Gostou do artigo? Compartilhe!

A formação dos edemas e suas causas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é edema1?

Edema1 é o termo médico utilizado para descrever o acúmulo anormal de líquido nos espaços intersticiais do tecido2 corporal, resultante do extravasamento a partir do interior dos capilares3. O líquido predominante é água, mas, conforme o caso, pode haver acúmulo de líquido rico em células4 e proteínas5.

Os edemas6 se expressam por meio de inchaços e geralmente ocorrem nas extremidades do corpo, como pernas, tornozelos e pés, mas também pode ocorrer em outras áreas, como pulmões7, cérebro8 ou abdômen.

Quais são as principais causas dos edemas6?

As principais causas de edema1 incluem:

  • Insuficiência cardíaca9, porque quando o coração10 não consegue bombear o sangue11 de forma eficiente, ocorre acúmulo de fluido nos tecidos.
  • A disfunção renal12 também pode levar à retenção de líquidos e, consequentemente, ao edema1.
  • As doenças hepáticas13, em razão da baixa de proteínas5 e da pressão osmótica14 no sangue11.
  • Traumas ou infecções15 podem levar ao aumento da permeabilidade16 dos vasos sanguíneos17, permitindo o extravasamento de líquido para os tecidos circundantes.
  • A obstrução dos vasos linfáticos, porque a linfa18 é um líquido que circula pelo sistema linfático19 e ajuda a drenar os fluidos dos tecidos. Quando esse sistema está obstruído, o edema1 pode se desenvolver.
  • As mudanças hormonais e o aumento da pressão nas veias20 durante a gravidez21 também podem levar ao edema1.
  • Alguns tipos de alergias podem causar edema1 localizado na área afetada.

Qual é o substrato fisiopatológico dos edemas6?

Há diversos mecanismos que possibilitam o extravasamento de líquidos para os tecidos e a formação de edemas6. Alguns dos mais comuns são:

  • Quando a pressão dentro dos vasos sanguíneos17 aumenta, fazendo com que o líquido seja “empurrado” para fora, para os tecidos circundantes. Isso pode acontecer em situações como insuficiência cardíaca9, em que o coração10 não bombeia adequadamente, ou em casos de obstrução venosa.
  • Quando a pressão osmótica14 no interior dos vasos diminui. Uma pressão osmótica14 equilibrada nos capilares3 sanguíneos é essencial para “puxar” e manter o líquido dentro dos vasos e, se ela diminuir, o líquido pode extravasar para os tecidos. Isso pode ser causado por doenças hepáticas13, insuficiência renal22 ou síndrome nefrótica23.
  • A inflamação24 local pode aumentar a permeabilidade16 dos capilares3, facilitando o extravasamento de líquidos e células sanguíneas25 para os tecidos circundantes.
  • A obstrução linfática pode fazer a linfa18 se acumular e causar edema1. Afinal, o sistema linfático19 é responsável por drenar o excesso de líquido dos tecidos.
  • Traumas, ferimentos, queimaduras e outras lesões26 podem danificar os vasos sanguíneos17 e causar extravasamento de líquidos.

O extravasamento de líquidos é contrabalanceado pela reabsorção: uma parte do líquido extravasado é retomada pelos capilares3 de volta à corrente sanguínea. Esse equilíbrio faz com que, cessada a causa, o edema1 se desfaça naturalmente.

Quais são os tipos de edemas6?

Os edemas6 podem ser classificados segundo diversos parâmetros. Segundo sua localização, podem ser:

  1. generalizado, que afeta todo o corpo e é frequentemente associado a condições médicas subjacentes, como insuficiência cardíaca congestiva27, doenças renais ou hepáticas13;
  2. ou localizado, ocorrendo em uma área específica do corpo, como tornozelos, pés ou mãos28, uni ou bilateral, superficial, profundo ou cavitário.

Do ponto de vista de suas causas, podem ser:

  1. inflamatórios, como resposta a lesões26, infecções15 ou doenças autoimunes29;
  2. linfedemas, quando há obstrução do sistema linfático19;
  3. ou devidos à insuficiência cardíaca9 ou a doenças renais ou hepáticas13;
  4. angioedema30, de origem alérgica.

