Gostou do artigo? Compartilhe!

Prótese peniana

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é prótese1 peniana?

As próteses penianas são dispositivos feitos de silicone, implantados dentro do pênis2, de modo a que não fiquem externamente aparentes. Elas têm o objetivo de substituir os corpos cavernosos (tecido3 peniano responsável pela ereção4) e exercer a função deles, de modo que o homem estará sempre pronto para a realização de um ato sexual. Por este motivo, as próteses são consideradas o tratamento definitivo da disfunção erétil.

Por que colocar uma prótese1 peniana?

Para grande número de homens, a disfunção erétil é um dos mais perturbadores transtornos que podem ocorrer à sua saúde5. Daí que se torna de máxima importância tratá-la ou corrigi-la de algum modo. Na maioria das vezes, a disfunção erétil pode ser exitosamente tratada por meio de medicamentos ou com o uso de uma bomba peniana de constrição6 a vácuo, um dispositivo mecânico que ajuda a realizar e manter uma ereção4 peniana. Já outros casos necessitarão algum tipo de prótese1 para realizar essa função.

Contudo, os implantes penianos não são a solução para os demais casos de disfunção erétil. Eles não devem ser feitos se o problema puder ser resolvido com medicamentos, se a questão for situacional e potencialmente reversível ou se é resultante de qualquer outra condição da saúde5 que possa ser tratada. O paciente só deve considerar a possibilidade de implantes penianos se não conseguir resolver sua dificuldade por meio desses outros tratamentos ou se não conseguir obter uma ereção4 suficiente para a atividade sexual.

Os implantes penianos também podem ser usados para tratar casos graves de uma condição que causa cicatrizes7 dentro do pênis2, levando a ereções curvas e dolorosas (doença de Peyronie), ou em casos de certas lesões8 traumáticas do pênis2.

Deve ficar claro para o paciente que, embora os implantes penianos permitam uma ereção4, eles não aumentam o desejo ou a sensação sexual. A maioria dos implantes penianos também não deixará o pênis2 maior do que ele naturalmente é no momento da cirurgia. Na verdade, o pênis2 ereto9 pode até ser ligeiramente mais curto do que era.

Veja mais sobre "Transtorno do desejo sexual hipoativo", "Doença de Peyronie" e "Câncer10 de pênis2".

Como se realiza a colocação de uma prótese1 peniana?

Antes de submeter-se à cirurgia, o paciente deve rever com o médico seu histórico de saúde5, ter certeza da natureza da sua disfunção erétil e de que os implantes penianos são a melhor opção para o seu caso. O médico informará o paciente sobre como transcorrerá a cirurgia, quais os benefícios e riscos com que ele deve contar, possíveis complicações e avaliará com o paciente as expectativas dele e o informará de que o procedimento é permanente e irreversível.

Quando da cirurgia, o paciente receberá uma anestesia11 geral ou raquianestesia. Um cateter pode ser inserido na sua bexiga12 através do pênis2 para coletar a urina13 eventualmente eliminada durante o ato cirúrgico. O cirurgião fará uma incisão14 abaixo da cabeça15 do pênis2, na base do órgão, ou na parte inferior do abdômen, e através dela colocará os cilindros do implante16 dentro de pênis2. Todos os tamanhos são personalizados para as medidas exatas do corpo. Se o implante16 for de um dispositivo inflável, uma bomba e uma válvula são colocadas dentro do escroto17.

Assim que o dispositivo estiver no lugar, o cirurgião fechará as incisões18. A cirurgia de implante16 peniano geralmente leva algo em torno de uma hora. Depois da cirurgia, o paciente deve esperar de quatro a seis semanas para retomar suas atividades mais extenuantes e sua atividade sexual.

Quais são as características clínicas da prótese1 peniana?

Há dois tipos principais de implantes penianos que devem ser escolhidos num diálogo entre médico e paciente: (1) implantes infláveis e (2) implantes semirrígidos.

Os implantes infláveis são o tipo mais comum de implante16 peniano. Eles usam um reservatório cheio de líquido implantado sob a parede abdominal19, uma bomba, uma válvula de liberação colocada dentro do escroto17 e dois cilindros infláveis ​​dentro do pênis2. Os implantes infláveis podem ser inflados para criar uma ereção4 e esvaziados nas outras ocasiões. Para conseguir uma ereção4, o paciente deve bombear o fluido do reservatório para os cilindros. Depois, o paciente libera a válvula dentro do escroto17 para drenar o fluido de volta para o reservatório.

