Gostou do artigo? Compartilhe!

Calcificação das artérias

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é calcificação1 das artérias2?

A calcificação1 das artérias2 é um processo gradual e progressivo de deposição de cálcio na parede dos vasos, observado na maioria das pessoas após a sexta década da vida. Isto conduz a uma redução da elasticidade3 arterial e a uma propensão aumentada para a morbidade4 e a mortalidade5 devido aos transtornos na hemodinâmica6 cardiovascular.

Quais são as causas de calcificação1 das artérias2?

Os principais fatores de risco para a presença excessiva de cálcio nas artérias2 são os mesmos das doenças cardiovasculares7: tabagismo, sedentarismo8, hipertensão arterial9, diabetes10 e dislipidemia (presença excessiva de gordura11 no sangue12: colesterol13 e triglicérides14).

Qual é o substrato fisiológico15 de calcificação1 das artérias2?

A calcificação1 arterial consiste principalmente em precipitações de sal do cálcio na parede das artérias2, similarmente ao que é encontrado no osso. Há diversos fatores que criam uma maior propensão a essa patologia16, como idade avançada, ascendência africana, colesterol13 alto, tabagismo e hipertensão17. Diversas proteínas18 foram identificadas desempenhando um papel na calcificação1 vascular19; algumas num sentido inibitório e outras num sentido ativador.

Quando a calcificação1 acontece na aorta20 (a artéria21 de saída do coração22 e principal vaso do corpo humano23) ela pode conduzir à insuficiência cardíaca congestiva24, uma vez que impõe ao coração22 uma carga de trabalho aumentada, resultante da necessidade de que as contrações cardíacas sejam mais vigorosas. Essa carga aumentada sobre o coração22 conduz a um tamanho ventricular esquerdo aumentado e, com o tempo, à deficiência diastólica. Se a calcificação1 se der sobre a válvula aórtica, que separa o coração22 da artéria21 aorta20, levará a uma redução do fluxo aórtico, com risco de vida. Em suma, os depósitos em qualquer vaso causam os prejuízos às respostas vasomotoras necessárias a uma circulação25 normal.

Leia também sobre “Acidente vascular cerebral26 em jovens”, “Dor no peito27” e “Níveis altos de triglicérides14 - o que fazer”.

Um caso especial de calcificação1 das artérias2: calcificação1 da aorta20

Um caso especial de calcificação1 das artérias2 é o que acontece devido ao acúmulo de cálcio no interior da artéria21 aorta20, porque isso dificulta a passagem do sangue12 bombeado pelo coração22 no maior vaso do corpo humano23. Além disso, principalmente nas pessoas com colesterol13 elevado pode ainda ocorrer uma calcificação1 ateromatosa na qual, junto ao cálcio acumulado se deposita uma placa28 de gordura11, formando um ateroma. Tudo isso aumenta muito o risco de complicações graves como infarto do miocárdio29 ou acidente vascular cerebral26.

As chances que uma pessoa tem de ter uma calcificação1 da aorta20 aumenta com a idade e a suplementação30 excessiva de cálcio, a febre reumática31, a existência de doenças cardíacas, insuficiência renal32, presença de placas33 de ateromas em outros locais, colesterol13 alto, excesso de peso, tabagismo e consumo imoderado de bebidas alcoólicas.

Em geral, os sintomas34 da calcificação1 da aorta20, embora difíceis de identificar, normalmente incluem dor no peito27 ou no abdômen em forma de pontada ou aperto, principalmente durante esforços físicos; cansaço fácil; palpitações35 cardíacas; inchaço36 nas pernas, tornozelos e pés; aumento da frequência urinária; e tonturas37 ao se levantar ou caminhar.

Além dos sintomas34, que não são específicos, o diagnóstico38 de calcificação1 da aorta20 pode ser por meio de exames como angiografia39, ecografia40, radiografia, tomografia computadorizada41 ou ressonância magnética42. Alguns outros exames podem ser pedidos para avaliar a função cardíaca.