Segundo sua gravidade, são ditos:

  1. leves, quando embora perceptível, não causa desconforto significativo;
  2. moderado, se o inchaço31 é mais pronunciado e causa desconforto e limita a mobilidade;
  3. e edema1 grave, causando dor e dificuldade na movimentação.
Leia mais sobre "Edema1 de glote32", "Edema1 cerebral", "Edema pulmonar33" e "Edema1 dos membros inferiores".

Quais são as características clínicas dos edemas6?

A característica clínica mais saliente de um edema1 é o acúmulo anormal de fluido nos tecidos do corpo, levando a um inchaço31 visível e aumento de volume na área afetada. Algumas outras características clínicas comuns associadas aos edemas6 são:

  • peso e sensação de tensão na área afetada, devido ao acúmulo excessivo de líquido nos tecidos;
  • pele34 brilhante ou esticada, devido à distensão causada pelo líquido acumulado;
  • dor ou desconforto, especialmente se houver pressão sobre a área afetada;
  • e o inchaço31 pode dificultar o movimento normal da articulação35 ou membro afetado.

Como o médico diagnostica os edemas6?

A primeira constatação de um edema1 é feita pela inspeção36 visual que mostra um aumento de volume da área afetada. No entanto, as características clínicas que indicam a presença de um edema1 podem variar muito, dependendo da causa subjacente.

Um sinal37 objetivo que permite constatar a existência de um edema1 consiste em pressionar suavemente a pele34 da área suspeita de modo a deixar uma impressão de dedo temporária (depressão), conhecida como "fóvea", que se desfaz mais rápida ou lentamente, dependendo do tipo de edema1.

Como o médico trata tipos de edemas6?

O tratamento do edema1 depende da sua causa subjacente. Em geral, removida a causa subjacente, o edema1 desaparece em poucos dias. Além disso, o tratamento do sintoma38 edematoso, sem levar em conta sua causa, pode envolver o uso de medicamentos diuréticos39, mudanças na dieta, elevação das pernas para ajudar na drenagem40, compressão ou outros tratamentos específicos de acordo com a situação clínica do paciente.

Veja sobre "Síndrome nefrótica23", "Retenção de água no organismo", "Hipotireoidismo41" e "Anasarca".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites do NHS - National Health Service e da Biology Online.

ABCMED, 2023. A formação dos edemas e suas causas. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1460970/a-formacao-dos-edemas-e-suas-causas.htm>. Acesso em: 21 mai. 2024.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
2 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
3 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
6 Edemas: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
7 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
8 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
9 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
10 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
11 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
12 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
13 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
14 Osmótica: Relativo à osmose, ou seja, ao fluxo do solvente de uma solução pouco concentrada, em direção a outra mais concentrada, que se dá através de uma membrana semipermeável.
15 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
16 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
17 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
18 Linfa: 1. Pode referir-se à água, especialmente a límpida, no uso formal. 2. Líquido orgânico originado do sangue, composto de proteínas e lipídios, que circula nos vasos linfáticos e transporta glóbulos brancos, especialmente os linfócitos T. 3. Qualquer humor aquoso.
19 Sistema Linfático: Um sistema de órgãos e tecidos que processa e transporta células imunes e LINFA.
20 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
21 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
22 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
23 Síndrome nefrótica: Doença que afeta os rins. Caracteriza-se pela eliminação de proteínas através da urina, com diminuição nos níveis de albumina do plasma. As pessoas com síndrome nefrótica apresentam edema, eliminação de urina espumosa, aumento dos lipídeos do sangue, etc.
24 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
25 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
26 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
27 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
28 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
29 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
30 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
31 Inchaço: Inchação, edema.
32 Glote: Aparato vocal da laringe. Consiste das cordas vocais verdadeiras (pregas vocais) e da abertura entre elas (rima da glote).
33 Edema pulmonar: Acúmulo anormal de líquidos nos pulmões. Pode levar a dificuldades nas trocas gasosas e dificuldade respiratória.
34 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
35 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
36 Inspeção: 1. Ato ou efeito de inspecionar; exame, vistoria, inspecionamento. 2. Ato ou efeito de fiscalizar; fiscalização, supervisão, observação. 3. Exame feito por inspetor (es).
37 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
38 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
39 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
40 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
41 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.