Gostou do artigo? Compartilhe!

Importância da tiamina para o organismo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a tiamina?

A tiamina, também conhecida como vitamina1 B1, é uma vitamina1 encontrada em alguns alimentos naturais e elaborada como suplemento dietético e como medicação. Descoberta em 1897, a tiamina foi a primeira vitamina1 a ser isolada, em 1926, e foi produzida pela primeira vez em 1936. Está na Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial da Saúde2, como um dos medicamentos mais eficazes e seguros necessários para um sistema coletivo de saúde2.

Qual é a importância da tiamina para o organismo?

A tiamina é um nutriente que desempenha um papel importante no cérebro3, no sistema nervoso4 em geral e no sistema circulatório5. Auxilia ainda na formação do sangue6 e no metabolismo7 de carboidratos, previne o envelhecimento, melhora a função cerebral, combate a depressão e a fadiga8 e converte o açúcar9 no sangue6 em energia. A coenzima da tiamina é importante para a síntese de acetilcolina10, fundamental na prevenção da perda de memória e inflamação11 dos nervos. A tiamina também é importante para o reparo e prevenção de qualquer comprometimento da função nervosa.

Outra das principais contribuições da tiamina para o corpo é a maneira dinâmica de facilitar a digestão12: ela auxilia na produção de ácido clorídrico13 do estômago14, vital para a repartição adequada e assimilação dos alimentos; ajuda a manter o tônus muscular15 no intestino e no estômago14; previne a constipação16 e desempenha papel no metabolismo7 dos carboidratos; fornece nutrição17 para todos os órgãos digestivos; ajuda a obter o máximo de nutrição17 dos alimentos e regula o apetite.

Os sintomas18 da deficiência de tiamina incluem perda de reflexos, paralisia19 periférica ou dormência20 nas extremidades. Esses sintomas18 têm gerado teorias de que a deficiência de tiamina pode atuar em doenças como Esclerose Múltipla21 e Síndrome22 das Pernas Inquietas.

Saiba mais sobre "Carboidratos", "Comportamento da glicemia23" e "Esclerose Múltipla21".

Quais são as consequências da deficiência da tiamina? Quais são as principais fontes de tiamina?

A tiamina é um micronutriente essencial ao organismo, mas não é produzida no corpo. Ela é necessária para o metabolismo7 geral, incluindo a glicose24, aminoácidos e lipídios. A deficiência desta vitamina1 decorre da baixa ingesta, de exercício físico em excesso ou de uma dieta rica em carboidratos ou álcool.

Nos navios que traziam escravos da África ao Brasil, numa longa viagem, durante a qual a alimentação era inadequada, muitas pessoas morriam por falta da tiamina. Uma quantidade ideal de tiamina para um adulto ativo fica entre 1,2-1,5 mg por dia. As principais fontes alimentares de tiamina incluem carne de porco, nozes, feijão, ervilha, arroz integral, gema de ovo25, aspargos, brócolis e passas. É importante notar, no entanto, que a tiamina é muitas vezes perdida durante as preparações de alimentos em que a água de cozimento é descartada. Por isso, uma maneira simples e eficiente de manter o conteúdo de tiamina dos alimentos é se alimentar de sopas e ensopados que combinem alguns dos ingredientes acima.

Nos países ocidentais, a deficiência de tiamina é vista principalmente no alcoolismo crônico26 que, em casos graves, leva à encefalopatia27 de Wernicke. No Brasil, a deficiência de tiamina é encontrada principalmente em populações que se alimentam basicamente de mandioca, arroz polido e/ou a farinha de mandioca e de trigo, ou seja, alimentos pobres em tiamina. Graus variados de deficiência de tiamina têm sido associados também ao uso por longo prazo de altas doses de diuréticos28. Tem sido sugerido que a deficiência de tiamina desempenha um papel negativo no desenvolvimento do cérebro3 infantil, que pode levar à síndrome22 da morte súbita infantil.

Quais são os usos terapêuticos da tiamina?

A tiamina é usada, entre outras coisas, para tratar a encefalopatia27 por beribéri e a encefalopatia27 de Wernicke. Outros usos incluem o tratamento da neuropatia29 óptica, mielinólise pontina central e síndrome22 de Leigh, entre outras condições. A tiamina normalmente é administrada por via oral, mas também pode ser administrada por injeção30 intravenosa ou intramuscular. Está disponível como medicamento genérico de venda livre.

Suplementos alimentares também estão disponíveis para tratar e prevenir a deficiência de tiamina e os distúrbios que resultam dela. Os suplementos de tiamina são bem tolerados. Reações alérgicas, incluindo anafilaxia31, podem ocorrer quando doses repetidas são administradas por injeção30.

Veja também sobre "Beribéri", "Doenças desmielinizantes32" e "Síndrome22 de Wernicke-Korsakof".

 

ABCMED, 2019. Importância da tiamina para o organismo. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1339073/importancia+da+tiamina+para+o+organismo.htm>. Acesso em: 14 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
4 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
5 Sistema circulatório: O sistema circulatório ou cardiovascular é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
6 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
7 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
8 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
9 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
10 Acetilcolina: A acetilcolina é um neurotransmissor do sistema colinérgico amplamente distribuído no sistema nervoso autônomo.
11 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
12 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
13 Ácido clorídrico: Ácido clorídrico ou ácido muriático é uma solução aquosa, ácida e queimativa, normalmente utilizado como reagente químico. É um dos ácidos que se ioniza completamente em solução aquosa.
14 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
15 Tônus muscular: Estado de tensão elástica (contração ligeira) que o músculo apresenta em repouso e que lhe permite iniciar a contração imediatamente depois de receber o impulso dos centros nervosos. Num estado de relaxamento completo (sem tônus), o músculo levaria mais tempo para iniciar a contração.
16 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
17 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
18 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
19 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
20 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
21 Esclerose múltipla: Doença degenerativa que afeta o sistema nervoso, produzida pela alteração na camada de mielina. Caracteriza-se por alterações sensitivas e de motilidade que evoluem através do tempo produzindo dano neurológico progressivo.
22 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
23 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
24 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
25 Ovo: 1. Célula germinativa feminina (haploide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO. 2. Em alguns animais, como aves, répteis e peixes, é a estrutura expelida do corpo da mãe, que consiste no óvulo fecundado, com as reservas alimentares e os envoltórios protetores.
26 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
27 Encefalopatia: Qualquer patologia do encéfalo. O encéfalo é um conjunto que engloba o tronco cerebral, o cerebelo e o cérebro.
28 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
29 Neuropatia: Doença do sistema nervoso. As três principais formas de neuropatia em pessoas diabéticas são a neuropatia periférica, neuropatia autonômica e mononeuropatia. A forma mais comum é a neuropatia periférica, que afeta principalmente pernas e pés.
30 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
31 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
32 Desmielinizantes: Que remove ou destrói a bainha de mielina de nervo ou trato nervoso.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.