Gostou do artigo? Compartilhe!

Doenças dos pés - quais são as mais comuns?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são doenças dos pés?

As doenças dos pés são afecções1 que acometem qualquer osso, articulação2, músculo, tendão3 ou ligamento4 do pé. Geralmente, os problemas nos pés começam neles mesmos, mas podem também ser reflexo de doenças sistêmicas como diabetes5, hanseníase, gota6, artrites, etc.

Quais são as principais doenças dos pés?

Joanete

Joanete é uma deformidade óssea causada pelo desvio lateral do dedão ou do dedo mínimo do pé, deixando-o mais saliente do que o normal. Essa doença costuma ser mais frequente nas mulheres que nos homens, devido ao uso de sapatos de bicos finos, apertados ou saltos altos, que contribuem para a deformidade ou provocam o agravamento dela. O joanete provoca inchaço7, vermelhidão, aumento da sensibilidade local e ressecamento da pele8. Existem vários tratamentos caseiros e médicos para joanete. Entre eles, o escalda-pés, exercícios localizados para a articulação2, produtos ortopédicos, medicamentos tópicos e, em casos mais sérios, cirurgia de correção.

Esporão do calcâneo9

O esporão do calcâneo9 é um crescimento anormal do calcâneo9 (osso do calcanhar10), formando uma saliência óssea. Em alguns casos, o esporão pode ser sem sintomas11, mas noutros casos pode provocar dor intensa no calcanhar12 que pode gerar problemas de mobilidade ao se colocar o pé no chão e andar. O tratamento envolve medidas que aliviem a pressão sobre o calcanhar12, como perder peso, restringir as atividades físicas ou esportivas, evitar a caminhadas de longa duração, etc. O tratamento consiste na aplicação de gelo, na troca do calçado por outro mais adequado, uso de anti-inflamatórios, uso de uma palmilha ortopédica e uso de uma “bota walker” (bota imobilizadora), que distribui a carga sobre o pé. Um fisioterapeuta pode promover alongamentos ou aplicação de ondas de choque13 para melhorar a dor. A cirurgia deve ser considerada só quando os tratamentos médicos falharem.

Fascite plantar

A fascite plantar ou fasceíte plantar é um processo inflamatório que afeta a fáscia plantar14, um tecido15 fibroso, pouco elástico, que recobre a musculatura da sola do pé, desde o osso calcâneo16 até os dedos dos pés. A doença pode ocorrer quando há muita tensão ou uso excessivo da fáscia17, o que pode provocar dor e dificuldade para caminhar. Na fascite plantar, a dor no calcanhar12 normalmente é mais forte ao levantar pela manhã e dar os primeiros passos ou quando a pessoa está sentada por muito tempo e depois se levanta para caminhar. Normalmente, as dores também se agravam ao subir escadas, estar longos períodos em pé ou, pelo contrário, estar demasiado tempo em repouso antes de iniciar uma caminhada. Por sua vez, a dor tende a abrandar ao deambular18. Em alguns casos, pode verificar-se algum edema19 do próprio calcanhar12 ou até mesmo do tornozelo20.

Veja também sobre "Micose21 de unha ou onicomicose22", "circulação23 nos membros inferiores" e "Gangrena24 - saiba como ela é!"

Pé de atleta

O popular pé de atleta, também conhecido como frieira, é chamado na Medicina de Tinea pedis. Trata-se de uma infecção25 contagiosa26 que afeta a pele8 dos pés, causada por fungos do gênero Tricophyton, ou seja, é uma micose21. Como tal, seu contágio27 se dá de pessoa para pessoa ou pelo contato com superfícies e objetos contaminados. O pé de atleta é um problema comum, geralmente sem sintomas11, mas que causa grande desconforto e exige atenção porque a tendência é de que atinja áreas cada vez mais extensas. Existem diversos medicamentos que o médico pode utilizar para tratar o pé de atleta.

Rachaduras na sola dos pés

As rachaduras são fissuras28 desenvolvidas na epiderme29 dos pés após estarem submetidos a algum tipo de agressão, que pode estar relacionada com o atrito repetitivo ao andar ou com a desidratação30 no tempo seco. A pele8 perde sua elasticidade31 e algumas células32 se desgastam no processo, formando as rachaduras. Elas provocam incômodo ou até mesmo ardor33, em casos específicos. As rachaduras nos pés aparecem, principalmente, em tempo seco. Além disso, muitas pessoas costumam usar calçados mais abertos (chinelos, sandálias, etc.), favorecendo o aparecimento das fissuras28, que podem piorar se os devidos cuidados não forem tomados. O aparecimento das rachaduras pode se dever também a fatores menos comuns, de acordo com os hábitos que a pessoa tem, como, por exemplo, alimentar-se mal, andar descalço e não beber água durante o dia. Além disso, obesidade34, diabetes5, hereditariedade35 e doenças secundárias, como micoses, também podem causar rachaduras nos pés.

Mal perfurante plantar

O mal perfurante plantar é uma ulceração36 crônica que ocorre em áreas onde há a diminuição da sensibilidade protetora dos pés, sintoma37 comum em pacientes diabéticos ou com hanseníase. Se o paciente machuca o pé e não sente dor, então ele não percebe a ferida e assim a lesão38 se agrava, tornando o tratamento mais complexo. Em virtude de que a sola do pé tem uma irrigação sanguínea pobre, a cicatrização é difícil e a ferida pode funcionar como porta de entrada para infecções39 sistêmicas.

