Atalho: 65A2ZJQ
Gostou do artigo? Compartilhe!

Síndrome do intestino irritável. Quando procurar um médico?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a síndrome1 do intestino irritável?

A síndrome1 do intestino irritável (SII) ou síndrome1 do cólon2 irritável é uma condição crônica e recorrente que afeta o trato gastrointestinal (TGI), especialmente o cólon2 (intestino grosso3), provocando diarreia4 e, às vezes, constipação5 intestinal.

Aproximadamente 20% das pessoas nos países desenvolvidos têm sintomas6 da SII em algum momento de suas vidas. A síndrome1 do intestino irritável é geralmente diagnosticada quando problemas mais sérios como a doença inflamatória intestinal (Doença de Crohn7 e colite8 ulcerativa), doença celíaca, infecção9 por parasitas, câncer10 ou síndrome de má absorção11 (intestino não absorve corretamente os nutrientes) foram procurados e não encontrados.

As mulheres são mais acometidas do que os homens.

Quais são as causas?

A síndrome1 do intestino irritável é chamada de distúrbio funcional porque não existe uma causa física conhecida para seus sinais12 e sintomas6.

Quando procurar um médico?

Toda vez que sintomas6 gastrointestinais como diarreia4, constipação5, flatulência ou sensação de plenitude gástrica (empachamento) estiverem presentes e incomodarem está indicado consultar um clínico geral ou um gastroenterologista.

É importante procurar um médico se você também apresenta uma mudança nos seus hábitos intestinais ou sangue13 nas fezes, pois estes podem ser sinais12 de graves problemas de saúde14, como de câncer10 de cólon2 ou reto15 ou de doença inflamatória intestinal.

Quais são os sinais12 e sintomas6 da SII?

  • Diarreia4.
  • Constipação5.
  • Alternância entre períodos de diarreia4 e constipação5.
  • Fezes líquidas (que também podem apresentar muco).
  • Dor abdominal em cólicas16.
  • Sensação de “barriga inchada”.
  • Aumento dos gases (flatulência).
  • Sensação de esvaziamento incompleto após evacuação.

Intolerância à lactose17 acontece quando alguns adultos e crianças comem ou bebem produtos lácteos, mas isto é diferente da SII e não faz parte dos seus sintomas6.

Como é feito o diagnóstico18?

O médico faz uma entrevista com o paciente focando em aspectos como hábitos intestinais, dieta, prática de exercícios físicos e estresse. Durante o exame físico, ele procura por outras causas de problemas gastrointestinais, bem como por outras doenças sistêmicas. Na síndrome1 do intestino irritável não há alterações no exame físico ou nos exames laboratoriais.

Pode ser necessário solicitar exames complementares como hemograma ou bioquímica do sangue13 procurando anemia19 e outras alterações como uma alergia20 ao glúten21. Um exame de fezes com pesquisa de sangue13 nas fezes pode ser útil.

Às vezes, o médico pode solicitar uma colonoscopia22 (usando um instrumento flexível iluminado para olhar para a superfície interna do cólon2) ou uma endoscopia23 digestiva alta, que examina a superfície interna do esôfago24, do estômago25 e do duodeno26 (primeira parte do intestino delgado27). Biópsias28 (amostras de tecido29 enviadas para o laboratório) podem ser realizadas para excluir a possibilidade de câncer10, doença celíaca ou doença inflamatória intestinal.

Outros exames podem ser feitos, incluindo radiografias do TGI, procurando causas de diarreia4 ou prisão de ventre, e tomografia computadorizada30 (TC) para avaliar a dor abdominal persistente.

Existe tratamento para a SII?

Primeiramente o médico deve esclarecer o paciente sobre a sua condição e sobre a evolução benigna da doença. A SII não progride para nenhuma doença grave.

