Atalho: 6XVPWQD
Gostou do artigo? Compartilhe!

O que saber sobre a febre reumática?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é febre reumática1?

A febre reumática1 é uma doença inflamatória, autoimune2, causada como uma reação tardia à infecção3 pelo mesmo agente infeccioso da maioria das amigdalites. Embora esse tipo de infecção3 seja muito comum, a febre reumática1 só acomete pessoas predispostas (cerca de 2 a 4% das que sofrem amigdalites).

Quais são as causas da febre reumática1?

A febre reumática1 é uma resposta autoimune2 principalmente às infecçõs causadas pelo Streptococcus pyogenes.

A infecção3 pelo estreptococo é extremamente comum nos ambientes com menores condições de saúde4 e por isso as crianças mais pobres são as mais afetadas.

Quais são os sinais5 e sintomas6 da febre reumática1?

Classicamente, a febre7 remática acontecerá numa criança que tenha tido previamente uma amigdalite ou, mais raramente, outra infecção3 pelo estreptococo e que depois de alguns dias começa a apresentar dores articulares, inflamação8, inchaço9, calor e vermelhidão nas articulações10, com carater "migratório" entre elas. Nessa fase, podem aparecer também sintomas6 cardíacos, embora esses sintomas6 sejam pouco expressivos. Também o sistema nervoso central11 pode ser afetado, dando origem a um quadro de coreia (movimentos musculares involuntários, abruptos, sem finalidade, uni ou bilaterais e dificuldades da fala).

Como o médico diagnostica a febre reumática1?

O diagnóstico12 de suspeita da febre reumática1 pode ser feito por meio de uma boa história clínica que levante a suspeita de uma infecção3 estreptocócica anterior. Deve-se lembrar de que as manifestações da febre reumática1 podem ser muito tardias, como ocorre, por exemplo, com a coreia. Laboratorialmente, podem ainda ser realizados exames de sangue13, cultura de material da orofaringe14, pesquisa de anticorpos15 do estreptococo e uma dosagem de estreptolisina O, que estará presente em nível elevado, a não ser nas infecções16 cutâneas17 pelo Streptococcus pyogenes, na quais esta toxina18 não é produzida.

Como o médico trata a febre reumática1?

O tratamento inicial da febre reumática1 é feito, preferencialmente, com a penicilina benzatina ou, nas pessoas alérgicas à penicilina, com a eritomicina. Enquanto a primeira pode ser aplicada em dose única, injetável, a segunda deve ser tomada pelo menos por 10 dias, por via oral. Se já ocorreram comprometimentos articulares, cardíacos ou neurológicos devem ser adotados os tratamentos próprios a cada um deles. Nos pacientes que já tiveram a doença, a prevenção da infecção3 com antibióticos deve continuar por longos anos e, às vezes, pela vida inteira.

Como evolui a febre reumática1?

A febre reumática1 requer repouso absoluto no leito, principalmente quando há comprometimento cardíaco.

Quando não tratada, ela é uma doença que apresenta alta taxa de mortalidade19.

Como prevenir a febre reumática1?

Combater os estreptococos com os antibióticos adequados, sempre sob a orientação de um médico.

ABCMED, 2013. O que saber sobre a febre reumática?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/349189/o-que-saber-sobre-a-febre-reumatica.htm>. Acesso em: 8 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Febre reumática: Doença inflamatória produzida como efeito inflamatório anormal secundário a infecções repetidas por uma bactéria chamada estreptococo beta-hemolítico do grupo A. Caracteriza-se por inflamação das articulações, febre, inflamação de uma ou mais de uma estrutura cardíaca, alterações neurológicas, eritema cutâneo. Com o tratamento mais intensivo da faringite estreptocócica, a freqüência desta doença foi consideravelmente reduzida.
2 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
3 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
8 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
9 Inchaço: Inchação, edema.
10 Articulações:
11 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
12 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
13 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
14 Orofaringe: Parte mediana da faringe, entre a boca e a rinofaringe.
15 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
16 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
17 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
18 Toxina: Substância tóxica, especialmente uma proteína, produzida durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capaz de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
19 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

21/04/2013 - Comentário feito por Viviane
Re: O que saber sobre a febre reumática?
Esclarecedor... agora que entramos no inverno grande parte das pessoas despreza a infecções de garganta tratando de maneira insatisfatória o que leva ao agravamento posterior.

  • Entrar
  • Assinar