Polução noturna" e "Ejaculação38".

Como o médico trata o sangue1 no esperma2?

Raramente é necessário tratar a presença de sangue1 no esperma2, porque normalmente ele acaba desaparecendo com o tempo. Na maioria dos casos, se o sangue1 no sêmen5 não estiver associado a qualquer anormalidade conhecida, nenhum tratamento precisa ser dispendido.

Mesmo assim, pacientes com hematospermia devem ser examinados por um urologista33 para identificar a causa da desordem e seu possível tratamento. Se uma causa for encontrada, o tratamento do sangue1 no sêmen5 deve ser direcionado para essa causa.

Como evolui o sangue1 no esperma2?

O prognóstico39 do sangue1 no esperma2 depende da causa subjacente, se ela puder ser identificada. No entanto, a maioria dos casos de hematospermia é benigna, resolve sem tratamento e não está relacionada ao câncer24 ou a outras causas graves, especialmente em homens mais jovens.

Veja também sobre "Perigos do sexo oral", "Vasectomia - perguntas e respostas" e "Vasectomia - o pós-procedimento".

 

ABCMED, 2019. Sangue no esperma - o que pode ser?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-do-homem/1334788/sangue+no+esperma+o+que+pode+ser.htm>. Acesso em: 21 mar. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
2 Esperma: Esperma ou sêmen. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O esperma é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
3 Microscópicos: 1. Relativo à microscopia ou a microscópio. 2. Que se realiza com o auxílio do microscópio. 3. Visível somente por meio do microscópio. 4. Muito pequeno, minúsculo.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Sêmen: Sêmen ou esperma. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O sêmen é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
6 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
8 Vesículas seminais: Divertículos glandulares em forma de bolsa encontrados em cada ducto deferente em machos vertebrados. Une-se com o ducto ejaculatório e serve como depósito temporário de sêmem.
9 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
10 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
11 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
12 Uretra: É um órgão túbulo-muscular que serve para eliminação da urina.
13 Testículos: Os testículos são as gônadas sexuais masculinas que produzem as células de fecundação ou espermatozóides. Nos mamíferos ocorrem aos pares e são protegidos fora do corpo por uma bolsa chamada escroto. Têm função de glândula produzindo hormônios masculinos.
14 Epidídimo: O epidídimo é um pequeno ducto, com cerca de seis centímetros de comprimento, enrolado sobre si mesmo, que coleta e armazena os espermatozóides produzidos pelo testículo. Localiza-se atrás do testículo, no saco escrotal, e desemboca na base do ducto deferente, o canal que conduz os espermatozóides até a próstata.
15 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
16 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
17 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
18 Hemorrágicos: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
19 Prostatite: Quadro de inflamação da próstata.
20 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
21 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
22 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
23 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
24 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
25 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
26 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
27 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
28 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
29 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
30 Inchaço: Inchação, edema.
31 Escroto:
32 Região Lombar:
33 Urologista: Médico especializado em tratar pessoas com problemas no trato urinário e homens com problemas nos órgãos genitais, como impotência.
34 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
35 Antígenos: 1. Partículas ou moléculas capazes de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substâncias que, introduzidas no organismo, provocam a formação de anticorpo.
36 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
37 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
38 Ejaculação: 1. Ato de ejacular. Expulsão vigorosa; forte derramamento (de líquido); jato. 2. Em fisiologia, emissão de esperma pela uretra no momento do orgasmo. 3. Por extensão de sentido, qualquer emissão. 4. No sentido figurado, fartura de palavras; arrazoado.
39 Prognóstico: 1. Juízo médico, baseado no diagnóstico e nas possibilidades terapêuticas, em relação à duração, à evolução e ao termo de uma doença. Em medicina, predição do curso ou do resultado provável de uma doença; prognose. 2. Predição, presságio, profecia relativos a qualquer assunto. 3. Relativo a prognose. 4. Que traça o provável desenvolvimento futuro ou o resultado de um processo. 5. Que pode indicar acontecimentos futuros (diz-se de sinal, sintoma, indício, etc.). 6. No uso pejorativo, pernóstico, doutoral, professoral; prognóstico.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.