Gostou do artigo? Compartilhe!

Estirão de crescimento

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é estirão de crescimento?

No primeiro ano de vida, um bebê dobra de tamanho. A partir dos dois anos, o crescimento se desacelera, até chegar na puberdade, quando uma nova explosão ou surto acontece novamente. A isso se chama estirão de crescimento, período no qual se realiza um rápido ganho de crescimento, de cerca de 20% da estatura final, e uma maturação acentuadamente veloz da sexualidade, nos seus aspectos físicos e psicológicos. Nas meninas, esse fenômeno habitualmente ocorre no início da puberdade e, nos meninos, na fase intermediária dela.

Quais são as causas do estirão de crescimento?

O crescimento e o estirão do crescimento são processos que dependem de vários fatores, como genética e estímulos externos, psicossociais e econômicos. Contudo, os hormônios responsáveis pela maturação sexual e pelo crescimento são a causa principal do surto de crescimento do adolescente em estatura e em outras dimensões do esqueleto1, embora outros estímulos mais concorram para esse crescimento, como fatores subsidiários: uma boa nutrição2, boas noites de sono e exercícios físicos regulares, sem excessos.

Leia sobre "Crescimento infantil3", "Crises da adolescência" e "Dores do crescimento".

Qual é o substrato fisiológico4 do estirão de crescimento?

A puberdade é um período de rápido crescimento e maturação sexual, devido às mudanças hormonais que ocorrem no indivíduo. Essas mudanças, nas meninas, começam por volta dos dez anos de idade, e nos meninos aproximadamente dois anos depois, e levam cerca de três a quatro anos para serem concluídas.

O crescimento começa nas extremidades e caminha em direção ao torso5. Primeiro crescem as mãos6, depois os braços e finalmente o torso5. O crescimento da cabeça7 é precedido pelo crescimento das orelhas8, nariz9 e lábios. A não proporcionalidade temporal desses vários crescimentos resulta numa aparência estranha e desproporcional, diferente daquela que os adolescentes tinham antes, mas que será corrigida com o tempo. À medida que os membros e o tronco crescem, o mesmo acontece com os órgãos internos. Esse surto de crescimento físico geral resulta em acentuado aumento da estatura e do peso corporal.

Durante a infância, meninos e meninas são bastante semelhantes em altura e peso. No entanto, as diferenças entre eles tornam-se aparentes durante a adolescência. De aproximadamente dez a quatorze anos de idade, a menina média é mais alta, mas não mais pesada, do que o menino médio. Ao final do processo de crescimento, em geral, os meninos ficam mais pesados e altos do que as meninas. Aos 18 anos, os meninos têm, na média, cerca de 2 ½ centímetros a mais de altura que as meninas.

A altura e o peso médios também têm alguma relação com a origem racial e étnica. Em geral, as crianças de origem asiática tendem a ser ligeiramente mais baixas do que as crianças de origens europeia e americana. As últimas, por sua vez, tendem a ser mais baixas do que as crianças das sociedades africanas. A forma do corpo também difere ligeiramente nas diversas raças e etnias e essas diferenças também se tornam mais nítidas depois da puberdade. Os jovens de origem asiática tendem a ter braços e pernas um pouco mais curtos em relação aos torsos, e os jovens de origem africana tendem a ter braços e pernas relativamente mais longos. No entanto, essas diferenças são apenas médias, pois também existem grandes diferenças individuais.

Que outras mudanças acontecem ao mesmo tempo que o estirão de crescimento?

Ao mesmo tempo que o estirão do crescimento está se dando, outras mudanças devidas ao crescimento estão igualmente acontecendo. Por um lado, ocorre um desenvolvimento no aspecto cognitivo10. O cérebro11 desenvolve as habilidades de pensar, aprender, raciocinar e lembrar. Os pré-adolescentes e adolescentes dessa idade geralmente se concentram no presente, mas começam a entender que o que fazem agora pode ter causas antigas e efeitos de longo prazo. Eles também estão começando a entender que as questões nem sempre são claras e nem sempre têm um sentido único, e que as informações que recebem podem ser interpretadas de diferentes maneiras.

