Gostou do artigo? Compartilhe!

Doenças causadas por pulgas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são pulgas?

Pulgas são pequenos insetos parasitas que pertencem à ordem Sifonaptera. Elas são conhecidas por se alimentarem do sangue1 de mamíferos e aves. Existem várias espécies de pulgas, sendo a pulga do gato e a pulga do cão as mais comuns.

As pulgas têm corpos lateralmente achatados, o que lhes permite mover-se facilmente através dos pelos dos seus hospedeiros. Elas possuem pernas longas e fortes, permitindo-lhes saltar grandes distâncias em relação ao seu tamanho. As pulgas têm um aparato bucal adaptado para perfurar a pele2 de seus hospedeiros e se alimentar do sangue1.

Como o organismo reage à presença de pulgas?

As pulgas são conhecidas por causar irritação e coceira na pele2 dos animais e dos humanos. As picadas de pulgas podem levar a uma reação alérgica3 em algumas pessoas, resultando em lesões4 cutâneas5 mais graves, como erupções cutâneas5 e dermatite6.

Esses parasitas são altamente prolíficos e se reproduzem rapidamente. Elas depositam seus ovos nos pelos dos animais infestados e esses ovos frequentemente caem no ambiente, como tapetes, camas e carpetes.

As larvas (estágios imaturos de desenvolvimento) das pulgas eclodem dos ovos e se alimentam de detritos orgânicos presentes no ambiente. Depois de passarem por várias fases de desenvolvimento, as larvas formam casulos e se transformam em pupas (estágio intermediário mais evoluído do desenvolvimento). As pupas podem permanecer no ambiente por semanas ou meses antes de emergirem como pulgas adultas.

Leia também sobre "Picadas dos pernilongos", "Febre7 por mordida de rato", "Hantavirose8" e "Leptospirose".

Quais são as doenças causadas por pulgas?

As pulgas podem causar várias doenças em animais e seres humanos, algumas das quais são:

Dermatite6 alérgica à picada de pulga

É a reação alérgica3 mais comum causada pela saliva das pulgas. Trata-se de uma enfermidade comum em regiões de clima tropical e de ocorrência sazonal em outras áreas. No Brasil, pode ocorrer em qualquer época do ano. Além dos humanos, pode afetar cães e gatos, causando coceira intensa, lesões4 na pele2, perda de pelos e infecções9 secundárias.

Durante seu repasto sanguíneo, o animal injeta saliva na pele2 do hospedeiro, a qual possui, entre outras, propriedades anticoagulantes10. Nos animais picados, a proteína presente na saliva estimula o sistema imunológico11 que reage contra essa proteína, desencadeando uma reação de hipersensibilidade. O sinal12 clínico mais observado nos animais acometidos é o prurido13 (coceira). Ao se coçar, o animal acarreta o desenvolvimento de lesões4 secundárias, tais como escoriações14, feridas com secreção sanguinolenta15 e crostas. Nos locais de prurido13, o ato de coçar pode causar hipotricose (escassez de pelos) que evolui para alopecia16 (ausência de pelos). Também podem ocorrer infecções9 secundárias.

Teníase

As tênias são vermes parasitas que têm um ciclo de vida complexo que envolve diferentes hospedeiros, inclusive as pulgas. As pulgas desempenham um papel importante no ciclo de vida das tênias, já que são seus hospedeiros intermediários. As pulgas ingerem os ovos ou as proglotes17 (segmentos do corpo) das tênias contendo ovos, presentes no intestino de um hospedeiro definitivo, geralmente um mamífero como um cão ou um gato. Dentro da pulga, os ovos das tênias se desenvolvem em larvas chamadas oncosferas, as quais, por sua vez, se desenvolvem em cisticercoides, que são formas maduras da tênia. Quando um animal, como um cão ou um gato, ingere uma pulga infectada, os cisticercoides são liberados no intestino e se fixam na parede intestinal, onde crescem e se tornam adultos.

Bartonelose

Também conhecida como doença da arranhadura do gato, bartonelose é um termo geral usado para descrever doenças causadas por bactérias do gênero Bartonella. Na literatura, existem mais de 40 espécies descritas, porém, no Brasil, existem duas espécies mais circulantes, a Bartonella quintana e a Bartonella henselae, sendo a última a espécie mais prevalente.

As pulgas podem transmitir a bactéria18 Bartonella para os seres humanos e animais. Embora os gatos sejam os principais hospedeiros e transmissores, outros animais, como cães e animais selvagens, também podem carregar a bactéria18. Essa infecção19 pode causar sintomas20 semelhantes à gripe21, como febre7, fadiga22, dores musculares e dor de cabeça23. Em casos mais graves, pode levar a complicações cardíacas e problemas neurológicos.

