Gostou do artigo? Compartilhe!

Implante e explante mamários

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são implante1 e explante mamários?

Implante1 mamário é uma cirurgia realizada para colocar uma prótese2 mamária, usada para alterar o tamanho, forma e contorno das mamas3 humanas. O explante mamário é uma cirurgia feita para remoção da prótese2 anteriormente colocada.

A prótese2 mamária moderna, o conhecido silicone, foi inventada em 1961 pelos cirurgiões plásticos americanos Thomas Cronin e Frank Gerow, e a primeira mamoplastia4 foi realizada em 1962.

Quais são as razões do implante1 e do explante mamário?

Implante1

A aplicação de implantes mamários é um procedimento frequentemente procurado pelas mulheres por razões estéticas, seja porque a mama5 não tenha se desenvolvido de modo suficiente, seja porque teve alterações após gravidez6 e amamentação7, ou por causa do envelhecimento da glândula8 mamária. Eles também são usados ​​cosmeticamente para melhorar ou aumentar a aparência da mama5 através da cirurgia de mamoplastia4 de aumento.

Na cirurgia plástica reconstrutiva após acidentes, pós-mastectomia9 terapêutica10 ou preventiva, ou para corrigir defeitos congênitos11 e deformidades da parede torácica12, os implantes de mama5 podem ser realizados para restaurar a aparência natural das mamas3.

Explante

Um dos principais motivos para que uma pessoa faça um explante mamário nos dias de hoje está relacionado com a saúde13 e a rejeição da prótese2 de silicone. Por exemplo, o explante pode ocorrer pela formação de células14 anaplásicas (mudanças na forma normal das células14) na cápsula do implante1, por retração da cápsula que deforme a mama5, por ruptura da prótese2 ou por alguma doença sistêmica atribuível ao silicone, embora não se tenha demonstrado decididamente nenhum efeito negativo dele.

Por razões estéticas, o explante pode ser feito quando se deseja diminuir o tamanho das mamas3, sobretudo devido à desproporção ocasionada pelo envelhecimento.

Leia sobre "Rippling da mama5", "Prótese2 de silicone", "Mamotomia", "Cicatrizes15" e "Queloides".

Como é realizado o implante1 e o explante mamário?

Implante1

Há vários tipos de implante1 e antes da cirurgia a paciente deverá escolher um deles, em combinação com o cirurgião. Quanto à forma, existem atualmente três tipos de implantes mamários que podem ser usados de acordo com as escolhas estabelecidas:

  • Redondo, que é o tipo mais buscado pelas pacientes e que proporciona uma aparência mais volumosa ao colo16 da mama5 (região mais próxima ao pescoço17).
  • Cônico, que proporciona maior projeção na região dos mamilos18.
  • Formato de gota19 ou anatômico, que foi propositalmente criado com o intuito de promover um efeito mais natural às mamas3 da mulher. É muito utilizado nos casos de reconstrução mamária após a mastectomia9.

A cirurgia para colocação de um implante1 mamário é feita por meio de um pequeno corte nos dois seios20 em torno da aréola, na parte inferior da mama5 ou mesmo na axila, por onde é introduzido o implante1. As incisões21 podem variar com o tipo de implante1, o volume desejado e as particularidades anatômicas, mas a paciente poderá discutir com o cirurgião as opções mais adequadas para o resultado desejado.

Após ser feita a incisão22, deve ser determinado o local onde a prótese2 mamária será inserida: se sob o músculo peitoral ou diretamente atrás do tecido23 mamário, sobre o músculo peitoral. Embora sobre isso a paciente possa opinar, as recomendações do cirurgião são de grande relevância, porque o problema também envolve questões técnicas.

As incisões21 podem ser fechadas com suturas24, colas ou adesivos, visando sempre que as cicatrizes15 sejam o mais discretas possível.

Explante

A cirurgia de explante mamário é a retirada definitiva da prótese2 anteriormente implantada na mama5. Ela pode se dar seja por insatisfação estética ou desconforto funcional. Durante a cirurgia, a cicatriz25 da operação anterior de implante1 pode ser aproveitada para a retirada da prótese2 mamária, sem a criação de uma nova cicatriz25.

Normalmente, a cirurgia de explante mamário é associada à cirurgia de mastopexia, que é o procedimento de reverter a queda natural das mamas3, decorrente da retirada do implante1 e da perda de volume ao longo do tempo, tornando-as mais firmes e simétricas.

A cirurgia de explante é feita sob anestesia26 geral e dura cerca de 3 horas. Normalmente, a paciente pode deixar o hospital no mesmo dia da cirurgia.

E depois da cirurgia de implante1 ou de explante mamário?

Implante1

O tempo de recuperação da cirurgia de implante1 de silicone para as atividades cotidianas normais (principalmente com os braços) é de cerca de 10 dias. A cicatriz25 cirúrgica do implante1 mamário se estabiliza em aproximadamente 6 semanas e esmaece muito ao fim de alguns meses.

