Gostou do artigo? Compartilhe!

Bactérias do bem - o que elas têm a nos oferecer?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são bactérias do bem?

De um modo geral, as bactérias têm uma má reputação, e por boas razões. A maioria delas está por trás de várias doenças graves, incluindo, por exemplo, pneumonia1, meningite2, inflamações3 de garganta4, intoxicações alimentares e várias outras infecções5. Essas são as bactérias “ruins” e delas as pessoas procuram se distanciar. Elas são a razão pela qual desinfetamos as mãos6, limpamos os ambientes nos quais vivemos e esterilizamos os aparelhos médicos ou odontológicos, etc. Também para combatê-las, desenvolvemos uma ampla gama de antibióticos e outros medicamentos projetados para matá-las.

No entanto, nem todas as bactérias são vilãs. O corpo humano7 carrega também cerca de 100 trilhões de bactérias "boas", muitas delas alojadas no intestino. Não apenas vivemos em harmonia com elas, mas sem elas não conseguiríamos viver. No intestino, elas ajudam a digerir alimentos, absorver nutrientes e produzir várias vitaminas, incluindo ácido fólico, niacina e vitaminas B6 e B12. Também podem nos proteger contra seus pares que causam doenças, aglomerando-as no intestino, produzindo ácidos que inibem seu crescimento e estimulando o sistema imunológico8 a combatê-las. A isso chamamos equilíbrio da floral intestinal.

Quando uma pessoa toma antibióticos para tratar uma infecção9 por bactérias nocivas, coloca em risco a população das bactérias protetoras, porque também mata parte delas. Isso pode levar a um desequilíbrio das bactérias no corpo, o que pode desencadear diarreia10 e outros problemas gastrointestinais.

Leia sobre "Usos e abusos dos antibióticos", "Cuidados úteis em casos de diarreia10" e "Dor abdominal".

Como as bactérias do bem ajudam o organismo?

A ideia de que certos tipos de bactérias podem melhorar a saúde11 existe desde o início do século XX, quando se propôs pela primeira vez que ingerir bactérias semelhantes às que vivem no corpo poderia trazer benefícios à saúde11. Mais recentemente, as empresas começaram a comercializar produtos contendo essas bactérias, chamados probióticos12 ("a favor da vida"). Essas substâncias hoje podem ser usadas de várias formas, incluindo pílulas de suplementos, supositórios e cremes.

Entre os alimentos que contêm bactérias do bem estão o iogurte, soro13 de leite coalhado, queijos com culturas ativas vivas, missô, chucrute, cerveja, pão de fermento, chocolate, etc.

Os probióticos12 podem ser usados para prevenir e tratar uma variedade de condições de saúde11, como diarreia10 (incluindo a diarreia10 causada por antibióticos), síndrome14 do intestino irritável, colite15 ulcerosa, doença de Crohn16, cárie dentária, gengivite17, periodontite e eczema18. As bactérias do bem atuam também no processo de digestão19, imunidade20, funcionamento cerebral e até influenciam no ganho ou perda de peso.

Alguns pesquisadores médicos sugerem que os probióticos12 podem melhorar a saúde11, mas outros acham que não há provas suficientes para afirmar com certeza esse ponto.

Tipos de probióticos12 (bactérias do bem) e o uso que é feito deles

Cepas21 específicas de algumas bactérias que podem ter efeitos benéficos para a saúde11 incluem lactobacilos e bifidobactérias. Estes micro-organismos benéficos, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefício à saúde11 do hospedeiro. São eles:

1. Lactobacillus

Os lactobacilos são normalmente encontrados nos sistemas digestivo, urinário e genital. Também podemos encontrá-los em iogurtes e suplementos alimentares, bem como em supositórios. Existem mais de 50 espécies diferentes de lactobacillus, incluindo:

1A. Lactobacillus acidophilus, encontrados em iogurtes e produtos fermentados de soja. Na forma de supositório têm sido utilizados para tratar infecções5 bacterianas da vagina22. Em forma de pílula, têm sido usados para prevenir e tratar a diarreia10;

1B. Lactobacillus rhamnosus, também usados para ajudar a tratar a diarreia10, inclusive a diarreia10 causada por antibióticos em crianças;

1C. Lactobacillus salivarius, que pode ajudar a bloquear o crescimento de Helicobacter pylori, a bactéria23 que causa úlceras24 pépticas;

1D. Lactobacillus plantarum, que pode melhorar a barreira do sistema imunológico8 contra bactérias invasoras causadoras de doenças.

