Gostou do artigo? Compartilhe!

O método Rolfing

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é o método Rolfing?

O método Rolfing, apesar de pouco habitual no Brasil, é um tratamento bem conhecido em outros países, principalmente nos Estados Unidos. Foi criado há 50 anos pela Dra. Ida P. Rolf (1896-1979), com o nome de Integração Estrutural, como uma alternativa à medicina tradicional. É uma forma de trabalho corporal que procura reorganizar os tecidos conjuntivos, chamados de fáscia1, que permeiam todo o corpo.

Trata-se de um método que não conta com uma opinião favorável unânime. De acordo com os rolfistas, em alguns casos o método pode ser mais eficiente que procedimentos convencionais. Para outros, no entanto, os princípios do Rolfing contrariam os fundamentos da medicina científica e não existe qualquer evidência de que seja eficaz no tratamento de qualquer condição de saúde2.

Leia também sobre: "Método de Busquet", "Reeducação postural global (RPG)" e "Reabilitação funcional".

O que é a fáscia1?

A fáscia1 é uma rede de tecido conectivo3, sem começo nem fim, que envolve quase tudo no corpo, dos músculos4 e esqueleto5, aos órgãos e células6. Ela é uma estrutura como uma teia que envolve esses ossos, músculos4, nervos e órgãos. Figurativamente, cada parte do corpo é encerrada em finas “bolsas”, formadas pelos tecidos conjuntivos da fáscia1. Essas “bolsas” se conectam umas às outras em uma extensa rede, mantendo todas as partes do corpo no seu devido lugar.

Imagine a fáscia1 como uma teia de aranha de milhares de fios finos. Se eles ficarem agrupados, o que acontece quando descansamos, podem ocorrer problemas. É para separá-los novamente que uma pessoa ou mesmo uma criança pequena e um gato se alongam espontaneamente depois de descansar.

A fáscia1 tem uma grande importância para os movimentos musculares. Se ela fica “presa” (agrupada) afeta a mobilidade e, como há seis vezes mais neurônios7 na fáscia1 do que nos músculos4, os travamentos na fáscia1 podem estar ligados a dores, como as da região lombar8, por exemplo. Uma fáscia1 “doente” rapidamente se torna um círculo vicioso. A inflamação9 ocorre, o fluxo de fluido e o sistema imunológico10 são afetados e a dor em si torna a recuperação mais difícil.

Em que consiste o método Rolfing?

O método Rolfing é uma técnica manual que tem como objetivo melhorar a fluência do movimento, considerando o ser humano como um todo. O profissional tem a função de manipular o corpo visando mudanças significativas, como o reforço do equilíbrio e da liberdade de movimentos, por meio de toques focados na fáscia1. O método Rolfing também usa uma combinação de movimentos ativo e passivo.

A Dra. Rolf reconheceu que o corpo é inerentemente uma rede de tecidos contínuos, em vez de uma coleção de partes separadas. Tecidos conectivos (fáscia1) envolvem, sustentam e penetram todos os músculos4, ossos, nervos e órgãos. O Rolfing trabalha neste complexo de tecido conjuntivo11 para liberar, realinhar e equilibrar todo o corpo, potencialmente solucionando o desconforto, reduzindo compensações e aliviando a dor. Essencialmente, o processo de Rolfing permite que o corpo recupere a integridade natural de sua forma, aumentando assim a eficiência postural e sua liberdade de movimento.

Não há um número padronizado para a duração do tratamento, mas existe uma média entre 10 e 15 sessões de 60 a 90 minutos. As três primeiras sessões se concentram nos tecidos superficiais, as próximas quatro focalizam os tecidos mais profundos e, especificamente, a pelve12, e as sessões finais abordam todo o corpo. Ao fim de cada sessão já é possível ter a sensação de bem-estar e melhoras estruturais. Porém, dependendo do caso, pode ser necessário um número maior de sessões.

Para quem o método Rolfing é indicado?

A visão13 holística do Rolfing, e o fato de a pessoa ser integralmente colocada no centro do procedimento, permite uma ampla gama de aplicações. O Rolfing é para todas as pessoas: homens ou mulheres, de todas as idades, sejam elas saudáveis ou doentes, dentro de seu peso corporal ideal ou longe dele.

O Rolfing é indicado principalmente para aquelas pessoas que sofrem de males causados pela má postura, para aquelas que apresentam dificuldades de movimentos e/ou sofreram traumas físicos, sofrem de hiperescoliose, hipercifose e insônia. Ele também é útil às pessoas que experimentam estresse no dia-a-dia e para as que desejam melhorar o seu desempenho profissional. O Rolfing é ainda apreciado por pessoas ligadas às artes corporais que dependem de movimento, como bailarinos, atletas, educadores físicos e praticantes de artes marciais.

Além disso, é especialmente recomendado para desconfortos físicos como dores pelo corpo, agudas ou crônicas, distúrbios musculares, rigidez; dores de cabeça14, detecção de compensações crônicas do corpo, distúrbios articulares, desconfortos emocionais, depressão e ansiedade. O Rolfing também atua preventivamente, promovendo melhor atitude postural, maior consciência corporal, melhor respiração, maior flexibilidade e mais equilíbrio.

Em casos de hérnia de disco15 é aconselhável esperar que cesse a fase aguda para que o Rolfing seja empregado. Durante a gravidez16, o Rolfing pode ter um papel de acompanhamento e relaxamento, mas somente deve ser aplicado após o quinto mês de gestação. Depois da gravidez16, o Rolfing pode ajudar a mulher a voltar à sua forma ideal.

Artigos sugeridos: "Dor miofascial", "Dor no pescoço17", "Síndrome18 do ombro do nadador" e "Hérnia de disco15 extrusa".

 

ABCMED, 2019. O método Rolfing. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1340533/o+metodo+rolfing.htm>. Acesso em: 20 jul. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Fáscia: Fáscia é uma bainha, uma folha ou qualquer outra agregação dissecável de tecido conjuntivo que se forma sob a pele para anexar, fechar e separar músculos e outros órgãos internos. Ela é composta de tecidos conectivos fibrosos, moles, colágenos, soltos e densos espalhados por todo o corpo. O sistema fascial interpenetra e envolve todos os órgãos, músculos, ossos e fibras nervosas, dotando o corpo de uma estrutura funcional e proporcionando um ambiente que permite que todos os sistemas corporais operem de forma integrada.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Tecido conectivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.
4 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
5 Esqueleto:
6 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
7 Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO. Sinônimos: Células Nervosas
8 Região Lombar:
9 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
10 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
11 Tecido conjuntivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.
12 Pelve: 1. Cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ossos ilíacos), sacro e cóccix; bacia. 2. Qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
13 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
14 Cabeça:
15 Hérnia de disco:
16 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
17 Pescoço:
18 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.