Atalho: 55ZUIW7
Gostou do artigo? Compartilhe!

Gota. O que é?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é gota1?

Gota1 é uma condição crônica, não contagiosa2, causada pelo depósito de cristais de ácido úrico nas articulações3. O acúmulo de ácido úrico no sangue4 pode acontecer tanto pela produção excessiva, quanto pela eliminação deficiente da substância. Mas é importante saber que nem todas as pessoas que apresentam aumento de ácido úrico no sangue4 apresentarão gota1.
  
A gota1 é uma das principais causas da artrite5 crônica e está associada a outras patologias como obesidade6, cálculos renais, alterações do colesterol7, diabetes8 e insuficiência renal9.

Aparece geralmente entre 40 e 50 anos de idade, sendo mais frequente em homens adultos do que em mulheres.


Quais são os sintomas10?

Geralmente o primeiro sintoma11 é uma crise aguda de gota1 caracterizada por uma monoartrite que acomete mais frequentemente a articulação12 do dedão do pé (hálux13) e causa uma dor insuportável nesta região, a qual tem início à noite e é intensa o suficiente para despertar a pessoa. Nem mesmo o toque do lençol no dedão do pé é suportado. Esta crise acontece pela precipitação de cristais de urato monossódico provenientes dos fluidos corporais supersaturados nos espaços articulares.

Qualquer articulação12 pode ser afetada, mas o hálux13 é  acometido em mais de 90% dos pacientes. Há edema14, cor avermelhada e calor na região.

A crise dura de 2 a 10 dias e depois tudo volta ao “normal”, fazendo com que muitos pacientes não procurem assistência médica adequada com um clínico geral ou reumatologista.

Uma nova crise pode surgir em intervalos de meses ou anos.

As crises de gota1 podem ser acompanhadas por sinais15 sistêmicos16 como aumento da frequência cardíaca, mal-estar, febre17 baixa, calafrios18 e leucocitose19.

O diagnóstico20 tardio ou a falta de um tratamento adequado pode levar a deformidades nas articulações3, conhecidas como “tofos”. Estas deformidades são comuns no cotovelo, dedos ou dorso21 das mãos22, nos pés, em qualquer outra articulação12, tendões23 ou na cartilagem24 do pavilhão auricular.

Uma outra complicação do mal acompanhamento desses pacientes é o risco de evolução para a insuficiência renal9, pela formação de cálculos de urato que podem atrapalhar o funcionamento dos rins25.


Como é feito o diagnóstico20 de gota1?

Uma primeira crise não faz o diagnóstico20 de gota1. É preciso que sejam encontrados cristais de ácido úrico no líquido aspirado da articulação12 acometida. Ou que o paciente seja acompanhado para descartar outras causas de inflamações26 articulares.

Quando há crises repetidas de monoartrite aguda dolorosa e ácido úrico elevado ou nos pacientes com doença crônica já com deformidades e alterações radiológicas típicas não há dificuldades diagnósticas.

A taxa de referência normal de ácido úrico no sangue4 é de 7,0 mg/100 ml, mas somente uma pequena parte das pessoas com aumento do ácido úrico terão gota1, cerca de 20%.


Existe cura?

Infelizmente a doença não tem cura, mas é perfeitamente possível controlar os seus sintomas10 com o seguimento adequado do tratamento instituído pelo médico assistente.


Como é o tratamento?

O tratamento é para sempre. O ácido úrico aumenta ou por problemas na eliminação renal27 ou por alterações de sua produção. Em ambas situações os defeitos são genéticos, ou seja, definitivos.

As alterações na dieta e o tratamento medicamentoso precisam ser rigorosamente seguidos, do contrário, o ácido úrico volta a subir e é uma questão de tempo para aparecerem novas crises de gota1, além de aumentar o risco de que deformidades articulares apareçam.

Atualmente, usa-se anti-inflamatórios não esteroides (AINES) nas crises agudas e colchicina somente nos pacientes que tenham contra-indicações aos AINES. Podem ser associados analgésicos28 mais potentes se necessário.

Às vezes a punção articular com agulha e seu esvaziamento causam grande alívio na dor. Pode ser necessário uma injeção29 intra-articular de corticoide.

Após passada a crise, o alopurinol é o medicamento de escolha para reduzir o ácido úrico. As doses variam bastante de pessoa para pessoa. É muito importante associar o uso de alopurinol a uma dieta específica para pacientes30 com gota1.


Como é a dieta para pessoas que têm gota1?

  • A dieta deve ser pobre em alimentos que tenham purina (ervilha, feijão, carnes vermelhas, tomate, frutos do mar, miúdos, etc.). A restrição rígida destes alimentos é recomendada principalmente no período agudo31 da doença. Após este período, o paciente pode comer proteínas32 e purinas com moderação.
  • Evitar o jejum prolongado pois, na ausência de alimentos, o corpo degrada a proteína muscular como fonte de energia e a ureia33 é um de seus subprodutos.
  • Bebidas alcóolicas devem ser restringidas, principalmente as fermentadas, já que aumentam a concentração de ácido úrico no sangue4 e facilitam sua precipitação, formando cristais dentro das articulações3. Fora das crises, as bebidas alcóolicas podem ser consumidas, mas ainda com moderação.
  • A dieta deve ser rica em carboidratos, com quantidade moderada de proteínas32 e pobre em gorduras, incluindo alimentos com baixos teores de purina.
  • A ingestão de água (pelo menos 2 litros ao dia) e de sucos naturais é uma boa opção. O ideal é manter a urina34 clara para ajudar a reduzir a formação de cálculos renais.


