Gostou do artigo? Compartilhe!

Mamoplastia: o que é? Quando está indicada? Qual o preparo necessário e os cuidados pós-operatórios? Quais os riscos e complicações?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é mamoplastia1?

Mamoplastia1 é a cirurgia plástica das mamas2 humanas que visa alterar o volume ou a forma delas, aumentando-as por meio da aplicação de silicone ou diminuindo-as por meio da retirada de tecido3 mamário. Conforme as indicações do cirurgião plástico, em acordo com o paciente, os implantes para aumento do volume podem ser colocados em diversos locais das mamas2: periareolar, sulco inframamário, vertical, transareolopapilar, etc. A mamoplastia1 redutora consiste na diminuição cirúrgica do volume e peso das mamas2, diminuindo ou ajudando a reduzir a dor nas costas4 e o peso nos ombros.

Quando está indicado fazer uma mamoplastia1?

Geralmente indica-se a mamoplastia1 quando a mulher encontra-se incomodada com o volume de suas mamas2 ou quando elas estejam ocasionando algum tipo de sinal5 ou sintoma6 patológico. A mamoplastia1 também pode consistir na reconstrução das mamas2 mutiladas por acidentes ou cirurgias de remoção de tumores. Uma flacidez excessiva e incômoda, por exemplo, pode surgir devido ao envelhecimento, à gravidez7, à amamentação8, a oscilações de peso ou à hereditariedade9. O tamanho excessivo das mamas2, por seu turno, pode gerar desconforto físico e sintomas10 como dores nos ombros, nas costas4, na coluna e alterações de postura. Por outro lado, mamas2 muito pequenas podem causar grande insatisfação e baixar a autoestima da mulher, que pode se beneficiar muito de uma mamoplastia1 que dê mais volume aos seios11.

Qual o preparo necessário para fazer uma mamoplastia1?

O preparo mais importante para a mamoplastia1 é esclarecer-se bem com o cirurgião plástico sobre em que consiste a cirurgia, que resultados esperar e quais as possíveis complicações e riscos. A nova mama12 projetada deve estar em harmonia com a compleição física geral da mulher. Isto é, deve guardar proporcionalidade com o seu corpo. Uma vez feito isso, a paciente deve realizar os exames pré-operatórios de praxe: exame de sangue13, eletrocardiograma14, radiografia de tórax15. Uma detalhada análise da mama12 com ultrassonografia16 e mamografia17 já deverá ter sido feita.

Como se realiza o procedimento?

A paciente deve estar internada em um hospital. O procedimento será realizado num centro cirúrgico e a paciente receberá anestesia18 local, geral, peridural19 ou associada, conforme o caso, a critério da equipe cirúrgica.

Existem diversas técnicas cirúrgicas, as quais devem ser adaptadas pelo cirurgião plástico a cada caso concreto. A cirurgia, em si, dura de duas a quatro horas, dependendo do tipo de mama12 e da intervenção a ser realizada, no entanto, a permanência da paciente no centro cirúrgico pode ser um pouco maior porque envolve também o período de preparação e recuperação anestésicas. Depois da cirurgia são aplicados curativos elásticos e modelantes, os quais devem ser trocados periodicamente, de acordo com a orientação médica. O tempo de internação é curto, em torno de 24 horas.

Como é o pós-operatório da mamoplastia1?

Depois da mamoplastia1, são necessários os cuidados gerais que devem ser observados em qualquer cirurgia: prevenção medicamentosa de dores (analgésicos20) e infecções21 (antibióticos, se necessários); não tracionar a região operada; deambular22 o mais rapidamente possível; cuidar bem dos curativos, etc.

Os cuidados específicos com a cirurgia das mamas2 são:

  • No primeiro mês pós-cirurgia, não movimentar os braços acima dos ombros.
  • Usar sutiã de sustentação, ou sutiã cirúrgico, durante um mês.
  • Não dormir de lado por 30 dias ou de bruços por 90 dias.
  • Evitar tomar sol nas mamas2 ou fazer exercícios que as sacudam, por 90 dias.
  • Trocar regularmente os curativos durante trinta a sessenta dias.
  • Não carregar pesos, praticar exercícios físicos ou dirigir por trinta dias.
  • Retirar os pontos no período indicado pelo cirurgião plástico (às vezes são usados pontos absorvíveis, que não precisam ser retirados).
  • Os hidratantes podem ser passados ao redor das mamas2, mas não sobre o corte cirúrgico.
  • A mulher operada não deve ficar sem sutiã durante os três meses seguintes à cirurgia e depois deve diminuir esse tempo em quatro horas no máximo.

