Gostou do artigo? Compartilhe!

Plástica das mamas: quais são os tipos?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é plástica das mamas1?

A plástica das mamas1 é uma cirurgia estética que visa aumentar, corrigir o formato ou devolver o volume dos seios2. Muitas vezes é feita com a ajuda do implante3 de silicone. Há vários tipos de cirurgia plástica que podem ser feitos nos seios2, dependendo do objetivo a ser alcançado, sendo possível (1) aumentá-los, (2) diminuí-los, (3) levantá-los e até mesmo (4) reconstruí-los, nos casos de remoção devido a um câncer4 da mama5, por exemplo.

Para quem é indicada a plástica das mamas1?

Este tipo de cirurgia é mais realizado em mulheres, mas também pode ser feito em homens, especialmente nos casos de ginecomastia6, que é quando as mamas1 crescem devido ao desenvolvimento excessivo do tecido7 mamário no homem.

O implante3 de silicone é indicado para pacientes8 que desejam aumentar o tamanho das mamas1. O silicone é um material inerte e não prejudica a saúde9. A prótese10 de silicone também não interfere na fisiologia11 da mama5 e o processo de amamentação12 pode dar-se de forma normal.

Veja também "Ginecomastia6", "Prótese10 de silicone", "Amamentação12" e "Informações e cuidados sobre o câncer4 de mama5".

Em que consiste a plástica das mamas1?

A primeira providência é fazer uma ou algumas consultas com o cirurgião plástico para fazer uma avaliação completa sobre as possibilidades da cirurgia, para prestar informações ao paciente e esclarecer suas dúvidas a respeito da cirurgia. Exames laboratoriais deverão ser feitos com o intuito de verificar se o paciente dispõe de boas condições para passar pelo procedimento. O paciente deve informar sobre seu histórico médico e a respeito de remédios que esteja usando, principalmente os anticoagulantes13. Antes da cirurgia, é recomendado jejum absoluto de, no mínimo, oito horas. A prótese10 de silicone, se for o caso, pode ser colocada na região submuscular ou subglandular, segundo as características individuais de cada candidato à cirurgia. Logo após o procedimento, já se nota a mudança no formato e volume das mamas1, mas o resultado completo só ocorre dentro de alguns meses. Até o fim do processo de cicatrização, deve ser usado o sutiã cirúrgico para sustentar as mamas1. O retorno às atividades normais acontecerá dentro de alguns dias.

Algumas considerações sobre tipos específicos de cirurgia da mama5

A cirurgia de aumento das mamas1 baseia-se na utilização de implantes de silicone para colocar as mamas1 no tamanho desejado, no caso, aumentando-as em volume. Antes da cirurgia deve ser feita uma avaliação médica e exames laboratoriais que constatem um bom estado geral e as boas condições das mamas1. Uma mamografia14 ou ultrassonografia15 das mamas1 ajuda nessas avaliações. A escolha da incisão16 e do local de colocação do implante3 obedece às particularidades anatômicas das mamas1 e a preferência da paciente e do cirurgião. Após a cirurgia, os resultados são imediatamente visíveis. É provável que haja dor e inchaço17 imediatamente após a cirurgia, que diminuirão com o tempo. Alguns cuidados, no entanto, devem também ser adotados: os curativos devem ser trocados semanalmente; um sutiã especial deve ser usado por 60 dias; evitar dirigir ou carregar pesos nos primeiros 30 dias; não levantar os braços e/ou fazer esforço físico; dormir preferencialmente de barriga para cima; não tomar banhos de sol nos primeiros três meses após a cirurgia; não fazer exercícios físicos ou praticar esportes por 60 a 90 dias após a operação e fazer o controle periódico da prótese10 por meio de mamografia14, ultrassonografia15 ou ressonância magnética18.

A cirurgia de redução das mamas1 é, ao mesmo tempo, uma cirurgia estética e reparadora. É indicada para pacientes8 que tenham mamas1 grandes que se tonaram pendentes ao longo do tempo e que podem gerar sinais19 e sintomas20 como distúrbios posturais e dores na coluna. Adicionalmente, essa cirurgia pode corrigir eventuais assimetrias das mamas1 e, em casos especiais, serve também como profilaxia de algumas doenças das mamas1. Ela visa, além de diminuir o tamanho dos seios2, reposicioná-los de maneira mais harmoniosa. Nessa cirurgia, são removidas porções de pele21, tecido7 glandular e gordura22. Geralmente a paciente permanece no hospital apenas por um ou dois dias.

