Atalho: 6W81DNK
Gostou do artigo? Compartilhe!

O que é beribéri?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é beribéri?

O beribéri é uma doença provocada pela falta de vitamina1 B1 (tiamina) no organismo; caracterizado por alterações nervosas, cerebrais e cardíacas. A vitamina1 B1 é solúvel em água e exerce importantes funções no organismo, ajudando especialmente na degradação da glicose2 e na estruturação da bainha dos nervos. O bom funcionamento do cérebro3, o relaxamento do sistema nervoso4 e o fortalecimento do músculo do coração5 dependem de um adequado suprimento da vitamina1 B1. Quando há deficiência dessa vitamina1 no organismo aparece o beribéri, doença que é rara em países desenvolvidos, nos quais a maior parte dos alimentos é enriquecida com as vitaminas essenciais.

Quais são as causas do beribéri?

O beribéri é causado pela falta de vitamina1 B1 (tiamina) no organismo. Uma das causas de deficiência de vitamina1 B1 é a inibição da sua absorção pelo fungo6 Penicillium citreonigrum, mas outras enzimas, encontradas em peixes de rio, também podem causar idêntica deficiência. De um modo geral, as deficiências de vitamina1 B1 se dão por dieta carente de fontes dessa vitamina1, baixa absorção dela pelo intestino, diarreias prolongadas ou por hipertireoidismo7, gravidez8 e febre9.

Quais são os principais sinais10 e sintomas11 do beribéri?

Os principais sinais10 e sintomas11 de beribéri são:

  • Sensação de formigamento nos dedos dos pés, câimbras12 nas panturrilhas13, dores nas pernas e pés.
  • Insônia.
  • Cansaço.
  • Confusão mental.
  • Laringite14.
  • Visão15 dupla.

O beribéri pode dar origem a uma alteração dos músculos16 cardíacos pela deficiência da vitamina1 B1 e levar à insuficiência cardíaca17. Em lactentes18 que são amamentados por uma mãe com deficiência de vitamina1 B1 pode haver um beribéri infantil, caracterizado por insuficiência cardíaca17, perda da voz, lesão19 de nervos periféricos, fraqueza muscular e dificuldades respiratórias.

Como o médico diagnostica o beribéri?

O diagnóstico20 do beribéri depende de uma boa história clínica e de um acurado exame físico, que poderá mostrar: dificuldade de respirar, veias jugulares21 salientes, aumento no tamanho do coração5, líquido nas bases pulmonares, frequência cardíaca acelerada, inchaço22 nas pernas, confusão mental, perda de memória, delírios e perda de sensibilidade. O exame neurológico pode mostrar alterações no caminhar, incoordenação motora e diminuição dos reflexos. Além disso, os exames laboratoriais de sangue23 podem detectar doses baixas de tiamina.

Como o médico trata o beribéri?

O tratamento do beribéri consiste na administração de vitamina1 B1, a princípio por via venosa e a seguir por via oral. A vitamina1 B1 não traz malefícios quando consumida em quantidades elevadas, sendo o excesso dela eliminado pela urina24.

Como prevenir o beribéri?

Incentivar o uso diário de alimentos que sejam fontes de vitamina1 B1, como leveduras, carnes de porco, leite, ovos, legumes e cereais integrais.

Como evolui o beribéri?

O beribéri é de facil tratamento, mas casos graves não tratados podem levar à cegueira, paralisia25 e mesmo à morte.

ABCMED, 2013. O que é beribéri?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/343944/o+que+e+beriberi.htm>. Acesso em: 16 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
3 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
4 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
5 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
6 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
7 Hipertireoidismo: Doença caracterizada por um aumento anormal da atividade dos hormônios tireoidianos. Pode ser produzido pela administração externa de hormônios tireoidianos (hipertireoidismo iatrogênico) ou pelo aumento de uma produção destes nas glândulas tireóideas. Seus sintomas, entre outros, são taquicardia, tremores finos, perda de peso, hiperatividade, exoftalmia.
8 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
9 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
10 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
11 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Câimbras: Contrações involuntárias, espasmódicas e dolorosas de um ou mais músculos.
13 Panturrilhas: 1. Proeminência muscular, situada na face posterossuperior da perna, formada especialmente pelos músculos gastrocnêmio e sóleo; sura, barriga da perna. 2. Por extensão de sentido, enchimento usado por baixo das meias, para melhorar a aparência das pernas.
14 Laringite: Inflamação da mucosa que recobre a laringe. É muito freqüente durante os meses frios, e é produzida por uma infecção viral. Apresenta-se com dor, alterações da fonação (disfonia), tosse e febre.
15 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
16 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
17 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
18 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
19 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
20 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
21 Veias Jugulares: Veias do pescoço que drenam o cérebro, a face e o pescoço para as veias braquiocefálica ou subclávia.
22 Inchaço: Inchação, edema.
23 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
24 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
25 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.