Gostou do artigo? Compartilhe!

Conhecimentos básicos sobre relação sexual

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é relação sexual?

Relação sexual, coito, cópula ou sexo vaginal são termos que se referem à penetração e fricção do pênis1 ereto2 na vagina3. Biologicamente esse ato tem a finalidade de reprodução4 da espécie, mas frequentemente é usado como forma de propiciar intimidade e prazer físico e emocional aos parceiros, e a concepção5 de novos seres não só não é desejada como inclusive é deliberadamente evitada. A natureza, contudo, atua tão fortemente no sentido de seus objetivos que por vezes faz advir uma gravidez6 apesar de todas as medidas adotadas em contrário.

Embora os termos "relação sexual" e "coito" se refiram geralmente ao sexo vaginal, podem também ser usados em referência à penetração anal ou oral pelo pênis1, pelos dedos ou por objetos sexuais. As relações vaginal, anal e oral são as atividades sexuais mais reconhecidas como relações sexuais, mas os limites daquilo que se chama “relações sexuais” é mais amplo e impreciso.

O termo "sexo" é frequentemente usado para se referir a qualquer forma de atividade sexual. Em geral, as relações sexuais são precedidas de atividades ditas “preliminares”, com o objetivo de aumentar a tensão sexual e o prazer que decorre de sua descarga, que compreendem beijos, carícias e diversas outras formas de excitação. Além disso, elas facilitam a ereção7 máxima do pênis1 e promovem a lubrificação da vagina3, facilitando a penetração. Durante o coito, o pênis1 deve mover-se para frente e para trás dentro da vagina3, causando o atrito que estimula ambos os órgãos. Normalmente, as relações sexuais terminam numa ejaculação8 ou num orgasmo, que coincidem com um ápice de prazer.

Nas várias culturas, há normas legais ou tácitas diferentes para regular as atividades sexuais. Assim, em lugares diversos, existem normas que proíbem umas ou outras das seguintes atividades: sexo fora do casamento, incesto, relações sexuais com menores de idade, sexo extraconjugal, prostituição, sodomia, violação e zoofilia, etc. Certas religiões ou leis, variáveis em cada contexto, também influenciam as decisões pessoais em relação à virgindade e ao adultério.

Tipos de relações sexuais

As relações entre um homem e uma mulher são ditas heterossexuais; se elas se dão entre pessoas do mesmo sexo são ditas homossexuais, sendo que para o caso das mulheres fala-se em lesbianismo, safismo ou tribadismo. De um modo geral, as relações sexuais podem ser vaginais, anais ou orais. O sexo genital corresponde à penetração da vagina3 pelo pênis1; o sexo anal é a penetração do ânus9 pelo pênis1; o sexo oral é o contato da boca10 e língua11 com os genitais do(a) parceiro(a). Denomina-se cunilíngua ao contato da boca10 e língua11 masculinas com o clitóris e felação12 ao contato da boca10 e língua11 feminina com o pênis1; masturbação13 corresponde à estimulação dos órgãos sexuais, tanto masculinos como femininos, acompanhada ou não de ejaculação8 ou de orgasmo.

Quais são as funções da relação sexual?

Historicamente, as primeiras relações sexuais parecem ter sido realizadas por peixes, há cerca de 385 milhões de anos. Do ponto de vista biológico, a relação sexual vaginal cumpre a finalidade de reprodução4 da espécie. Através da ejaculação8, uma série de contrações musculares rítmicas que expulsam o sêmen14, o homem deposita milhares de espermatozoides15 na vagina3, os quais seguem através do útero16 até atingir as trompas de Falópio, onde normalmente um deles irá fertilizar o óvulo17 liberado pelos ovários18, dando origem à formação de um embrião. Em sequência, este embrião continua migrando pelas trompas e se implanta no útero16, dando origem à gravidez6.

Isso, no entanto, só acontece dessa forma em determinadas ocasiões do ciclo menstrual da mulher, em que o óvulo17 é liberado, denominadas de “período fértil”. Fora dele os espermatozoides15 se perdem e acabam por morrer. Na maioria dos animais, as relações sexuais têm estritamente a finalidade da reprodução4 e só são praticadas no momento do cio, quando a fêmea está em condições de procriar. Mas, mesmo no ser humano, a reprodução4 é uma tendência tão forte, que muitas gravidezes acontecem “sem querer”, apesar dos métodos contraceptivos utilizados.

A atividade sexual humana não está estritamente ligada à reprodução4 e pode ser realizada a qualquer momento, mesmo durante uma gravidez6 já instalada, como forma de propiciar prazer e criar maior intimidade entre os parceiros. Assim, nos homens, as relações sexuais transcendem em muito a reprodução4 e cumprem um importante papel psicológico e social. Esse fato, no entanto, permite uma série de desvios em relação ao comportamento mais comum.

Quais são os “benefícios” das relações sexuais?

Costuma-se referir três tipos de vantagens: reprodutivas, relacionais e recreativas. O desenvolvimento de formas eficazes de contracepção19, na metade do século XX, aumentou a capacidade das pessoas de dissociar estas três funções. O uso de meios contraceptivos seguros, por exemplo, permite a um casal fértil ter relações sexuais unicamente para experimentar prazer ou para aumentar a intimidade emocional.

