Atalho: 62WETJB
Gostou do artigo? Compartilhe!

Osteoporose. O que é?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é osteoporose1?

É uma doença crônica em que os ossos tornam-se mais porosos e frágeis, ou seja, ficam com maior tendência a fraturas. Os ossos mais frequentemente fraturados são os da coluna vertebral2, do quadril e dos punhos.

A perda de massa óssea, na maioria das vezes, é silenciosa e progressiva, não levando a sintomas3 facilmente identificáveis.

Apesar de ser uma doença comum em idosos, a prevenção deve começar ainda na infância através de um estilo de vida saudável.


Quem têm osteoporose1?

Segundo informações da International Osteoporosis Foundation, uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens, acima de 50 anos, sofrerá uma fratura4 decorrente da osteoporose1. Este número muda para uma em cada duas mulheres e um em cada três homens a partir dos 60 anos.

Ela pode instalar-se em qualquer idade ou sexo, mas é mais comum em mulheres idosas.


Quais são os sintomas3?

Na maioria das vezes, o primeiro sinal5 de osteoporose1 é uma fratura4. Em alguns casos, pode-se encontrar uma perda de estatura como o único sinal5 visível de que uma pessoa tem osteoporose1 e já apresentou fraturas na coluna vertebral2.

Como é considerada uma “epidemia silenciosa” pela ausência de sintomas3, os médicos devem orientar a prevenção e realizar exames complementares para o seu diagnóstico6 precoce.


Quais são as causas?

Muitos fatores de risco podem estar associados à perda óssea e à osteoporose1. Alguns deles podem ser modificados, outros não. Mas mesmo aqueles que não podem ser alterados, alertam quem está em maior risco para modificar o estilo de vida na procura de prevenir as complicações da doença.


Fatores de risco que não podem ser modificados:

  • Sexo: mulheres são mais acometidas pela osteoporose1 do que os homens.
  • Idade: quanto mais a idade avança, mais aumenta o risco de osteoporose1.
  • Etnia: mulheres brancas e asiáticas estão em maior risco. Negras e hispânicas têm menor risco.
  • História familiar: a osteoporose1 tem tendência familiar. Caso um membro de sua família tenha osteoporose1 ou quebre um osso, há uma maior chance de você ter os mesmos problemas.
  • Menopausa7 precoce (antes dos 45 anos): a queda nos níveis de estrogênio acelera a perda óssea nesta fase da vida.
  • Uso de medicamentos como corticoides, anticonvulsivantes e alguns medicamentos para a tireoide8 por longo período de tempo podem diminuir a densidade óssea.
  • Baixa estatura.
  • História de fraturas prévias.
  • Artrite reumatoide9.
  • Hipogonadismo primário e secundário em homens.


Fatores de risco que podem ser modificados:

  • Hormônios sexuais: níveis mais baixos de estrogênio estão relacionados a irregularidades do ciclo menstrual ou à menopausa7. Eles podem causar a osteoporose1 feminina. Os baixos níveis de testosterona podem levar um homem a ter osteoporose1.
  • Anorexia nervosa10: esta alteração do apetite pode estar ligada à osteoporose1.
  • Ingestão de cálcio e vitamina11 D: uma dieta com baixa ingestão de cálcio e vitamina11 D torna mais provável a perda de massa óssea.
    Uso de medicamentos: alguns medicamentos aumentam o risco de osteoporose1.
  • Nível de atividade física: a falta de exercício físico pode causar fraqueza óssea. O mesmo ocorre com pessoas que ficam acamadas por longos períodos.
  • Fumo: os cigarros prejudicam os ossos, os pulmões12 e o coração13.
  • Bebidas alcóolicas: a ingestão excessiva de bebidas alcóolicas pode causar perda óssea e quedas.
  • Consumo exagerado de café.
  • Quedas frequentes.
  • Peso corporal abaixo do normal (ou seja, índice de massa corporal14 abaixo de 18,5 kg/m²).


Como diagnosticar a osteoporose1?

A densitometria15 óssea é o melhor exame para avaliar os seus ossos. Ele pode diagnosticar a osteoporose1, checar a força óssea e verificar se o tratamento está sendo adequado.

Procure um médico - um clínico geral, um endocrinologista16 ou um ortopedista, para orientá-lo sobre a prevenção, o diagnóstico6 e o tratamento da osteoporose1.


Como é o tratamento da osteoporose1?

O tratamento inclui:

  • Dieta balanceada em cálcio e vitamina11 D
  • Um plano de exercícios físicos regulares
  • Estilo de vida saudável
  • Medicamentos, quando necessário.


Fontes:

National Institutes of Arthritis and Musculoskeletal and Skin Diseases
International Osteoporosis Foundation (IOF)

ABCMED, 2009. Osteoporose. O que é?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-do-idoso/38403/osteoporose+o+que+e.htm>. Acesso em: 16 nov. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
2 Coluna vertebral:
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
5 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
6 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
7 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
8 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
9 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
10 Anorexia nervosa: Distúrbio alimentar caracterizado por uma alteração da imagem corporal associado à anorexia.
11 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
12 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
13 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
14 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
15 Densitometria: Medição de densidade óptica em chapas fotográficas.
16 Endocrinologista: Médico que trata pessoas que apresentam problemas nas glândulas endócrinas.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Endocrinologia e Metabologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

09/03/2014 - Comentário feito por dilene
Re: Osteoporose. O que é?
meu pai tem osteoporose ele centir uma dor de mais gostaria de aruma um medico para te uma comsulta para te um remedio para alivia a dor esta de mais

  • Entrar
  • Assinar