Atalho: 6VX7VUT
Gostou do artigo? Compartilhe!

Manchas escuras na pele: por que aparecem?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são manchas escuras na pele1?

As sardas e pintas são as manchas escuras na pele1 mais comuns nas crianças e nos jovens. Além delas, há também as manchas provocadas pelo envelhecimento. De todas as manchas na pele1 existem aquelas que mudam de cor e aspecto e outras que são permanentes. Em geral, as manchas escuras na pele1 são o resultado da deposição circunscrita de substâncias que emprestam à pele1 uma coloração escura, mais frequentemente melanina2, mas também podem dever-se a infecções3, micoses, alterações vasculares4, tumores, exposições solares e acne5.

A melanina2 é a substância que empresta coloração à pele1 e que, na dependência de sua concentração, pode torná-la clara, morena ou negra. Sobretudo em pessoas de pele1 clara a melanina2 pode concentrar-se em áreas específicas, formando manchas que podem existir de maneira permanente, desde o princípio da vida, ou aparecerem mais tardiamente. Algumas dessas manchas, por sua localização e feitio especiais, conferem certo charme à pessoa que as possui e são chamadas pintas. Outras são puntiformes e disseminadas em certas áreas da pele1 e são chamadas sardas.

Dependendo da sua natureza, as manchas escuras na pele1 podem ser permanentes ou transitórias, grandes ou pequenas, ter bordas bem delimitadas ou difusas, serem planas ou salientes, permanecerem sempre da mesma cor e aspecto ou sofrerem mudanças, etc.

Manchas escuras na pele

Quais são as causas das manchas escuras na pele1?

A maior parte das manchas escuras da pele1 existe por deposição de melanina2. Normalmente, a melanina2 está uniformemente distribuída por toda a pele1 e fornece a sua coloração. Quando a distribuição deste pigmento é irregular, produz manchas que podem ser escuras, quando há acúmulo localizado da substância, ou claras, nos casos em que há diminuição da concentração dela. As manchas escuras, todas elas, agravam-se pela exposição ao sol. Essa é a causa mais comum de acúmulo de melanina2 em certas áreas do corpo. Além disso, as alterações hormonais também podem causar manchas escuras na pele1, casos em que as manchas ocorrem principalmente em determinados períodos da vida, tais como gravidez6, menarca7, etc. Também o uso de certos medicamentos (anti-histamínicos e antibióticos) e cosméticos, reforçados pela exposição ao sol, podem gerar manchas escuras na pele1.

Algumas manchas escuras na pele1 são de natureza genética; existem desde o início da vida. Outras aparecem ou se modificam mais tarde, como as manchas neoplásicas8 ou as que ocorrem em decorrência da exposição ao sol, por exemplo.

Quais são os principais cuidados com as manchas escuras na pele1?

Deve-se ter cuidado com as manchas existentes há muito tempo que começam a mudar suas características e com as de aparecimento recente, devido à possibilidade de que tenham uma evolução maligna. Elas devem ser logo motivo de uma consulta ao dermatologista.

Como o médico diagnostica a natureza das manchas escuras na pele1?

Há diversos tipos de manchas escuras da pele1. O médico procurará determinar a natureza delas.

  • Sardas: são pequenas manchas castanhas que acontecem em indivíduos geneticamente predispostos, de pele1 clara e cabelos loiros ou ruivos, na maioria das vezes. Têm distribuição simétrica na face9, antebraços, braços, ombros e porção superior do tronco.
  • Melasmas10: caracterizam-se por uma pigmentação acastanhada que aparece nas áreas do corpo mais expostas à luz solar, como rosto, braços e colo11. O problema do melasma12 é apenas estético, já que ele não apresenta riscos para a saúde13. Essas manchas são mais comuns em mulheres, embora possam ocorrer também nos homens, causadas ou agravadas pelo uso de anticoncepcionais, pela gestação ou pela reposição hormonal.
  • Melanoses solares: indevidamente chamadas de manchas senis ou “manchas da idade”, elas não são causadas pela idade e sim pela exposição crônica ao sol. São manchas marrons arredondadas, localizadas nas áreas expostas, sendo muito comuns no dorso14 das mãos15.
  • Acantose nigricans16: manchas escuras principalmente nas dobras cutâneas17, sobretudo nas virilhas, axilas e pescoço18. É mais comum em pessoas negras e pode estar associada a algum distúrbio hormonal ou ser provocada pelo uso de anticoncepcionais orais.
  • Câncer19 da pele1: quaisquer saliências, marcas, feridas ou pigmentações que surjam e quaisquer modificações das manchas que já existem devem ser prontamente avaliadas pelo dermatologista, em virtude do risco de câncer19. Há três tipos principais de câncer19 de pele1, são eles:
  1. O carcinoma20 basocelular, que é o mais vulgar, principia como um pequeno nódulo21 no rosto, pescoço18 ou mãos15. Não se dissemina através da linfa22 ou do sangue23, sendo, por isso, facilmente curável.
  2. O carcinoma20 das células24 escamosas, que começa como uma mancha ou um pequeno nódulo21 firme e indolor e cresce mais rapidamente que o carcinoma20 basocelular. Tem possibilidade de disseminar-se para os outros órgãos.
  3. O melanoma25 maligno, que é o mais grave de todos os cânceres de pele1, porque se dissemina rapidamente por todo o corpo. Na verdade é um dos tumores mais malignos, devido à sua capacidade de disseminação muito precoce. Geralmente aparece como modificação de uma pinta (nevo26) pré-existente ou surge subitamente em qualquer parte da pele1.
  • Hipercromia residual: coloração escura que pode ficar na pele1 como resíduo de processos inflamatórios agudos ou crônicos.

