Gostou do artigo? Compartilhe!

CPAP – Continuous Positive Airway Pressure

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Qual é a mecânica da respiração normal?

Estando livres as vias respiratórias, a mecânica respiratória normal conta com dois processos fundamentais: (1) a inspiração1, que garante a entrada do ar exterior para os pulmões2 e (2) a expiração3, que permite a saída do ar.

Na inspiração1, o músculo do diafragma4 desce e os músculos intercostais5 contraem-se, de modo a ocasionar um aumento da caixa torácica e uma consequente diminuição da pressão em seu interior. Isso cria um gradiente de pressão externa/interna, de modo a fazer o ar fluir para os pulmões2.

Já na expiração3, o diafragma4 sobe, os músculos intercostais5 relaxam, a caixa torácica diminui e a pressão no seu interior aumenta, forçando a saída do ar.

Se as vias respiratórias estiverem obstruídas, o organismo não consegue naturalmente desempenhar essa fisiologia6 respiratória e necessita apoio de aparelhos. Um desses aparelhos é o CPAP.

Leia sobre "O que é respirar normalmente", "Saturação de oxigênio", "Oxigenoterapia" e "Falta de ar".

O que é CPAP (Continuous Positive Airway Pressure)?

CPAP é a sigla em inglês para Continuous Positive Airway Pressure (pressão positiva contínua nas vias aéreas), que se refere a um pequeno aparelho compressor de ar, utilizado para uso caseiro no tratamento para apneia7 do sono, do tipo obstrutiva.

O aparelho CPAP não respira para a pessoa, mas cria um fluxo de ar sob pressão quando ela inspira que é forte o suficiente para manter as passagens das vias aéreas abertas, já que na apneia7 do sono de tipo obstrutiva ocorrem periódicas e repetitivas obstruções das vias aéreas que impedem o ar de entrar e sair dos pulmões2, e frequentemente acordam as pessoas.

O equipamento completo consta de:

  1. um motor que insufla o ar (a máquina de CPAP);
  2. uma máscara que cobre o nariz8 ou o nariz8 e a boca9;
  3. um tubo que faz a conexão entre o motor e a máscara.

Há três tipos de máscaras, escolhidas segundo as características individuais de cada pessoa:

  1. Máscara de almofada nasal, que possui uma pequena almofada que cobre a área da narina e que também pode ter ponteiras que se encaixam nas narinas. Ela permite o uso normal de óculos e funciona bem mesmo se a pessoa tiver muitos pelos no rosto (barba), o que pode dificultar ou impedir que uma máscara maior se encaixe perfeitamente;
  2. Máscara nasal que cobre toda a área do nariz8, mais indicada para pessoas que se movem muito durante o sono;
  3. Máscara completa, que tem a forma de um triângulo e cobre a boca9 e o nariz8, indicada para pessoas que respiram pela boca9 ou que tenham algum tipo de bloqueio no nariz8.

O CPAP foi concebido e primeiramente usado pelo médico e professor Collin Sullivan, em Sidney, na Austrália, em 1981.

Por que usar o CPAP (Continuous Positive Airway Pressure)?

O CPAP é utilizando durante o sono para tentar diminuir a ocorrência da apneia7 de sono, evitando o ronco durante a noite e melhorando a sensação de cansaço durante o dia, decorrente de uma noite mal dormida. O aparelho normalmente só é indicado pelo médico quando outras técnicas mais simples não forem suficientes para ajudar a respirar melhor durante o sono.

O CPAP mantém abertas as vias respiratórias pérvias enquanto a pessoa dorme, reduz ou elimina completamente o ronco, melhora a qualidade de sono, reduz ou elimina a sonolência diurna consequente à apneia7 do sono e ajuda a controlar ou reduzir significativamente a pressão arterial10 elevada.

Como funciona o CPAP (Continuous Positive Airway Pressure)?

O aparelho cria uma pressão positiva nas vias respiratórias que impede que elas se fechem, permitindo que o ar passe constantemente de forma livre desde o nariz8, ou boca9, até aos pulmões2, o que não acontece nos casos de apneia7 do sono, em que a passagem do ar sofre frequentes restrições ou interrupções.