2. Bifidobactérias

As bifidobactérias vivem no intestino. Elas ocorrem em cerca de 30 cepas21 diferentes, incluindo:

2A. Bifidobacteria bifidum pode ajudar a proteger contra bactérias prejudiciais. Quando combinada com Lactobacillus acidophilus, a Bifidobacteria bifidum pode ajudar a prevenir o eczema18 em recém-nascidos;

2B. as bifidobactérias infantis ajudam a aliviar sintomas25 como dor abdominal, gases e inchaço26;

2C. Bifidobactéria lactis melhora os níveis de colesterol27 em mulheres e em pessoas com diabetes28 tipo 2.

3. Streptococcus thermophilus

Os Streptococcus thermophilus produzem a enzima29 lactase, que o corpo precisa para digerir o açúcar30 no leite e em outros produtos lácteos, e podem prevenir a intolerância à lactose31.

4. Saccharomyces boulardii

O Saccharomyces boulardii é um tipo de levedura, mas atua como um probiótico32. Alguns estudos acharam que ele é útil para prevenir e tratar a diarreia10. Também pode ser útil no tratamento da acne33 e na redução dos efeitos colaterais34 do tratamento com antibióticos para a bactéria23 Helicobacter pylori.

No entanto, antes de tomar qualquer suplemento probiótico32, a pessoa deve ser advertida de que esses produtos não são regulados por nenhum órgão de controle de saúde11. Isso significa que ao comprá-los você não pode ter certeza se são seguros e eficazes. Já foram relatados casos de bacteremia35 e/ou fungemia após uso de probióticos12. Mais estudos clínicos são necessários para confirmar os benefícios e possíveis riscos da sua ingestão.

Como se prevenir de doenças usando as bactérias do bem?

Os lactobacillus são também usados para prevenir várias condições. Entre outras: diarreia10 causada por antibióticos e infecção9, cólicas36 em bebês37, infecções5 pulmonares em crianças pequenas, diarreia10 em adultos que estão hospitalizados ou durante tratamento quimioterápico para câncer38 e tratamento de problemas intestinais, como a síndrome14 do intestino irritável e a colite15 ulcerosa.

Veja sobre "Diarreia10 por Clostridium difficile", "Síndrome14 do intestino irritável" e "Probióticos12 e Prebióticos".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas dos sites da Mayo Clinic, da Cleveland Clinic e do Memorial Sloan Kettering Cancer Center.

ABCMED, 2019. Bactérias do bem - o que elas têm a nos oferecer?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1351248/bacterias-do-bem-o-que-elas-tem-a-nos-oferecer.htm>. Acesso em: 22 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
2 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
3 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
4 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
7 Corpo humano: O corpo humano é a substância física ou estrutura total e material de cada homem. Ele divide-se em cabeça, pescoço, tronco e membros. A anatomia humana estuda as grandes estruturas e sistemas do corpo humano.
8 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
9 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
10 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
11 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
12 Probióticos: Suplemento alimentar, rico em micro-organismos vivos, que afeta de forma benéfica seu consumidor, através da melhoria do balanço microbiano intestinal.
13 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
14 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
15 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
16 Doença de Crohn: Doença inflamatória crônica do intestino que acomete geralmente o íleo e o cólon, embora possa afetar qualquer outra parte do intestino. A doença cursa com períodos de remissão sintomática e outros de agravamento. Na maioria dos casos, a doença de Crohn é de intensidade moderada e se torna bem controlada pela medicação, tornando possível uma vida razoavelmente normal para seu portador. A causa da doença de Crohn ainda não é totalmente conhecida. Os sintomas mais comuns são: dor abdominal, diarreia, perda de peso, febre moderada, sensação de distensão abdominal, perda de apetite e de peso.
17 Gengivite: Condição em que as gengivas apresentam-se com sinais inflamatórios e sangramentos.
18 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
19 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
20 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
21 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
22 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
23 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
24 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
25 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
26 Inchaço: Inchação, edema.
27 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
28 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
29 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
30 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
31 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
32 Probiótico: Suplemento alimentar, rico em micro-organismos vivos, que afeta de forma benéfica seu consumidor, através da melhoria do balanço microbiano intestinal.
33 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
34 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
35 Bacteremia: Presença de bactérias no sangue, porém sem que as mesmas se multipliquem neste. Quando elas se multiplicam no sangue chamamos “septicemia”.
36 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
37 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
38 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.