Gostou do artigo? Compartilhe!

Yoga: o que uma pessoa deve saber antes de iniciar a yoga?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a yoga?

A Yoga é uma metodologia requintada para conseguir uma interconexão da pessoa com todos os seres vivos. A meditação é a experiência real que pode levar a essa união. A Yoga é um método milenar de meditação. Ela surgiu na Índia há mais de 5.000 anos, graças à misticidade local influenciada pelo budismo e pelo hinduísmo.

Yoga é um termo de origem sânscrita, (yuj) que significa controlar, unir. A prática dela consta de movimentos físicos, treinamento da respiração, meditação e relaxamento, que tem como objetivo trabalhar o corpo e a mente de forma interligada. Mas a Yoga é mais que isso: é um conceito e uma filosofia de vida.

O mundo atual condiciona as pessoas a acreditarem que as coisas externas darão a elas o que querem, mas sempre buscam um “algo mais” que nunca alcançam. Assim, ficam envolvidas na ação, mais que no Ser e têm dificuldade em imaginar um estado absoluto de calma e repouso. Em geral, sua consciência e suas energias são direcionadas para o exterior. A Yoga proporciona meios para acalmar a turbulência dos pensamentos e a agitação do corpo e reverte o fluxo da consciência e da energia para o interior.

Veja também sobre "Meditação", "Mindfulness" e "Autoestima".

Algumas coisas que deve-se saber antes de começar a praticar yoga

  • A prática da Yoga compreende determinados exercícios, alongamentos, treino de respiração e adoção de posturas adequadas para meditar. Pelo menos no início, a prática deve obedecer à orientação fornecida por um praticante ou professor treinado. Há também cursos (inclusive online) que ensinam a praticar a Yoga, para que a pessoa siga sozinha a sua experiência.
  • Não deve-se exigir de si mesmo uma flexibilidade excepcional desde o início. Muitas pessoas têm, naturalmente, tensões e contraturas musculares permanentes. Só com o tempo e com a prática os músculos1 vão se soltando e a pessoa se sente mais relaxada e mais flexível. Mesmo assim, pode ser que a pessoa nunca consiga colocar a perna atrás do pescoço2, e nem precisa disso. Relaxar a mente ajuda muito mais do que os exercícios físicos.
  • Ao final de cada exercício, a pessoa sentirá maior plenitude, paz e verdadeira sensação de relaxamento do corpo e da mente, mas um místico estado zen ou sobrenatural é mais um mito que uma realidade.
  • A ideia de que a pessoa que pratica Yoga precisa ser vegana ou vegetariana e que todo Iogui deve ser magérrimo é um mito. Com o tempo, seu corpo “dirá” que tipos de alimento o fazem se sentir em paz, com energia e disposição.
  • Os mantras da Yoga (sílabas ou poemas emitidos pelo praticante) são uma “proteção contra os barulhos da mente” e ajudam a manter a mente vazia. Contudo, se mesmo sabendo dos benefícios dos mantras para acalmar sua mente, a pessoa preferir não os entoar, deve se sentir livre para seguir sem eles.
  • A prática da Yoga pode ser realizada por todas as pessoas, independentemente de tipo físico, idade ou condição motora (altos, baixos, gordos, magros, jovens, idosos).
  • O avanço em Yoga não consiste em conseguir posturas difíceis, mas em obter uma respiração adequada. O maior de todos os avanços se dá quando a pessoa consegue levar toda a sua atenção à respiração. Praticar as posturas e, ao mesmo tempo, respirar profundamente pelo nariz3, trazendo energia vital ao corpo e à mente, deve ser o centro da prática.
  • As dores musculares melhoram e não pioram com a prática da Yoga adaptada (sem o uso do músculo afetado, por exemplo).
  • A Yoga é uma prática que leva a mudanças mais internas que externas. Ela leva a pessoa a sentir menos ansiedade, mais paz interior, mais relaxamento e maior conexão com as outras pessoas.
  • Embora algumas pessoas associem a Yoga a religiões do Oriente (como o hinduísmo, por exemplo), ela não está ligada a nenhuma religião e, em essência, é apenas um caminho para encontrar paz interior.

Benefícios que a yoga pode proporcionar à pessoa

A Yoga é uma prática que traz muitos benefícios físicos e mentais, além de melhorar o equilíbrio e promover uma sensação de bem-estar e disposição. Ela pode reformar a vida da pessoa. No entanto, a pessoa não deve esperar resultados da noite para o dia. É como o crescimento de uma criança: de um dia para outro não se percebe diferença, no entanto, dentro de certo tempo... São necessários pelo menos alguns meses para que se obtenha uma mudança nítida.

Entre outros, podem ser sentidos os seguintes benefícios:

  1. Diminuição do estresse e ansiedade, fazendo a pessoa se concentrar no presente, desocupando a mente de problemas do passado ou futuro.
  2. O condicionamento físico melhora, aumenta a massa magra4 e deixa o corpo com maior definição e músculos1 tonificados.
  3. Causa perda de peso, devido ao controle da ansiedade e vontade de comer, diminuindo a quantidade de calorias5 consumidas.
  4. Alivia as dores musculares ao ajudar a liberar a tensão e dar maior flexibilidade aos músculos1.
  5. Melhora do funcionamento do coração6 e pulmões7, pois regula o sistema nervoso8 e melhora a circulação9 sanguínea, batimentos do coração6, pressão arterial10 e equilibra o sistema endócrino11.
  6. Melhora o sono, ao aumentar a produção de melatonina, hormônio12 que regula o ciclo do sono.
  7. Melhora o desempenho e o prazer sexuais, pois a pessoa passa a ter maior sensibilidade durante o contato íntimo.
Leia sobre "Insônia - como dormir melhor", "Medicina alternativa" e "Por que as pessoas são mais ansiosas hoje em dia do que antigamente".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas dos sites da Mayo Clinic e da UCLA Health.

ABCMED, 2020. Yoga: o que uma pessoa deve saber antes de iniciar a yoga?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1376703/yoga-o-que-uma-pessoa-deve-saber-antes-de-iniciar-a-yoga.htm>. Acesso em: 1 dez. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
2 Pescoço:
3 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
5 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
6 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
7 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
8 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
9 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
10 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
11 Sistema Endócrino: Sistema de glândulas que liberam sua secreção (hormônios) diretamente no sistema circulatório. Em adição às GLÂNDULAS ENDÓCRINAS, o SISTEMA CROMAFIM e os SISTEMAS NEUROSSECRETORES estão inclusos.
12 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.