As cicatrizes23 cirúrgicas passarão por diversos estágios de evolução e, não havendo complicações, ficarão cada vez mais inaparentes, atingindo seu estágio definitivo ao final de um ano após o procedimento. No entanto, elas são facilmente encobertas por sutiãs ou biquínis. As mamas2 operadas também passam por fases evolutivas e somente depois de doze a dezoito meses assumem sua forma definitiva.

Pacientes com mamas2 muito grandes, que tenham sido reduzidas, podem apresentar dificuldades de amamentar; se as reduções forem médias ou pequenas, é possível que não haja problemas.

Quais são os possíveis riscos e complicações da mamoplastia1?

A mamoplastia1 tem o mesmo pequeno risco inerente a toda anestesia18 e cirurgia.

A mamoplastia1, mesmo sendo realizada corretamente e pela técnica adequada, pode deixar cicatrizes23 inestéticas, hipertróficas ou queloidais24. Vários recursos clínicos e cirúrgicos, no entanto, executados na época adequada, permitem melhorar tais cicatrizes23.

Como evolui a mamoplastia1?

Pode levar um tempo relativamente longo até que as mamas2 atinjam seu ponto ideal. A evolução de uma das mamas2 pode ser diferente da outra e durante algum tempo elas podem ficar desiguais, o que normalmente se corrige com o tempo.

Mesmo as mamas2 corretamente operadas sofrerão a ação do tempo e se modificarão correspondentemente ao envelhecimento do organismo.

Procure manter seu peso corporal sem grandes alterações, porque engordar e emagrecer pode fazer a mama12 ceder muito.

A pele25 da mama12 operada pode ficar dormente por algum tempo, mas a sensibilidade volta ao normal com o passar dos meses.

ABCMED, 2013. Mamoplastia: o que é? Quando está indicada? Qual o preparo necessário e os cuidados pós-operatórios? Quais os riscos e complicações?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-mulher/369684/mamoplastia-o-que-e-quando-esta-indicada-qual-o-preparo-necessario-e-os-cuidados-pos-operatorios-quais-os-riscos-e-complicacoes.htm>. Acesso em: 18 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Mamoplastia: Cirurgia estética no seio; mastoplastia.
2 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
3 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
4 Costas:
5 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
6 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
8 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
9 Hereditariedade: Conjunto de eventos biológicos responsáveis pela transmissão de uma herança a seus descendentes através de seus genes. Existem dois tipos de hereditariedade: especifica e individual. A hereditariedade especifica é responsavel pela transmissão de agentes genéticos que determinam a herança de características comuns a uma determinada espécie. A hereditariedade individual designa o conjunto de agentes genéticos que atuam sobre os traços e características próprios do indivíduo que o tornam um ser diferente de todos os outros.
10 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
11 Seios: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
12 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
13 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
14 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
15 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
16 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
17 Mamografia: Estudo radiológico que utiliza uma técnica especial para avaliar o tecido mamário. Permite diagnosticar tumores benignos e malignos em fase inicial na mama. É um exame que deve ser realizado por mulheres, como prevenção ao câncer.
18 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
19 Peridural: Mesmo que epidural. Localizado entre a dura-máter e a vértebra (diz-se do espaço do canal raquidiano). Na anatomia geral e na anestesiologia, é o que se localiza ou que se faz em torno da dura-máter.
20 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
21 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
22 Deambular: Andar à toa; vaguear, passear.
23 Cicatrizes: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
24 Queloidais: Referente a queloide. O queloide é uma hiperplasia fibrosa, elevada, arredondada, consistente e com bordos mal definidos, que ocorre na derme, geralmente após lesão traumática ou queimadura.
25 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia e Obstetrícia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

05/08/2013 - Comentário feito por debora
Re: Mamoplastia: o que é? Quando está indicada? Qual o preparo necessário e os cuidados pós-operatórios? Quais os riscos e complicações?
tenho muita vontade de fazer uma mamoplastia porque não estou satisfeita com o volume das minhas mamas, mais tenho muito medo de cirurgia.

  • Entrar
  • Assinar