AbcMed  -  Exames e Procedimentos
A elastografia usa ondas emitidas pelo ultrassom e funciona realizando a medição da velocidade de propagação destas ondas nos tecidos. Como os nódulos e outras alterações possuem tecidos mais rígidos, a velocidade de propagação das ondas sonoras neles é menor que no tecido1 normal, o que possibilita identificá-los.
1 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
   [Mais...]

ECMO é a sigla em inglês para ExtraCorporeal Membrane Oxygenation (oxigenação por membrana extracorporal), e se refere a uma técnica de suporte de vida extracorporal em doentes com falência cardiovascular ou pulmonar. Basicamente, a técnica consiste em bombear o sangue1 do corpo do paciente para uma máquina fora do corpo que procura substituir as funções do coração2 e dos pulmões3 da própria pessoa.
1 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
2 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
3 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
   [Mais...]

Vias de administração de medicamentos referem-se à aplicação e transporte de um fármaco1 desde o exterior do corpo até o local de ação da droga. A via de administração de um fármaco1 é determinada, entre outras coisas, pelas propriedades do fármaco1, pelos objetivos terapêuticos em vista e pelas necessidades e/ou condições clínicas do paciente.
1 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
   [Mais...]

A cirurgia transesfenoidal é um tipo de cirurgia na qual um endoscópio e/ou outros instrumentos cirúrgicos são inseridos na base do cérebro1 através do nariz2 e do osso esfenoide3 na cavidade do seio esfenoidal4. Ela tem sido utilizada principalmente para permitir acesso à sela túrcica5 e sua proximidade é usada para remover tumores da hipófise6.
1 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
2 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
3 Osso Esfenóide:
4 Seio Esfenoidal: Um dos seios paranasais pareados, localizado no corpo do osso esfenóide e comunica-se com o meato superior da cavidade nasal do respectivo lado.
5 Sela túrcica: Proeminência óssea, situada na superfície superior do corpo do osso esfenóide, que abriga a GLÂNDULA HIPÓFISE. Síndrome da Sela Vazia;
6 Hipófise:
   [Mais...]

A videoendoscopia por cápsula (endoscopia1 sem fio) é um procedimento não invasivo em que uma cápsula computadorizada deve ser engolida por uma pessoa para ser utilizada na visualização do interior do intestino, desde o esôfago2 até o ânus3, com especial indicação para o intestino delgado4, região que é inacessível ou mais dificilmente acessível pela endoscopia1 alta e pela colonoscopia5.
1 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
2 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
3 Ânus: Segmento terminal do INTESTINO GROSSO, começando na ampola do RETO e terminando no ânus.
4 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
5 Colonoscopia: Estudo endoscópico do intestino grosso, no qual o colonoscópio é introduzido pelo ânus. A colonoscopia permite o estudo de todo o intestino grosso e porção distal do intestino delgado. É um exame realizado na investigação de sangramentos retais, pesquisa de diarreias, alterações do hábito intestinal, dores abdominais e na detecção e remoção de neoplasias.
   [Mais...]

A enteroscopia assistida por balão, ou enteroscopia "profunda” (deep enteroscopy), é uma técnica endoscópica que permite acesso ao intestino delgado1, porção do tubo digestivo inacessível à endoscopia2 digestiva alta e à colonoscopia3.
1 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
2 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
3 Colonoscopia: Estudo endoscópico do intestino grosso, no qual o colonoscópio é introduzido pelo ânus. A colonoscopia permite o estudo de todo o intestino grosso e porção distal do intestino delgado. É um exame realizado na investigação de sangramentos retais, pesquisa de diarreias, alterações do hábito intestinal, dores abdominais e na detecção e remoção de neoplasias.
   [Mais...]

A oximetria é o procedimento que mede a quantidade de oxigênio que está sendo transportado pelo sangue1 (saturação). Essa medida é feita por meio de um aparelho simples, denominado oxímetro. Embora o resultado fornecido nem sempre seja exatamente idêntico à leitura da saturação de oxigênio arterial (gasometria de sangue1 arterial), os dois estão bem correlacionados e a leitura por meio de oxímetros é bastante confiável.
1 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
   [Mais...]

O transplante de fezes é um procedimento que visa repor a flora intestinal normal a partir das fezes de um doador sadio. Algumas vezes também chamado de terapia bacteriana, o transplante de fezes é um tipo de tratamento médico experimental, embora já realizado algumas vezes nas últimas décadas a fim de tratar infecções1 intestinais causadas por bactérias resistentes.
1 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
   [Mais...]

A circulação1 venosa é vital para o organismo e é fonte de problemas de saúde2 incapacitantes ou mesmo fatais. Ela começa onde termina a circulação1 arterial. Microcapilares arteriais deixam o sangue3 carregado de oxigênio nos tecidos periféricos, onde ele é consumido, e microcapilares venosos recolhem o sangue3 carregado de gás carbônico.
1 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
   [Mais...]

O plasma1 convalescente de pessoas que tiveram COVID-19 e se recuperaram da infecção2 tem sido utilizado como um potencial tratamento de pessoas atualmente hospitalizadas com COVID-19. Pessoas que se recuperaram totalmente da COVID-19 podem ajudar os pacientes que lutam contra a infecção2 doando seu plasma1.
1 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
   [Mais...]



Visualizar: Títulos | Resumos
  • Entrar
  • Receber conteúdos