Veja também sobre "Como é feita a polissonografia11", "Insônia - como dormir melhor", "Apneia7 do sono em bebê" e "Distúrbios do sono".

Como usar o CPAP (Continuous Positive Airway Pressure)?

O aparelho deve ser colocado perto da cabeceira da cama e a máscara que acompanha o aparelho deve ser colocada de modo a cobrir a boca9 e o nariz8, ficando bem ajustada sobre o rosto. Então, com a pessoa já deitada na cama, o aparelho deve ser ligado e a pessoa deve procurar respirar apenas pelo nariz8. Essa observação é importante, já que, do contrário, a boca9 fica aberta, a pressão do ar escapa e o aparelho não consegue forçar o ar para as vias respiratórias.

A princípio, a utilização do aparelho pode ser um pouco incômoda, mas durante o sono a pessoa não terá nenhuma dificuldade para respirar.

Quais são os efeitos colaterais12 do uso do CPAP (Continuous Positive Airway Pressure)?

Como efeitos colaterais12 do uso do CPAP podem surgir pequenos problemas, em geral transitórios: pode surgir uma ligeira sensação de claustrofobia, podem surgir espirros constantes como consequência de irritação da mucosa13 nasal, sensação de nariz8 entupido e sensação de garganta14 seca. Ocasionalmente, também pode surgir irritação da pele15 ou feridas nos locais onde a máscara toca o rosto.

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites do NIH – National Institutes of Health e da Mayo Clinic.

ABCMED, 2021. CPAP – Continuous Positive Airway Pressure. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1401890/cpap-continuous-positive-airway-pressure.htm>. Acesso em: 17 out. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Inspiração: 1. Ato ou efeito de inspirar(-se). 2. Entrada de ar nos pulmões através das vias respiratórias. 3. Conselho, sugestão, influência. 4. No sentido figurado, significa criatividade, entusiasmo. Pessoa ou coisa que inspira, estimula a capacidade criativa. 5. Ideia súbita e espontânea, geralmente brilhante e/ou oportuna.
2 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
3 Expiração: 1. Ato ou efeito de expirar. 2. Expulsão, pelas vias respiratórias, do ar dos pulmões. 3. Fim ou termo de prazo estipulado ou convencionado.
4 Diafragma: 1. Na anatomia geral, é um feixe muscular e tendinoso que separa a cavidade torácica da cavidade abdominal. 2. Qualquer membrana ou placa que divide duas cavidades ou duas partes da mesma cavidade. 3. Em engenharia mecânica, em um veículo automotor, é uma membrana da bomba injetora de combustível. 4. Na física, é qualquer anteparo com um orifício ou fenda, ajustável ou não, que regule o fluxo de uma substância ou de um feixe de radiação. 5. Em ginecologia, é um método contraceptivo formado por uma membrana de material elástico que envolve um anel flexível, usado no fundo da vagina de modo a obstruir o colo do útero. 6. Em um sistema óptico, é uma abertura que controla a seção reta de um feixe luminoso que passa através desta, com a finalidade de regular a intensidade luminosa, reduzir a aberração ou aumentar a profundidade focal.
5 Músculos Intercostais: Músculos respiratórios que se originam da borda inferior de uma costela e se insere na borda superior da costela abaixo; e se contrai durante a inspiração e a expiração. (Stedman, 25ª ed)
6 Fisiologia: Estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
7 Apnéia: É uma parada respiratória provocada pelo colabamento total das paredes da faringe que ocorre principalmente enquanto a pessoa está dormindo e roncando. No adulto, considera-se apnéia após 10 segundos de parada respiratória. Como a criança tem uma reserva menor, às vezes, depois de dois ou três segundos, o sangue já se empobrece de oxigênio.
8 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
9 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
10 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
11 Polissonografia: Exame utilizado na avaliação de algumas das causas de insônia.
12 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
13 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
14 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
15 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pneumologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.