A cirurgia para reverter o caimento dos seios2 (mastopexia) em função de fatores como envelhecimento, grande variação do peso ou amamentação12, é feita para reposicionar as mamas1, garantindo simetria entre elas. Para realizar a cirurgia, é necessário que a paciente esteja em jejum de oito horas. A anestesia23 pode ser local com sedação24, geral ou peridural25 e pode haver ou não implante3 de silicone, dependendo da quantidade de tecido7 mamário. Nos casos em que não é necessário o uso de silicone, faz-se a retirada do excesso de pele21 e o reposicionamento do tecido7 mamário para dar um novo contorno à mama5. A cirurgia dura, em média, 2 ou 3 horas. O tempo de internação é de um dia. Além dos exames necessários antes de qualquer cirurgia, é recomendado que seja feita a avaliação da mama5 através dos exames de ultrassonografia15 e mamografia14. Após a cirurgia, os braços não devem ser elevados acima do nível dos ombros por duas semanas. O ideal é que a paciente abandone o hábito de fumar, mas, se não for possível, deve ficar pelo menos um mês sem fumar. Em geral, o médico pode receitar anti-inflamatórios, antibióticos e, se necessário, analgésicos26. A paciente deve observar repouso de 15 dias, mas só voltar a dirigir depois de 21 dias. Alguns exercícios leves, como a caminhada, por exemplo, podem ser feitos depois de um mês. Exercícios mais “pesados” só depois de dois meses. O sutiã cirúrgico deve ser usado por 30 dias.

A cirurgia de reconstrução da mama5 pode ser realizada através de várias técnicas de cirurgia plástica que tentam restaurar a mama5 após uma mastectomia27 terapêutica28 ou um trauma que suprima a mama5, considerando-se a sua forma, aparência e tamanho. Para algumas mulheres, a reconstrução mamária pode ser difícil ou impossível, devido a outros problemas de saúde9, como obesidade29, anorexia30 ou problemas circulatórios. A escolha da técnica depende dos tipos de mama5 e de certas opções da paciente e do médico. Das características da mama5 são levados em conta o tamanho, a quantidade de tecido7 a ser retirada e a presença de cicatrizes31 prévias. Basicamente podem ser usados retalhos de músculos32 e pele21 de outras regiões do corpo, além de implantes de vários tipos. Aréola e papila são reconstruídas posteriormente. O resultado final da cirurgia de reconstrução da mama5 pode ser muito satisfatório, porém, a mama5 não ficará exatamente como era antes.

Temas relacionados em "Prótese10 da mama5 ou Mamoplastia33", "Câncer4 de mama5. O que é? Quais os fatores de risco?", "Câncer4 de mama5. Como se preparar para uma consulta médica?" e "O que fazer para prevenir o câncer4?"

 

ABCMED, 2017. Plástica das mamas: quais são os tipos?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-mulher/1300813/plastica+das+mamas+quais+sao+os+tipos.htm>. Acesso em: 14 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
2 Seios: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
3 Implante: 1. Em cirurgia e odontologia é o material retirado do próprio indivíduo, de outrem ou artificialmente elaborado que é inserido ou enxertado em uma estrutura orgânica, de modo a fazer parte integrante dela. 2. Na medicina, é qualquer material natural ou artificial inserido ou enxertado no organismo. 3. Em patologia, é uma célula ou fragmento de tecido, especialmente de tumores, que migra para outro local do organismo, com subsequente crescimento.
4 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
5 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
6 Ginecomastia: Aumento anormal de uma ou ambas as glândulas mamárias no homem. Associa-se a diferentes enfermidades como cirrose, tumores testiculares, etc. Em certas ocasiões ocorrem de forma idiopática.
7 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
8 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
9 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
10 Prótese: Elemento artificial implantado para substituir a função de um órgão alterado. Existem próteses de quadril, de rótula, próteses dentárias, etc.
11 Fisiologia: Estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
12 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
13 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
14 Mamografia: Estudo radiológico que utiliza uma técnica especial para avaliar o tecido mamário. Permite diagnosticar tumores benignos e malignos em fase inicial na mama. É um exame que deve ser realizado por mulheres, como prevenção ao câncer.
15 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
16 Incisão: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
17 Inchaço: Inchação, edema.
18 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
19 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
20 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
21 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
22 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
23 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
24 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
25 Peridural: Mesmo que epidural. Localizado entre a dura-máter e a vértebra (diz-se do espaço do canal raquidiano). Na anatomia geral e na anestesiologia, é o que se localiza ou que se faz em torno da dura-máter.
26 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
27 Mastectomia: Cirurgia através da qual extirpa-se parte ou a totalidade da mama. Pode estar indicada como tratamento do câncer de mama.
28 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
29 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
30 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
31 Cicatrizes: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
32 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
33 Mamoplastia: Cirurgia estética no seio; mastoplastia.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cirurgia Plástica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.