Gostou do artigo? Compartilhe!

Síndrome da visão do computador - o que é e como aliviar os sintomas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

A utilização ergonômica1 correta do computador envolve muito mais que a visão2, embora essa função tenha uma importância predominante, em virtude da sua própria natureza. Essa importância é ainda maior para as pessoas que trabalham horas seguidas de frente para a tela de um computador.

Outros itens relevantes da utilização ergonômica1 consistem em:

  • manter uma postura adequada;
  • escolher uma altura de cadeira que possibilite apoiar os pés sobre o solo e apoiar braços sobre a mesa, de modo a não exercerem peso sobre os ombros;
  • manter a borda superior do computador à altura dos olhos3, de modo a não precisar curvar a coluna cervical4;
  • e fazer pausas após algumas horas de trabalho.

No que se refere à visão2, é importante escolher uma intensidade luminosa confortável da tela, um tamanho adequado das letras e, se for o caso, usar óculos ou lentes recomendados.

O que é a síndrome5 da visão2 do computador?

Muitas pessoas experimentam desconforto ocular quando passam um longo período diante da tela do computador, o qual aumenta à medida que a pessoa prolonga o seu tempo de permanência nessa situação. A síndrome5 da visão2 do computador (SVC), também conhecida como fadiga6 ocular digital, não constitui propriamente uma condição médica catalogada, mas sim uma expressão usada informalmente para descrever um grupo de problemas oculares relacionados à visão2 que resultam do uso prolongado de computadores, tablets, leitores eletrônicos e smartphones.

Os sintomas7 da SVC são temporários, ocorrem durante e após o uso prolongado de telas digitais e quase sempre se recuperam espontaneamente, embora possam se repetir futuramente se o uso de telas voltar a ser excessivo.

Leia: "Manual sobre uso de telas (Sociedade Brasileira de Pediatria)" e "Os adolescentes e o mundo virtual".

Qual é o substrato fisiopatológico da síndrome5 da visão2 do computador?

Olhar durante muito tempo para a tela de um computador (ou qualquer outra tela digital) faz com que os olhos3 trabalhem mais intensamente. Como resultado, as altas demandas visuais das telas digitais tornam muitos indivíduos suscetíveis a desenvolver sintomas7 relacionados à visão2 e/ou a agravarem problemas anteriores de visão2, podendo, assim, aumentar a gravidade da SVC.

Visualizar um computador ou tela digital tem características diferentes de ler uma página impressa. Muitas vezes, as letras no computador ou dispositivo portátil não são tão precisas ou definidas com nitidez, o nível de contraste das letras com o fundo é reduzido e a presença de brilho e reflexos na tela pode dificultar a visualização. Além disso, as distâncias e ângulos de visão2 usados para esse tipo de trabalho também costumam ser diferentes daqueles comumente usados para outras tarefas de leitura ou escrita.

Como resultado, os requisitos de foco e movimento ocular para visualização em tela digital podem impor demandas adicionais ao sistema visual. Além disso, mesmo a presença de pequenos problemas de visão2 pode muitas vezes afetar significativamente o conforto e o desempenho em um computador ou durante o uso de outros dispositivos de tela digital.

Os problemas não corrigidos de visão2 também podem ser os principais fatores que contribuem para a fadiga6 ocular relacionada ao computador. Mesmo as pessoas que possuem prescrição de óculos ou lentes de contato podem ter problemas com a tela do computador e achar que não são adequadas para as distâncias de visualização que estejam usando. Algumas pessoas inclinam a cabeça8 em ângulos estranhos porque seus óculos não foram projetados para olhar para um computador ou se inclinam em direção à tela para vê-la mais claramente. Em consequência, suas posturas podem resultar em espasmos9 musculares ou dores no pescoço10, ombros ou costas11.

Na maioria dos casos, os sintomas7 da SVC ocorrem porque as demandas visuais da tarefa excedem as habilidades visuais do indivíduo para executá-la de modo confortável.

Quais são as características clínicas da síndrome5 da visão2 do computador?