Nos modelos semirrígidos, as hastes são sempre firmes, mas maleáveis, podendo ser dobradas. O pênis2 pode ser colocado em posição reta, para longe do corpo, de modo a ficar ereto9 para a atividade sexual e “dobrado” juntamente com a haste, em direção ao corpo, para ficar oculto. Há dispositivos semirrígidos posicionáveis capazes de manter as posições para cima e para baixo em várias gradações, melhor do que outras hastes semirrígidas. Existem outros designs especiais, que podem caber em um pênis2 menor ou maior do que a média que, no entanto, são menos usados.

A prótese1 peniana permite uma ereção4 pelo tempo que for desejado, não sendo interrompida pelo orgasmo. Ela não altera a sensibilidade do pênis2 e permite que o paciente continue tendo ejaculação20.

Leia também sobre "Ejaculação20 precoce", "Ejaculação20 rerógrada", "Priapismo21" e "Micropênis".

 

Crédito da imagem: Hospital Urológico22 de Brasília

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Mayo Clinic e da University of Virginia - School of Medicine.

ABCMED, 2022. Prótese peniana. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-do-homem/1425070/protese+peniana.htm>. Acesso em: 29 set. 2022.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Prótese: Elemento artificial implantado para substituir a função de um órgão alterado. Existem próteses de quadril, de rótula, próteses dentárias, etc.
2 Pênis: Órgão reprodutor externo masculino. É composto por uma massa de tecido erétil encerrada em três compartimentos cilíndricos fibrosos. Dois destes compartimentos, os corpos cavernosos, ficam lado a lado ao longo da parte superior do órgão. O terceiro compartimento (na parte inferior), o corpo esponjoso, abriga a uretra.
3 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
4 Ereção: 1. Ato ou efeito de erigir ou erguer. 2. Inauguração, criação. 3. Levantamento ou endurecimento do pênis.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Constrição: 1. Ação ou efeito de constringir, mesmo que constrangimento (ato ou efeito de reduzir). 2. Pressão circular que faz diminuir o diâmetro de um objeto; estreitamento. 3. Em medicina, é o estreitamento patológico de qualquer canal ou esfíncter; estenose.
7 Cicatrizes: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
8 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
9 Ereto: 1. Que se mantém erguido, levantado; erecto. 2. Que se encontra em equilíbrio ou aprumado. 3. Que endureceu, que se tornou túrgido.
10 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
11 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
12 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
13 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
14 Incisão: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
15 Cabeça:
16 Implante: 1. Em cirurgia e odontologia é o material retirado do próprio indivíduo, de outrem ou artificialmente elaborado que é inserido ou enxertado em uma estrutura orgânica, de modo a fazer parte integrante dela. 2. Na medicina, é qualquer material natural ou artificial inserido ou enxertado no organismo. 3. Em patologia, é uma célula ou fragmento de tecido, especialmente de tumores, que migra para outro local do organismo, com subsequente crescimento.
17 Escroto:
18 Incisões: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
19 Parede Abdominal: Margem externa do ABDOME que se estende da cavidade torácica osteocartilaginosa até a PELVE. Embora sua maior parte seja muscular, a parede abdominal consiste em pelo menos sete camadas Músculos Abdominais;
20 Ejaculação: 1. Ato de ejacular. Expulsão vigorosa; forte derramamento (de líquido); jato. 2. Em fisiologia, emissão de esperma pela uretra no momento do orgasmo. 3. Por extensão de sentido, qualquer emissão. 4. No sentido figurado, fartura de palavras; arrazoado.
21 Priapismo: Condição, associada ou não a um estímulo sexual, na qual o pênis ereto não retorna ao seu estado flácido habitual. Essa ereção é involuntária, duradora (cerca de 4 horas), geralmente dolorosa e potencialmente danosa, podendo levar à impotência sexual irreversível, constituindo-se numa emergência médica.
22 Urológico: Que se refere ou pertence à urologia, especialidade médica que se dedica ao estudo e tratamento das doenças do sistema urinário dos dois sexos e do sistema reprodutor masculino.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.