Algumas mudanças na dieta podem ajudar, como a remoção de alimentos que pioram os sintomas6 da SII. Estes alimentos devem ser observados e identificados pelo próprio paciente, pois há grande variação individual. A síndrome1 do intestino irritável é muitas vezes agravada pela ingestão de grandes refeições, alimentos ricos em gorduras, álcool, chocolate ou bebidas cafeinadas. Comer refeições menores e de maneira mais frequente pode aliviar os sintomas6 desta síndrome1.

Redução do estresse pode ajudar a aliviar os sintomas6, assim como a prática de atividades físicas regulares.

O tratamento da ansiedade e da depressão, caso eles estejam presentes, pode ajudar no manejo dos sintomas6 da SII.

Os medicamentos usados para tratar os sintomas6 de SII incluem suplementos de fibras, medicamentos antiespasmódicos (reduzem a circulação31 dentro do cólon2 e aliviam a dor e o inchaço32), medicamentos antidiarreicos ou laxantes33 para a obstipação34. Em alguns casos, o uso de certos antidepressivos tricíclicos pode ajudar a aliviar os sintomas6. Mas até o momento, nehuma medicação comprovou sua eficácia no tratamento desta síndrome1.

ABCMED, 2011. Síndrome do intestino irritável. Quando procurar um médico?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/242990/sindrome-do-intestino-irritavel-quando-procurar-um-medico.htm>. Acesso em: 17 jul. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
2 Cólon:
3 Intestino grosso: O intestino grosso é dividido em 4 partes principais: ceco (cecum), cólon (ascendente, transverso, descendente e sigmoide), reto e ânus. Ele tem um papel importante na absorção da água (o que determina a consistência do bolo fecal), de alguns nutrientes e certas vitaminas. Mede cerca de 1,5 m de comprimento.
4 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
5 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Doença de Crohn: Doença inflamatória crônica do intestino que acomete geralmente o íleo e o cólon, embora possa afetar qualquer outra parte do intestino. A doença cursa com períodos de remissão sintomática e outros de agravamento. Na maioria dos casos, a doença de Crohn é de intensidade moderada e se torna bem controlada pela medicação, tornando possível uma vida razoavelmente normal para seu portador. A causa da doença de Crohn ainda não é totalmente conhecida. Os sintomas mais comuns são: dor abdominal, diarreia, perda de peso, febre moderada, sensação de distensão abdominal, perda de apetite e de peso.
8 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
9 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
10 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
11 Síndrome de má absorção: Doença do tubo digestivo caracterizada por absorção insuficiente de nutrientes através da mucosa intestinal. Os sintomas principais são perda de peso, diarréia, desnutrição, eliminação de matéria fecal abundante em gorduras, etc.
12 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
13 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
15 Reto: Segmento distal do INTESTINO GROSSO, entre o COLO SIGMÓIDE e o CANAL ANAL.
16 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
17 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
18 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
19 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
20 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
21 Glúten: Substância viscosa, extraída de cereais, depois de eliminado o amido. É uma proteína composta pela mistura das proteínas gliadina e glutenina.
22 Colonoscopia: Estudo endoscópico do intestino grosso, no qual o colonoscópio é introduzido pelo ânus. A colonoscopia permite o estudo de todo o intestino grosso e porção distal do intestino delgado. É um exame realizado na investigação de sangramentos retais, pesquisa de diarreias, alterações do hábito intestinal, dores abdominais e na detecção e remoção de neoplasias.
23 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
24 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
25 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
26 Duodeno: Parte inicial do intestino delgado que se estende do piloro até o jejuno.
27 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
28 Biópsias: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
29 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
30 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
31 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
32 Inchaço: Inchação, edema.
33 Laxantes: Medicamentos que tratam da constipação intestinal; purgantes, purgativos, solutivos.
34 Obstipação: Prisão de ventre ou constipação rebelde.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Gastroenterologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

17/10/2013 - Comentário feito por Cláudio
Re: Síndrome do intestino irritável. Quando procurar um médico?
Muito bom site e bem explicativo! Parabéns!

  • Entrar
  • Assinar