Na maioria dos casos, pessoas que passam duas ou mais horas seguidas diante das telas de computador começam a sentir:

  • Fadiga6 ocular ou desconforto nos olhos3.
  • Queimação e/ou ardência nos olhos3.
  • Sensibilidade aumentada à luz (fotofobia12).
  • Dores de cabeça8 relacionadas à tensão nos músculos13 dos olhos3 e da testa.
  • Visão2 turva ou dificuldade em focar as letras ou figuras na tela.
  • Olhos3 secos, com lágrimas insuficientes ou de baixa qualidade para lubrificar os olhos3.
  • Dor ou desconforto na região do pescoço10 e ombros, devido à má postura durante o uso da tela.
  • Dificuldade em mudar o foco entre distâncias, o que causa desconforto.

Alguns fatores contribuem para a síndrome5 da visão2 do computador. Além das pessoas que passam um grande tempo diante das telas do computador/celular, o brilho excessivo e os eventuais reflexos da tela podem contribuir para a fadiga6 ocular, e a iluminação inadequada no ambiente pode causar desconforto ocular. A visualização da tela em uma distância ou ângulo inadequado e problemas de visão2 não corrigidos também podem contribuir para o problema.

Quais são os fatores que ajudam a evitar ou aliviar a síndrome5 da visão2 do computador?

A American Optometric Association recomenda como essencial a regra denominada 20-20-20, que consiste em fazer uma pausa de 20 segundos, a cada 20 minutos e olhar para algo a 20 pés de distância (mais ou menos 6 metros). Ademais, a pessoa deve ajustar as configurações da tela (brilho, contraste, tamanho da fonte, etc.) de modo que sejam confortáveis para seus olhos3, conseguir uma iluminação adequada e posicionar a tela de forma a evitar reflexos.

Em alguns casos, pessoas que não usam óculos regularmente podem se beneficiar de óculos prescritos especificamente para uso no computador e pessoas que habitualmente usam óculos podem exigir ajustes das lentes para a visão2 no computador.

Além disso, a pessoa que usa extensivamente o computador deve manter exames oftalmológicos regulares para identificar e corrigir quaisquer eventuais desvios. Para evitar olhos3 secos, a pessoa pode piscar conscientemente com mais frequência que o normal.

Veja sobre "Presbiopia14 ou vista cansada", "O que pode desencadear dor de cabeça8 em crianças", "Mitos e verdades sobre dor de cabeça8" e "Enxaqueca15".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da American Optometric Association e da Cleveland Clinic.

ABCMED, 2024. Síndrome da visão do computador - o que é e como aliviar os sintomas. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1464712/sindrome-da-visao-do-computador-o-que-e-e-como-aliviar-os-sintomas.htm>. Acesso em: 25 fev. 2024.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Ergonômica: Referente à ergonomia. A ergonomia é o estudo científico das relações entre homem e máquina, visando a uma segurança e eficiência ideais no modo como um e outra interagem.
2 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
3 Olhos:
4 Coluna cervical: A coluna cervical localiza-se no pescoço entre a parte inferior do crânio e a superior do tronco no nível dos ombros. Ela é composta por sete vértebras cervicais unidas por ligamentos, músculos e por elementos que preenchem o espaço entre elas, os discos intervertebrais. No interior da coluna cervical está o canal vertebral por onde passa a medula espinhal, que comanda todos os nossos movimentos e sensações. Nesta região, a medula emite oito raízes nervosas que se ramificam para a cabeça, pescoço, membros superiores, ombros e parte anterossuperior do tórax.
5 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
6 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
7 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
8 Cabeça:
9 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
10 Pescoço:
11 Costas:
12 Fotofobia: Dor ocular ou cefaléia produzida perante estímulos visuais. É um sintoma freqüente na meningite, hemorragia subaracnóidea, enxaqueca, etc.
13 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
14 Presbiopia: Alteração da visão associada ao envelhecimento. Neste distúrbio existe uma maior rigidez do cristalino (órgão do olho que é responsável pela acomodação visual, ou seja, a propriedade que nos permite enxergar objetos próximos e distantes), que produz dificuldade para ver objetos próximos.
15 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.