As atividades sexuais dos seres humanos têm sido relatadas como fortalecedoras da saúde20 física, com aumento da imunidade21, devido ao aumento da produção de anticorpos22, pressão arterial23 mais baixa e redução do risco de câncer24 de próstata25. Além disso, promove ou melhora o vínculo afetivo entre as pessoas envolvidas e aumenta a confiança entre elas. Disso devem ser excluídas as relações sexuais mantidas com prostitutas ou outros profissionais do sexo, às quais falta o aspecto emocional correspondente.

Quais são os “perigos” das relações sexuais?

As relações sexuais entre adultos são um ato fisiológico26 que normalmente não implicam em riscos, mas dois “perigos” estão sempre à espreita e devem ser manejados com cuidado: (1) a gravidez6 não desejada e (2) as doenças sexualmente transmissíveis. Quanto à primeira, existem métodos contraceptivos muito seguros, se corretamente usados; quanto à segunda, o uso de camisinhas, o chamado sexo seguro, reduz o risco a quase zero. Outra forma de evitar as doenças sexualmente transmissíveis consiste em se abster de atividades sexuais. A limitação do número de parceiros sexuais as diminui muito.

Os esforços físicos envolvidos nas atividades sexuais podem levar à morte, especialmente naquelas pessoas que executam pouco ou nenhum exercício físico, principalmente devido a complicações relacionadas à circulação27 coronariana. No entanto, essas mortes são significativamente raras.

Quais são as anormalidades que podem ocorrer nas relações sexuais?

Geralmente, a relação sexual, quando envolve um participante do sexo masculino, se encerra quando este ejacula. O tempo decorrido para que isso aconteça pode não ser suficiente para que a parceira sexual atinja o orgasmo. Se a ejaculação8 masculina é muito precoce, esse descompasso fica ainda maior. Assim, muitas mulheres são condenadas a uma anorgasmia28 (ausência de orgasmo), causando sofrimento pessoal.

Pode ocorrer o contrário, e a ejaculação8 ser excepcionalmente demorada ou mesmo estar ausente, seja por motivos biológicos, psicológicos ou como efeito colateral29 de certas medicações. No vaginismo há uma tensão involuntária30 da musculatura do assoalho pélvico31, o qual torna a penetração da vagina3 dolorosa e às vezes impossível. Alguns homens sofrem de impotência32, ocasional ou permanente, em consequência de doenças bem definidas, de estados emocionais transitórios ou do consumo excessivo de álcool ou drogas.

ABCMED, 2015. Conhecimentos básicos sobre relação sexual. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/807814/conhecimentos-basicos-sobre-relacao-sexual.htm>. Acesso em: 24 abr. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Pênis: Órgão reprodutor externo masculino. É composto por uma massa de tecido erétil encerrada em três compartimentos cilíndricos fibrosos. Dois destes compartimentos, os corpos cavernosos, ficam lado a lado ao longo da parte superior do órgão. O terceiro compartimento (na parte inferior), o corpo esponjoso, abriga a uretra.
2 Ereto: 1. Que se mantém erguido, levantado; erecto. 2. Que se encontra em equilíbrio ou aprumado. 3. Que endureceu, que se tornou túrgido.
3 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
4 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
5 Concepção: O início da gravidez.
6 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
7 Ereção: 1. Ato ou efeito de erigir ou erguer. 2. Inauguração, criação. 3. Levantamento ou endurecimento do pênis.
8 Ejaculação: 1. Ato de ejacular. Expulsão vigorosa; forte derramamento (de líquido); jato. 2. Em fisiologia, emissão de esperma pela uretra no momento do orgasmo. 3. Por extensão de sentido, qualquer emissão. 4. No sentido figurado, fartura de palavras; arrazoado.
9 Ânus: Segmento terminal do INTESTINO GROSSO, começando na ampola do RETO e terminando no ânus.
10 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
11 Língua:
12 Felação: Ação de excitar o pênis com a boca.
13 Masturbação: 1. Estimulação manual dos órgãos genitais que geralmente leva ao orgasmo. 2. No sentido figurado, inutilidade de tratar os mesmos temas (considerados infecundos), numa discussão ou pesquisa intelectual ou artística, de modo repetitivo, complacente e inconcludente.
14 Sêmen: Sêmen ou esperma. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O sêmen é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
15 Espermatozóides: Células reprodutivas masculinas.
16 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
17 Óvulo: Célula germinativa feminina (haplóide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.
18 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
19 Contracepção: Qualquer processo que evite a fertilização do óvulo ou a implantação do ovo. Os métodos de contracepção podem ser classificados de acordo com o seu objetivo em barreiras mecânicas ou químicas, impeditivas de nidação e contracepção hormonal.
20 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
21 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
22 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
23 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
24 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
25 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
26 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
27 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
28 Anorgasmia: Ausência de orgasmo ou incapacidade para obtê-lo.
29 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
30 Involuntária: 1.    Que se realiza sem intervenção da vontade ou que foge ao controle desta, automática, inconsciente, espontânea. 2.    Que se encontra em uma dada situação sem o desejar, forçada, obrigada.
31 Assoalho Pélvico: Tecido mole, formado principalmente pelo diafragma pélvico (composto pelos dois músculos levantadores do ânus e pelos dois coccígeos). Por sua vez, o diafragma pélvico fica logo abaixo da abertura (outlet) pélvica e separa a cavidade pélvica do PERÍNEO. Estende-se do OSSO PÚBICO (anteriormente) até o COCCIX (posteriormente).
32 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Sexologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.