Riquetsiose

É uma doença causada pela bactéria18 Rickettsia, transmitida pela picada de pulga, piolhos, ácaros e carrapatos, quando eles inoculam fluidos infecciosos na pele2. O período de incubação24 para a maioria das doenças varia de cinco a 14 dias. As riquétsias se multiplicam no local de contato com o artrópode e frequentemente produzem uma lesão25 local (escara26), penetrando então na pele2 ou nas mucosas27 e causando repercussões sistêmicas.

Os sintomas20 da riquetsiose incluem febre7, dor de cabeça23, dores musculares, erupção28 cutânea29 e fadiga22. Se não tratada, pode levar a complicações graves.

Tularemia30

As pulgas também podem transmitir a bactéria18 Francisella tularensis, causadora da tularemia30. Essa bactéria18 pode ser transmitida aos seres humanos por vários meios, entre eles as picadas de pulgas. Ela pode afetar vários órgãos e apresentar sintomas20 semelhantes aos da gripe21, além de glândulas31 inchadas e problemas respiratórios.

Os sintomas20 da tularemia30 podem variar, mas geralmente incluem febre7, calafrios32, fadiga22, dor de cabeça23, dor muscular, inflamação33 dos gânglios linfáticos34 e úlceras35 de pele2. Em casos mais graves, a infecção19 pode se espalhar para os pulmões36, resultando em uma forma de tularemia30 conhecida como tularemia30 pneumônica, que pode levar a dificuldades respiratórias e pneumonia37.

Como prevenir doenças causadas por pulgas?

É importante tomar medidas para prevenir infestações por pulgas em animais de estimação e, assim, proteger os humanos das doenças causadas por elas. Deve-se usar produtos antipulgas adequados, manter a higiene da casa e do ambiente onde vivem os animais, além de realizar inspeções regulares.

Se você ou seu animal de estimação apresentarem sintomas20 após uma picada de pulga, é recomendável procurar atendimento médico ou veterinário para diagnóstico38 e tratamento adequados, porque essas doenças podem assumir aspectos de gravidade.

Veja sobre "Simbiose39, parasitismo, comensalismo" e "Os animais que mais matam no mundo".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites do Hospital Veterinário São Francisco e da Prefeitura de São Paulo.

ABCMED, 2023. Doenças causadas por pulgas. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1439945/doencas-causadas-por-pulgas.htm>. Acesso em: 13 jun. 2024.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
4 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
5 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
6 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
7 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
8 Hantavirose: Hantaviroseoença causada pelos vírus do gênero Hantavírus, da família Bunyaviridae, causadores de febre ou pneumonia hemorrágica epidêmica, acompanhada de insuficiência renal. O vírus é contraído por contato direto ou indireto com as fezes de roedores infectados.
9 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
10 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
11 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
12 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
13 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
14 Escoriações: Ato ou efeito de escoriar-se; esfolar-se, ferir-se.
15 Sanguinolenta: 1. Em que há grande derramamento de sangue; sangrenta. 2. Tinto ou misturado com sangue. 3. Que se compraz em ver ou derramar sangue; sanguinária.
16 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
17 Proglotes: Proglotes ou proglótides são os segmentos ou metâmeros das tênias.
18 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
19 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
20 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
21 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
22 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
23 Cabeça:
24 Incubação: 1. Ato ou processo de chocar ovos, natural ou artificialmente. 2. Processo de laboratório, por meio do qual se cultivam microrganismos com o fim de estudar ou facilitar o seu desenvolvimento. 3. Em infectologia, é o período que vai da penetração do agente infeccioso no organismo até o aparecimento dos primeiros sinais da doença.
25 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
26 Escara: Úlcera produzida nas áreas cutâneas que sofrem maior pressão (úlcera de decúbito).
27 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
28 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
29 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
30 Tularemia: Doença dos roedores, transmissível ao homem. Causada por Francisella tularensis e caracterizada por febre, calafrios, cefaléia, dores nas costas e fraqueza.
31 Glândulas: Grupo de células que secreta substâncias. As glândulas endócrinas secretam hormônios e as glândulas exócrinas secretam saliva, enzimas e água.
32 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
33 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
34 Gânglios linfáticos: Estrutura pertencente ao sistema linfático, localizada amplamente em diferentes regiões superficiais e profundas do organismo, cuja função consiste na filtração da linfa, maturação e ativação dos linfócitos, que são elementos importantes da defesa imunológica do organismo.
35 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
36 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
37 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
38 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
39 Simbiose: Tipo de associação intima e duradora entre seres vivos de 2 espécies diferentes, pela qual é assegurada a sobrevivência de ambas as espécies em função das trocas metabólicas ou de outros fatores indispensáveis.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.