Gostou do artigo? Compartilhe!

Dieta vegana: como é? Por que adotar? Quais os benefícios e os riscos?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a dieta vegana?

A dieta vegana é uma dieta que exclui todo e qualquer alimento de origem animal, como carne, ovos, leite, etc. Uma filosofia associada rejeita a utilização de qualquer produto proveniente de animais. A diferença entre veganos e vegetarianos é que estes últimos não se alimentam de carne, mas consomem outros produtos de origem animal, como ovos e laticínios, por exemplo.

A dieta vegana vem ganhando cada vez mais seguidores no mundo inteiro. Num sentido mais estrito ela não só proíbe ingredientes de origem animal como aqueles que tenham tido qualquer contato com animais durante a sua fabricação. Os seguidores dessa dieta ou filosofia são conhecidos como veganos (vegans).

Na verdade, o veganismo é um movimento que comporta várias categorias:

(1) Veganos dietéticos se abstêm de ingerir produtos de origem animal e de usar roupas que incluem produtos de origem animal, como couro ou lã, por exemplo.

(2) Veganos éticos estendem a filosofia além da dieta a outras áreas de suas vidas e se opõem ao uso de produtos animais para qualquer finalidade.

(3) Veganos ambientais entendem que os produtos de origem animal, desde a sua colheita ou criação industrial, são prejudiciais ao ambiente.

O termo "vegan" foi cunhado na Inglaterra em 1944, por Donald Watson, como uma doutrina de que o homem deveria viver sem explorar os animais.

Por que adotar uma dieta vegana?

Adotar um estilo vegano de alimentação é uma escolha pessoal, mas grande parte dos seguidores atribuem essa opção a questões éticas e à preocupação com o meio ambiente. E há também quem cite questões de saúde1.

Riscos e benefícios da dieta vegana para a saúde1

As dietas veganas normalmente não são apropriadas em todos os períodos da vida. As restrições alimentares impostas pela dieta vegana levam à necessidade de suplementar certos nutrientes que ficam deficientes. Entre eles:

  1. Ferro: um ingrediente fundamental para a saúde1 do sangue2, cuja deficiência pode levar à anemia3. Para driblar essa falta, os veganos devem recorrer a outras fontes de ferro como o trigo, os cereais, as leguminosas, os vegetais verde-escuros e as frutas secas.
  2. Aminoácidos: são compostos que formam as proteínas4, necessárias para quase todas as funções do organismo. Como são encontrados sobretudo em carnes e ovos, vetados pelos veganos, eles têm de obtê-los nos cereais, nas castanhas e nas leguminosas, embora nelas a quantidade de aminoácidos seja menor que a encontrada em fontes animais.
  3. Os veganos têm níveis relativamente mais baixos de vitamina5 D no sangue2, o que pode provocar raquitismo6 em crianças ou osteoporose7 em adultos. A maior parte da vitamina5 D, contudo, provém da ação do sol na pele8, por isso, os veganos devem ser aconselhados a tomar uma suplementação9 dessa vitamina5 e a consumir mais alimentos ricos em cálcio nos meses de inverno.
  4. Saiba mais sobre "Anemia ferropriva10", "Deficiência de vitamina5 D", "Raquitismo6" e "Osteoporose7".
  5. Os veganos encontram fontes de vitamina5 B12 nos alimentos enriquecidos como cereais, extratos de levedura e substitutos de carne. Mesmo assim, os veganos precisam suprir as deficiências dessa vitamina5 com o uso de suplementos.
  6. O ômega 3 é um tipo de gordura11 fundamental para a saúde1, não produzida pelo organismo e, portanto, precisa ser adquirida através dos alimentos. Como as principais fontes dela não estão presentes na dieta vegana, os seguidores dependem de fontes alternativas, como a soja, a linhaça e as nozes.
  7. A deficiência de vitamina5 A tem de ser compensada pelos veganos por meio de frutas como a laranja, vegetais verde-escuros, batata-doce e abóbora que contenham carotenos, que são convertidos nesta vitamina5.
  8. Leia sobre "Anemia perniciosa12", "Benefícios do ômega 3" e "Frutas mais comuns".

Quando uma dieta vegana é bem organizada, ela não traz carências nutricionais importantes para quem a adota, com exceções da vitamina5 B12 e do cálcio. Normalmente, os veganos têm de buscar algumas suplementações alimentares, seja em alimentos enriquecidos ou em pílulas, por isso um nutricionista13 ou um nutrólogo pode ajudar no planejamento deste tipo de alimentação.

Dietas especiais devem ser estabelecidas para crianças, idosos, atletas e pessoas alérgicas. Mulheres veganas que estejam grávidas ou amamentando precisam se certificar de que estejam obtendo vitaminas e minerais suficientes para o desenvolvimento saudável da criança.

Veja também sobre "Dieta mediterrânea14", "Dietas para emagrecer", "Dieta de Beverly Hills" e "Dieta dos Pontos".

 

ABCMED, 2017. Dieta vegana: como é? Por que adotar? Quais os benefícios e os riscos?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1288398/dieta-vegana-como-e-por-que-adotar-quais-os-beneficios-e-os-riscos.htm>. Acesso em: 23 mai. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
3 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
4 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
5 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
6 Raquitismo: Doença decorrente da mineralização inadequada do osso em crescimento, ou seja, da placa epifisária. Está entre as doenças mais comuns da infância em países em desenvolvimento. A causa predominante é a deficiência de vitamina D, seja por exposição insuficiente à luz solar ou baixa ingestão através da dieta; mas a deficiência de cálcio na dieta também pode gerar um quadro de raquitismo. A osteomalácia é o termo usado para descrever uma condição semelhante que ocorre em adultos, geralmente devido à falta de vitamina D.
7 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
8 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
9 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
10 Anemia Ferropriva: Anemia por deficiência de ferro. É o tipo mais comum de anemia. Há redução da quantidade total de ferro corporal até a exaustão das reservas de ferro. O fornecimento de ferro é insuficiente para atingir as necessidades de diferentes tecidos, incluindo as necessidades para a formação de hemoglobina e dos glóbulos vermelhos.
11 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
12 Anemia Perniciosa: Doença causada pela incapacidade do organismo absorver a vitamina B12. Mais corretamente, ela se refere a uma doença autoimune que resulta na perda da função das células gástricas parietais, que secretam ácido clorídrico para acidificar o estômago e o fator intrínseco gástrico que facilita a absorção da vitamina B12.
13 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
14 Dieta Mediterrânea: Alimentação rica em carboidratos, fibras, elevado consumo de verduras, legumes e frutas (frescas e secas) e pobre em ácidos graxos saturados. É recomendada uma ingestão maior de gordura monoinsaturada em decorrência da grande utilização do azeite de oliva. Além de vinho.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Nutrologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.