Os medicamentos usados no tratamento da calcificação1 da aorta20 são os mesmos utilizados para baixar o colesterol13. Além disso, pessoas que tomam suplemento de cálcio podem precisar interrompê-lo ou ajustar as doses que usa, segundo orientação médica. Nos casos mais graves, em que a aorta20 está muito danificada e outras complicações aparecem, como o aneurisma43 da aorta20 ou a obstrução total desse vaso sanguíneo, o médico poderá indicar a cirurgia para retirar a placa28 de cálcio da artéria21 ou para fazer uma ponte de safena, que ajudará a restabelecer a circulação25 normal de sangue12.

Deve ser observada a dieta aconselhada para baixar o colesterol13, sendo importante aumentar o consumo de frutas, verduras e legumes e evitar carnes gordurosas e produtos industrializados. Além dessa dieta, é importante fazer atividade física regularmente, parar de fumar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas, caso haja presente esses fatores.

Embora a calcificação1 da aorta20 possa se tornar uma situação grave, quando o tratamento é feito de forma adequada e com o devido acompanhamento pelo cardiologista44, é possível melhorar os sintomas34 e reduzir bastante o risco de complicações. Em casos bem-sucedidos, o tratamento pode ajudar a curar a calcificação1 e evitar que volte a surgir.

Links de interesse: “Tabagismo”, “Sedentarismo8” e “Benefícios do ômega 3 para a saúde45”.

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Mayo Clinic e da Cleveland Clinic.

ABCMED, 2021. Calcificação das artérias. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1388000/calcificacao+das+arterias.htm>. Acesso em: 27 set. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Calcificação: 1. Ato, processo ou efeito de calcificar(-se). 2. Aplicação de materiais calcíferos básicos para diminuir o grau de acidez dos solos e favorecer seu aproveitamento na agricultura. 3. Depósito de cálcio nos tecidos, que pode ser normal ou patológico. 4. Acúmulo ou depósito de carbonato de cálcio ou de carbonato de magnésio em uma camada de profundidade próxima a do limite de percolação da água no solo, que resulta em certa mobilidade deste e alteração de suas propriedades químicas.
2 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
3 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
4 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
5 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
6 Hemodinâmica: Ramo da fisiologia que estuda as leis reguladoras da circulação do sangue nos vasos sanguíneos tais como velocidade, pressão etc.
7 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
8 Sedentarismo: Qualidade de quem ou do que é sedentário, ou de quem tem vida e/ou hábitos sedentários. Sedentário é aquele que se exercita pouco, que não se movimenta muito.
9 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
10 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
11 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
12 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
13 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
14 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
15 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
16 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
17 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
18 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
19 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
20 Aorta: Principal artéria do organismo. Surge diretamente do ventrículo esquerdo e através de suas ramificações conduz o sangue a todos os órgãos do corpo.
21 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
22 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
23 Corpo humano: O corpo humano é a substância física ou estrutura total e material de cada homem. Ele divide-se em cabeça, pescoço, tronco e membros. A anatomia humana estuda as grandes estruturas e sistemas do corpo humano.
24 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
25 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
26 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
27 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
28 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
29 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
30 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
31 Febre reumática: Doença inflamatória produzida como efeito inflamatório anormal secundário a infecções repetidas por uma bactéria chamada estreptococo beta-hemolítico do grupo A. Caracteriza-se por inflamação das articulações, febre, inflamação de uma ou mais de uma estrutura cardíaca, alterações neurológicas, eritema cutâneo. Com o tratamento mais intensivo da faringite estreptocócica, a freqüência desta doença foi consideravelmente reduzida.
32 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
33 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
34 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
35 Palpitações: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
36 Inchaço: Inchação, edema.
37 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
38 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
39 Angiografia: Método diagnóstico que, através do uso de uma substância de contraste, permite observar a morfologia dos vasos sangüíneos. O contraste é injetado dentro do vaso sangüíneo e o trajeto deste é acompanhado através de radiografias seriadas da área a ser estudada.
40 Ecografia: Ecografia ou ultrassonografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
41 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
42 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
43 Aneurisma: Alargamento anormal da luz de um vaso sangüíneo. Pode ser produzida por uma alteração congênita na parede do mesmo ou por efeito de diferentes doenças (hipertensão, aterosclerose, traumatismo arterial, doença de Marfán, etc.).
44 Cardiologista: Médico especializado em tratar pessoas com problemas cardíacos.
45 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cardiologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.