Como se trata as manchas escuras na pele1?

O tratamento das manchas escuras na pele1 deve sempre ser conduzido por um dermatologista e dependerá de sua natureza e gravidade. Há pequenas lesões27 que parecem insignificantes, mas que podem ser muito graves, e lesões27 muito extensas e feias que não têm maior significância clínica. Hoje em dia existem medicamentos e tratamentos estéticos específicos que procuram clarear as manchas escuras de natureza benigna. As de natureza maligna sempre exigirão cirurgia. Tenha cuidado com as receitas caseiras e com a aplicação de cremes de eficácia não comprovada.

Como prevenir as manchas escuras na pele1?

  • Usar bloqueador solar, de preferência, com fator de proteção solar superior a 30.
  • Não usar desodorantes ou cremes que contenham álcool.
  • Usar bastante creme hidratante específico para o seu tipo de pele1.
  • Depilar com cera ou laser; nunca com lâmina.

Como evoluem as manchas escuras na pele1?

Algumas manchas escuras pré-existentes ou que surjam como novidade podem se malignizar (se tornar câncer19). Por isso, você deve examinar sua pele1 periodicamente para detectar eventuais modificações.

ABCMED, 2013. Manchas escuras na pele: por que aparecem?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/342999/manchas+escuras+na+pele+por+que+aparecem.htm>. Acesso em: 6 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
2 Melanina: Cada uma das diversas proteínas de cor marrom ou preta, encontrada como pigmento em vegetais e animais.
3 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
5 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
6 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
7 Menarca: Refere-se à ocorrência da primeira menstruação.
8 Neoplásicas: Que apresentam neoplasias, ou seja, que apresentam processo patológico que resulta no desenvolvimento de neoplasma ou tumor. Um neoplasma é uma neoformação de crescimento anormal, incontrolado e progressivo de tecido, mediante proliferação celular.
9 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
10 Melasmas: Manchas escuras na face. O seu surgimento está relacionado à gravidez. Além dos fatores hormonais e da exposição solar, a tendência genética e características raciais também influenciam o seu surgimento. O cloasma gravídico pode desaparecer espontaneamente após a gravidez, não exigindo, às vezes, nenhum tipo de tratamento.
11 Colo: O segmento do INTESTINO GROSSO entre o CECO e o RETO. Inclui o COLO ASCENDENTE; o COLO TRANSVERSO; o COLO DESCENDENTE e o COLO SIGMÓIDE.
12 Melasma: Manchas escuras na face. O seu surgimento está relacionado à gravidez ou ao uso de anticoncepcionais hormonais (pílula) e tem como fator desencadeante a exposição da pele ao sol. Quando estas manchas ocorrem durante a gravidez, recebem a denominação de cloasma gravídico. Além dos fatores hormonais e da exposição solar, a tendência genética e características raciais também influenciam o surgimento do melasma.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
14 Dorso: Face superior ou posterior de qualquer parte do corpo. Na anatomia geral, é a região posterior do tronco correspondente às vértebras; costas.
15 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
16 Acantose nigricans: Alteração na coloração da pele que fica escurecida em regiões de dobras. Comum em pessoas obesas e naquelas que apresentam resistência insulínica. É vista em pacientes com diabetes tipo 2 e naqueles com pré-diabetes.
17 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
18 Pescoço:
19 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
20 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
21 Nódulo: Lesão de consistência sólida, maior do que 0,5cm de diâmetro, saliente na hipoderme. Em geral não produz alteração na epiderme que a recobre.
22 Linfa: 1. Pode referir-se à água, especialmente a límpida, no uso formal. 2. Líquido orgânico originado do sangue, composto de proteínas e lipídios, que circula nos vasos linfáticos e transporta glóbulos brancos, especialmente os linfócitos T. 3. Qualquer humor aquoso.
23 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
24 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
25 Melanoma: Neoplasia maligna que deriva dos melanócitos (as células responsáveis pela produção do principal pigmento cutâneo). Mais freqüente em pessoas de pele clara e exposta ao sol.Podem derivar de manchas prévias que mudam de cor ou sangram por traumatismos mínimos, ou instalar-se em pele previamente sã.
26 Nevo: Popularmente conhecido como “pinta“ ou sinal de nascença“. É uma mancha na pele que pode ser uma lesão plana ou elevada, pigmentada (de cor marrom, cinza, azul ou preto) ou não e pode apresentar potencial de malignização dependendo do tipo.
27 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

05/01/2014 - Comentário feito por Aida
Re: Manchas escuras na pele: por que aparecem?
Obrigada pela ajuda , este informativo esclareceu boa parte das minhas dúvidas. Vou procurar meu dermatologista na segunda feira .

21/07/2013 - Comentário feito por Gabriele
Re: Manchas escuras na pele: por que aparecem?
Obg isso ajudou muito tiirei muitas duvidas ! muito bom ajudou de mais ..

  • Entrar
  • Assinar