Calos e calosidades

Calos são áreas circunscritas de hiperqueratose (espessamento da camada mais externa da epiderme29) em locais de pressão ou atrito. Os calos são mais superficiais, abrangem áreas maiores da pele8 e quase sempre são assintomáticos. As calosidades são mais profundas e focais e geralmente dolorosas, sobretudo quando pressionadas pelos calçados. O tratamento é feito por abrasão manual, com ou sem a utilização de agentes queratolíticos.

Leia com detalhes sobre "Esporão do calcâneo9", "Doença arterial periférica", "Chulé - Por que acontece e como evitar" e "Unha encravada40".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites do Foot Health Facts, da Sociedade Brasileira de Dermatologia e do Johns Hopkins Medicine.

ABCMED, 2020. Doenças dos pés - quais são as mais comuns?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1381638/doencas-dos-pes-quais-sao-as-mais-comuns.htm>. Acesso em: 23 set. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
2 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
3 Tendão: Tecido fibroso pelo qual um músculo se prende a um osso.
4 Ligamento: 1. Ato ou efeito de ligar(-se). Tudo o que serve para ligar ou unir. 2. Junção ou relação entre coisas ou pessoas; ligação, conexão, união, vínculo. 3. Na anatomia geral, é um feixe fibroso que liga entre si os ossos articulados ou mantém os órgãos nas respectivas posições. É uma expansão fibrosa ou aponeurótica de aparência ligamentosa. Ou também uma prega de peritônio que serve de apoio a qualquer das vísceras abdominais. 4. Vestígio de artéria fetal ou outra estrutura que perdeu sua luz original.
5 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
6 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
7 Inchaço: Inchação, edema.
8 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
9 Calcâneo: O maior OSSO DO TARSO que está situado na parte posterior e inferior do PÉ, formando o CALCANHAR.
10 Osso do Calcanhar: O maior OSSO DO TARSO que está situado na parte posterior e inferior do PÉ, formando o CALCANHAR.
11 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Calcanhar:
13 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
14 Fáscia plantar: É uma estrutura de sustentação da sola do pé. A fáscia é uma lâmina de tecido conjuntivo que envolve cada músculo, ela tem a função de prender o músculo ao esqueleto para que este possa exercer eficientemente seu trabalho de tração ao se contrair e ela também permite o fácil deslizamento dos músculos entre si.
15 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
16 Osso Calcâneo: O maior OSSO DO TARSO que está situado na parte posterior e inferior do PÉ, formando o CALCANHAR.
17 Fáscia: Fáscia é uma bainha, uma folha ou qualquer outra agregação dissecável de tecido conjuntivo que se forma sob a pele para anexar, fechar e separar músculos e outros órgãos internos. Ela é composta de tecidos conectivos fibrosos, moles, colágenos, soltos e densos espalhados por todo o corpo. O sistema fascial interpenetra e envolve todos os órgãos, músculos, ossos e fibras nervosas, dotando o corpo de uma estrutura funcional e proporcionando um ambiente que permite que todos os sistemas corporais operem de forma integrada.
18 Deambular: Andar à toa; vaguear, passear.
19 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
20 Tornozelo: A região do membro inferior entre o PÉ e a PERNA.
21 Micose: Infecção produzida por fungos. Pode ser superficial, quando afeta apenas pele, mucosas e seus anexos, ou profunda, quando acomete órgãos profundos como pulmões, intestinos, etc.
22 Onicomicose: Micose de unha. Apresenta-se com descolamento da borda livre da unha, espessamento, manchas brancas na superfície ou deformação da unha. Quando a micose atinge a pele ao redor da unha, causa a paroníquia (“unheiro“). O contorno ungueal fica inflamado, dolorido, inchado e avermelhado e, por consequência, altera a formação da unha, que cresce ondulada.
23 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
24 Gangrena: Morte de um tecido do organismo. Na maioria dos casos é causada por ausência de fluxo sangüíneo ou infecção. Pode levar à amputação do local acometido.
25 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
26 Contagiosa: 1. Que é transmitida por contato ou contágio. 2. Que constitui veículo para o contágio. 3. Que se transmite pela intensidade, pela influência, etc.; contagiante.
27 Contágio: 1. Em infectologia, é a transmissão de doença de uma pessoa a outra, por contato direto ou indireto. 2. Na história da medicina, aplica-se a qualquer doença contagiosa. 3. No sentido figurado, é a transmissão de características negativas, de vícios, etc. ou então a reprodução involuntária de reação alheia.
28 Fissuras: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
29 Epiderme: Camada superior ou externa das duas camadas principais da pele.
30 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
31 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
32 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
33 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
34 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
35 Hereditariedade: Conjunto de eventos biológicos responsáveis pela transmissão de uma herança a seus descendentes através de seus genes. Existem dois tipos de hereditariedade: especifica e individual. A hereditariedade especifica é responsavel pela transmissão de agentes genéticos que determinam a herança de características comuns a uma determinada espécie. A hereditariedade individual designa o conjunto de agentes genéticos que atuam sobre os traços e características próprios do indivíduo que o tornam um ser diferente de todos os outros.
36 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
37 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
38 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
39 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
40 Unha encravada: Inflamação dolorosa da pele que recobre a porção lateral dos dedos do pé, produzida pela inserção da unha na profundidade do tecido mole que a rodeia. Deve ser tratada exclusivamente por médicos.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.