Atalho: 599QLXI
Gostou do artigo? Compartilhe!

Crescimento Infantil

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é crescimento infantil1?

Crescimento é o aumento na estrutura do corpo, tendo em vista a multiplicação e o aumento do tamanho das células2, cessando com o alcance da altura individual máxima (crescimento linear). Pensando de um modo mais amplo, ele é um processo dinâmico e contínuo que tem início na concepção3 e vai até o final da vida, considerando-se os fenômenos de substituição e regeneração de tecidos e órgãos. Constitui um dos melhores indicadores de saúde4 e reflete as condições de vida de uma criança no passado e no presente.

A realização de um bom pré-natal, o parto e o pós-parto assistidos, a amamentação5 orientada e a avaliação médica dos primeiros anos de vida são condições fundamentais para um crescimento infantil1 saudável.

O acompanhamento do peso corporal, da estatura e do perímetro cefálico com o objetivo de saber o quanto uma criança ganhou ou perdeu em determinados intervalos de tempo e tendo por base um acompanhamento a longo prazo através de anotações em gráficos ou curvas de crescimento torna possível observar e avaliar como uma criança está crescendo.


Quais os fatores que influenciam o crescimento saudável?

Todas as pessoas nascem com um potencial genético de crescimento que poderá ou não ser atingido, dependendo das condições de vida a que esteja submetida desde a concepção3 até a idade adulta.

O crescimento depende de fatores intrínsecos (genéticos) e de fatores extrínsecos (ambientais) como alimentação, saúde4, higiene, condições de habitação e saneamento, cuidados gerais com a criança, atenção e carinho que podem atuar acelerando ou retardando este processo.

O período de crescimento intra-uterino é quando se observa a maior velocidade de crescimento. Nesta etapa, o pré-natal pode ajudar a identificar um retardo de crescimento intra-uterino. Pode ser o momento de orientar uma gestante quanto a importância de abster-se de fumar, usar bebidas alcoólicas ou drogas ilícitas6 e de ter uma alimentação saudável, além de prevenir, identificar e tratar adequadamente doenças que podem se desenvolver durante uma gravidez7 como diabetes gestacional8, aumento da pressão arterial9, doenças infecciosas, dentre outras.

O acompanhamento de uma gravidez7 que ocorra em mulheres abaixo de 19 anos ou acima de 35 anos, de gestações múltiplas e de anomalias congênitas10, são fatores que podem interferir no crescimento do feto11 e devem ser acompanhados de perto.

A qualidade e a quantidade de alimentos fornecidos a uma criança também colabora para o crescimento. Bebês12 até 6 meses de idade devem se alimentar exclusivamente de leite materno. Após esta idade, precisam ser acrescentados outros tipos de alimentos à dieta.

Manter um calendário de vacinação completo é essencial para evitar doenças preveníveis e colaborar para um crescimento saudável.


Qual a diferença entre crescimento e desenvolvimento?

Enquanto o crescimento é o aumento do tamanho corporal em decorrência do aumento no número e no tamanho das células2, o desenvolvimento é a aquisição de novas habilidades ou o aumento da capacidade do indivíduo na realização de funções cada vez mais complexas.

O desenvolvimento é um conceito amplo que refere-se a uma transformação complexa, contínua, dinâmica e progressiva, que inclui, além do crescimento, a maturação, a aprendizagem e os aspectos psíquicos e sociais.


Qual é a melhor forma de acompanhar o crescimento e o desenvolvimento infantis?

Todos os adultos responsáveis pela criação de uma criança devem acompanhar o seu crescimento e desenvolvimento através de consultas periódicas com um pediatra. Este profissional saberá conduzir a avaliação destes processos e indicará a necessidade de trabalho junto a uma equipe multidisciplinar caso seja necessário.

Esta equipe pode ter a participação de enfermeiro, neuropediatra, psicólogo, fisioterapeuta, nutricionista13, fonoaudiólogo dentre outros profissionais que ajudem em uma abordagem multiconceitual do crescimento e do desenvolvimento.


Fontes:
Caderneta de Saúde4 da Criança
Saúde4 da Criança - Acompanhamento do Crescimento e Desenvolvimento Infantil (Ministério da Saúde4)
The WHO Child Growth Standards

ABCMED, 2009. Crescimento Infantil. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-crianca/30783/crescimento+infantil.htm>. Acesso em: 18 ago. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Crescimento Infantil: Aumento na estrutura do corpo, tendo em vista a multiplicação e o aumento do tamanho das células. Controla-se principalmente o peso corporal, a estatura e o perímetro cefálico, com o objetivo de saber o quanto a criança ganhou ou perdeu em determinados intervalos de tempo e tendo por base um acompanhamento a longo prazo, através de anotações em gráficos ou curvas de crescimento. O pediatra precisa conhecer e analisar vários fatores referentes à criança e a sua família, como o peso e a altura dos pais, o padrão de crescimento deles, os dados da gestação, o peso e a estatura ao nascimento e a alimentação do bebê para avaliar a situação do crescimento de determinada criança. Não é simplesmente consultar gráficos. Somente o médico da criança pode avaliar seu crescimento. Uma criança pode estar fora da “faixa mais comum de referência“ e, ainda assim, ter um crescimento normal.
2 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
3 Concepção: O início da gravidez.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
6 Ilícitas: 1. Condenadas pela lei e/ou pela moral; proibidas, ilegais. 2. Qualidade das que não são legais ou moralmente aceitáveis; ilicitude.
7 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
8 Diabetes gestacional: Tipo de diabetes melito que se desenvolve durante a gravidez e habitualmente desaparece após o parto, mas aumenta o risco da mãe desenvolver diabetes no futuro. O diabetes gestacional é controlado com planejamento das refeições, atividade física e, em alguns casos, com o uso de insulina.
9 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
10 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
11 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
12 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
13 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

10/05/2013 - Comentário feito por Anna
Re: Crescimento Infantil
Tenho 10 anos de idade ,peso aproximadamente 30 k ,e tenho altura de 1,20m .Já fiz diversos exames e não constou nada de anormal. Por este motivo , não tomei o hormônio para o crescimento.O que posso fazer para melhorar minha estatura?Existe algum tratamento?????Me ajudem!!

19/09/2011 - Comentário feito por valcleide
Re: Crescimento Infantil
e uma pena q nos usuaros do sus nao conseguimos acompanhar nossos filhos periodicamrnte ,meu bebe ja tem 3 meses e13 dias ,e ate agora so consegui uma consulta no primiro mes ,sei da importancia do acompanhamento do seu desenvolmento e fico frusta da cada vez q vou ao posto de saude e nao consigo oretorno dos profissionais q ali estao.

01/05/2011 - Comentário feito por Dany
Re: Crescimento Infantil
gostei muito dos artigos infantis,só faltou um artigo sobre regurgitação e refluxo dos bebês de 0 a 12 meses.é que tenho um bebê de 3 meses e 3 semanas e ele passa pelo pediatra todo mês desde que nasceu,ele toma fórmula infantil e faz uns 2 meses que ele mama e quando arrota vomita e depois vomita até a outra mamada,o pediatra passou motilium e nan ar para ele nesta semana,mas ele ainda não mostrou melhora,gostaria que me respondessem ele tem refluxo?refluxo infantil acaba ou persisti no decorrer da vida da criança...será que ele vai ter drge lí o artigo,mas lá não fala se é desde pequeno que começa o refluxo.agradeço desde já.

  • Entrar
  • Assinar