Outras orientações importantes:

  • Um acompanhamento com nutricionista35 pode ajudar a equilibrar melhor a dieta.
  • É comum que os pacientes com gota1 apresentem aumento dos triglicérides36. Os exercícios físicos ajudam a controlar esta alteração, além de fortalecer a musculatura e as articulações3.
  • Alguns medicamentos como diuréticos37 e o ácido acetilsalicílico podem diminuir a excreção renal27 do ácido úrico.
  • O tratamento médico não deve ser interrompido com a melhora dos sintomas10. Siga as orientações do seu médico.
ABCMED, 2009. Gota. O que é?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/52228/gota+o+que+e.htm>. Acesso em: 23 set. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
2 Contagiosa: 1. Que é transmitida por contato ou contágio. 2. Que constitui veículo para o contágio. 3. Que se transmite pela intensidade, pela influência, etc.; contagiante.
3 Articulações:
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
6 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
7 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
8 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
9 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
10 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
11 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
13 Hálux: Dedo Grande do Pé, vulgo dedão do pé.
14 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
15 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
16 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
17 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
18 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
19 Leucocitose: É o aumento no número de glóbulos brancos (leucócitos) no sangue, geralmente maior que 8.000 por mm³. Ocorre em diferentes patologias como em resposta a infecções ou processos inflamatórios. Entretanto, também pode ser o resultado de uma reação normal em certas condições como a gravidez, a menstruação e o exercício muscular.
20 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
21 Dorso: Face superior ou posterior de qualquer parte do corpo. Na anatomia geral, é a região posterior do tronco correspondente às vértebras; costas.
22 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
23 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
24 Cartilagem: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
25 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
26 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
27 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
28 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
29 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
30 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
31 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
32 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
33 Ureia: 1. Resíduo tóxico produzido pelo organismo, resulta da quebra de proteínas pelo fígado. É normalmente removida do organismo pelos rins e excretada na urina. 2. Substância azotada. Composto orgânico cristalino, incolor, de fórmula CO(NH2)2 (ou CH4N2O), com um ponto de fusão de 132,7 °C.
34 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
35 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
36 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
37 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Reumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

22/02/2015 - Comentário feito por christian
Eu tenho 42 anos tenho algumas vezes crise de ...
Eu tenho 42 anos tenho algumas vezes crise de gota e horrível uso corticoide e alopurinol no tratamento nas crises que tenho e tem funcionado e claro a dieta como carne 2 vez por semana pratico esporte ciclismo para controlar o peso.

26/11/2013 - Comentário feito por luis
tenho gota a 20 anos
já sei esses procedimentos foi muito util.estou numa crise aguda e não saio da crise já tomei remédio arcox.celebra,vimovo e minhas dores são horríveis na quadril e não passa o que faço pelo amor de DEUS!

26/11/2013 - Comentário feito por luis
Re: Gota. O que é?
tenho gota a mais de 20 anos tenho 47 anos estou numa crise a mais de 8 meses estou me tratando com reumatologista ,ortopedista,fisioterapeuta mais esses médicos não encontram a solução do meu problema estou tomando,coxixina,alopurinol,glicolive estou tomando e arcox,celebra e vimovo estou tomando e não fico bom não sei mais o que faço me ajudem por favor. esse esclarecimento foi ótimo esta de parabéns

17/08/2012 - Comentário feito por Joás
Re: Gota. O que é?
Vasculhei a internete à procura de informações (doença e prevenção), tendo "encontrado desencontros" quanto à alimentação. Há muitos artigos que condenam alguns alimentos aqui encontrados, como frutas, em geral. Um médico me aconselhou a só comê-las cozidas, pois têm bastante potássio, um dos causadores da elevação do ácido úrico. Até a alface e o chuchu são, por uns, considerados inimigos, inclusive a maioria de legumes! E então?
Por enquanto, meus alimentos são: arroz, sem tempero, exceto o sal "light" (escorrido), macarrão (sem molhos), peito de frango escorrido(s/ pele, c/ sal, colorau e um pouco de cominho). Para o jantar ou café da manhã, bananas "São Tomé", "da terra", cozidas. E agora? O que me dizem os nutricionistas e médicos?
Por enquanto, a gota está sob controle...

10/07/2012 - Comentário feito por Antonio
Re: Gota. O que é?
Perfeito! Gostei da orientação, só queria acrescentar mais uma coisa creiam em Deus, primeirmente, peçam com fé a Ele e ele te curará, caso contrário use os procedimentos aconselhados,. Um abraço!!

06/10/2011 - Comentário feito por Aurenice
Re: Gota. O que é?
Explicações muito interessantes, capazes de ajudar ao paciente a relatar ao médico os sintomas com mais precisão, facilitando, assim, o diagnóstico e o tratamento.

12/07/2011 - Comentário feito por josé
Re: Gota. O que é?
parabens pelo texto, só quem tem esse problema sabe da gravidade do mesmo.

22/04/2011 - Comentário feito por romilda
Re: Gota. O que é?
Parabéns à equipe responsável pelas informações deste site. Muito bem feito e bem explicativo, com linguagem bem acessível a qualquer pessoa.

11/01/2011 - Comentário feito por Viviane
Re: Gota. O que é?


Parabéns à equipe responsável pelas informações deste site. Muito bem feito e bem explicativo, com linguagem bem acessível a qualquer brasileiro.

Abs, Feliz 2011 a todos

03/01/2011 - Comentário feito por Guerra
Re: Gota. O que é?
Tenho gota a mais de 20 anos. Parei de tomar cerveja e bebida destilada não apareceu mais a crise. No fim de ano tomei umas chapanhe e cerveja aí tudo voltou. Então o problema maior é a bebida.

  • Entrar
  • Assinar