Quando o implante1 é realizado abaixo do músculo, a recuperação é um pouco mais lenta e ligeiramente mais dolorida, devido às incisões21 que têm que ser feitas nos músculos do tórax27. A mulher não deve envolver-se em atividades extenuantes por aproximadamente 6 semanas. Ela deve também evitar esforços nos 7 primeiros dias, mas fazer exercícios moderados com seus braços para aliviar a dor e o desconforto porventura existentes.

Durante 30 dias não deve fazer movimentos bruscos com os braços, pegar peso, deitar-se de lado ou de bruços e não levantar demasiadamente os braços. As atividades físicas devem ser suspensas por no mínimo 15 dias. Analgésicos28 podem ser utilizados para aliviar a dor, se forem necessários.

Explante

A cirurgia de explante de silicone leva à flacidez dos seios20, principalmente em próteses muito volumosas. Isso acontece porque o tecido23 cutâneo29 estava esticado e firme com a prótese2. Com a retirada é comum ficar uma sobra de pele30 e as mamas3 ficarem mais caídas e flácidas. Um procedimento de mastopexia (para levantar as mamas3 flácidas) pode ser feito ao mesmo tempo que a cirurgia de explante.

No caso de explantes mamários, as atividades físicas leves, como caminhadas, só devem ser reiniciadas após 2 semanas, evoluindo gradativamente. Entretanto, a prática de atividades mais pesadas, que exijam movimentos dos peitorais e braços, bem como esportes de contato, só devem ser reiniciados após 2 a 3 meses de cirurgia.

É aconselhado o uso de sutiã cirúrgico pelo período de dois meses. Os pontos costumam ser retirados entre 10 a 14 dias e os curativos devem ser impermeáveis para poderem ser molhados no banho. A exposição direta ao sol deve ser evitada pelo período de um mês.

Veja mais sobre "Mamoplastia4", "Abdominoplastia31 ou plástica na barriga" e "Mastopexia".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da SBCP - Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da American Society of Plastic Surgeons.

ABCMED, 2022. Implante e explante mamários. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1426710/implante+e+explante+mamarios.htm>. Acesso em: 29 jan. 2023.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Implante: 1. Em cirurgia e odontologia é o material retirado do próprio indivíduo, de outrem ou artificialmente elaborado que é inserido ou enxertado em uma estrutura orgânica, de modo a fazer parte integrante dela. 2. Na medicina, é qualquer material natural ou artificial inserido ou enxertado no organismo. 3. Em patologia, é uma célula ou fragmento de tecido, especialmente de tumores, que migra para outro local do organismo, com subsequente crescimento.
2 Prótese: Elemento artificial implantado para substituir a função de um órgão alterado. Existem próteses de quadril, de rótula, próteses dentárias, etc.
3 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
4 Mamoplastia: Cirurgia estética no seio; mastoplastia.
5 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
6 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
7 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
8 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
9 Mastectomia: Cirurgia através da qual extirpa-se parte ou a totalidade da mama. Pode estar indicada como tratamento do câncer de mama.
10 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
11 Defeitos congênitos: Problemas ou condições que estão presentes ao nascimento.
12 Parede torácica: A parede torácica abrange a caixa torácica óssea, os músculos da caixa torácica e o diafragma. Ela abriga órgãos como o coração, pulmões e á atravessada pelo esôfago no seu trajeto em direção ao abdome.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
14 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
15 Cicatrizes: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
16 Colo: O segmento do INTESTINO GROSSO entre o CECO e o RETO. Inclui o COLO ASCENDENTE; o COLO TRANSVERSO; o COLO DESCENDENTE e o COLO SIGMÓIDE.
17 Pescoço:
18 Mamilos: Órgãos cônicos os quais usualmente fornecem passagem ao leite proveniente das glândulas mamárias.
19 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
20 Seios: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
21 Incisões: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
22 Incisão: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
23 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
24 Suturas: 1. Ato ou efeito de suturar. 2. Costura que une ou junta partes de um objeto. 3. Na anatomia geral, é um tipo de articulação fibrosa, em que os ossos são mantidos juntos por várias camadas de tecido conjuntivo denso; comissura (ocorre apenas entre os ossos do crânio). 4. Na anatomia botânica, é uma linha de espessura variável que se forma na região de fusão dos bordos de um carpelo (ou de dois ou mais carpelos concrescentes). 5. Em cirurgia, ato ou efeito de unir os bordos de um corte, uma ferida, uma incisão, com agulha e linha especial, para promover a cicatrização. 6. Na morfologia zoológica, nos insetos, qualquer sulco externo semelhante a uma linha.
25 Cicatriz: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
26 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
27 Músculos do tórax:
28 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
29 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
30 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
31 Abdominoplastia: Cirurgia plástica ou estética que remodela o abdome, retirando o excesso de tecido (pele e gordura) que se acumula abaixo do umbigo e ajustando a musculatura abdominal frouxa.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cirurgia Plástica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.