Do ponto de vista do desenvolvimento emocional e social, os adolescentes em crescimento sentem o desejo de ser mais independentes de suas famílias. Frequentemente, amigos substituem os pais como fonte de conselho. Quando estão em casa, os pré-adolescentes e adolescentes podem preferir passar um tempo sozinhos a fazer parte da família.

Quanto ao desenvolvimento sensorial e motor, os pré-adolescentes ou adolescentes podem ser um pouco desajeitados. Seus cérebros precisam de tempo para se ajustar a membros mais longos e corpos maiores. Fazer exercícios moderados regulares pode melhorar a coordenação desses indivíduos e construir hábitos saudáveis.

Quais são as questões impostas pelo estirão de crescimento?

Apesar de ser algo normal e necessário na vida de todos, o estirão do crescimento e a rápida mudança da corporalidade pode causar alguns problemas e mesmo sintomas12 desagradáveis. Tudo dependerá de como o meio recebe essas modificações. Tanto a altura quanto o peso podem certamente ser questões delicadas e/ou até mesmo angustiantes para alguns adolescentes, ou motivos de júbilo e comemorações.

A maioria das sociedades modernas tendem a favorecer mulheres relativamente baixas e homens altos, bem como um corpo um tanto magro, especialmente para meninas e mulheres. No entanto, nem a altura nem a magreza socialmente preferidas são necessariamente o resultado do desenvolvimento de muitos adolescentes. O excesso de peso, em particular, tornou-se um problema comum e sério na sociedade moderna.

Com relação a sintomas12, em geral eles são ligeiros e suportáveis. Talvez o mais importante deles sejam as dores do crescimento. Elas surgem mais frequentemente nas pernas, próximo aos joelhos, mas às vezes também nos braços, próximo ao cotovelo, algumas vezes acompanhadas também por dores de cabeça7.

Se o tempo de crescimento não for típico e se, por exemplo, acontecer que o desenvolvimento físico do menino seja atrasado ou da menina ocorra muito cedo, como costuma acontecer, é provável que eles tenham alguma classe de problema emocional. E podem precisar de ajuda profissional para apoiá-los nessa fase da vida.

Veja também sobre "Puberdade precoce", "Ginecomastia13", "Etapas do desenvolvimento sexual" e "Acne14: o tormento dos adolescentes".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Johns Hopkins Medicine, do National Center for Biotechnology Information e da Sociedade Brasileira de Pediatria.

ABCMED, 2021. Estirão de crescimento. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-crianca/1389115/estirao+de+crescimento.htm>. Acesso em: 23 abr. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Esqueleto:
2 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
3 Crescimento Infantil: Aumento na estrutura do corpo, tendo em vista a multiplicação e o aumento do tamanho das células. Controla-se principalmente o peso corporal, a estatura e o perímetro cefálico, com o objetivo de saber o quanto a criança ganhou ou perdeu em determinados intervalos de tempo e tendo por base um acompanhamento a longo prazo, através de anotações em gráficos ou curvas de crescimento. O pediatra precisa conhecer e analisar vários fatores referentes à criança e a sua família, como o peso e a altura dos pais, o padrão de crescimento deles, os dados da gestação, o peso e a estatura ao nascimento e a alimentação do bebê para avaliar a situação do crescimento de determinada criança. Não é simplesmente consultar gráficos. Somente o médico da criança pode avaliar seu crescimento. Uma criança pode estar fora da “faixa mais comum de referência“ e, ainda assim, ter um crescimento normal.
4 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
5 Torso: Sinônimo de tronco; é a representação da parte mais volumosa do corpo humano, que exclui a cabeça e os membros.
6 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
7 Cabeça:
8 Orelhas: Sistema auditivo e de equilíbrio do corpo. Consiste em três partes
9 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
10 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
11 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
12 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
13 Ginecomastia: Aumento anormal de uma ou ambas as glândulas mamárias no homem. Associa-se a diferentes enfermidades como cirrose, tumores testiculares, etc. Em certas ocasiões ocorrem de forma idiopática.
14 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.