Gostou do artigo? Compartilhe!

Sentimentos de solidão

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é o sentimento da solidão?

O sentimento de solidão é uma resposta emocional ao isolamento complexa e geralmente desagradável. A solidão normalmente inclui sentimentos ansiosos sobre a falta de conexão ou comunicação com outros seres humanos. Ela tem sido descrita como dor social, um mecanismo psicológico destinado a motivar um indivíduo a buscar conexões sociais. Frequentemente ela é definida como a experiência desagradável que ocorre quando a rede de relações sociais de uma pessoa é deficiente de alguma maneira importante.

No entanto, o sentimento de solidão pode ser experimentado mesmo quando o indivíduo está cercado por outras pessoas. As pesquisas têm mostrado que o sentimento de solidão ocorre em algum momento a todo mundo, incluindo pessoas dentro dos casamentos, relacionamentos sociais fartos, famílias e mesmo aquelas com carreiras de sucesso. Portanto, este sentimento não se deve apenas a um isolamento objetivamente constatável.

Quais são as causas do sentimento de solidão?

As causas do sentimento de solidão são variadas e incluem fatores sociais, mentais, emocionais e físicos. As pessoas podem experimentar sentimentos de solidão por muitas razões. Muitos eventos da vida podem causá-lo, como a falta de relações de amizade durante a infância e adolescência ou a ausência física de pessoas significativas.

Ao mesmo tempo, a solidão pode ser um sintoma1 de outro problema social ou psicológico, como a depressão crônica. Muitas pessoas experimentam a solidão pela primeira vez quando são deixadas sozinhas, como consequência de uma separação definitiva ou de longo prazo. Nessa eventualidade, a pessoa pode se sentir solitária, mesmo na companhia de outras.

O sentimento de solidão também pode ocorrer após qualquer outro evento de separação, como o nascimento de um irmão, após a saída da casa dos pais em virtude do casamento, trabalho, estudo ou mudança de cidade, etc. O sentimento de solidão pode ocorrer também dentro de relacionamentos íntimos nos quais os afetos presentes incluam raiva2 ou ressentimento e nos quais o sentimento de amor não possa ser expendido ou recebido.

A genética parece ser responsável por aproximadamente metade dos casos de sentimentos de solidão.

Veja sobre "O luto e as suas fases", "Depressões", "Isolamento social" e "Esgotamento mental".

As formas da solidão

Alguns filósofos acreditam que a solidão é parte fundamental da condição humana. A escola existencialista do pensamento vê a solidão como a essência do ser humano. Cada ser humano vem ao mundo sozinho, passa pela vida como uma pessoa separada e, finalmente, morre sozinho. Lidar com essa realidade e aprender como direcionar a própria vida com algum grau de interação é a tarefa humana.

Outros pensadores existencialistas argumentam que se pode dizer que os seres humanos se envolvem ativamente uns com os outros e com o universo à medida que se comunicam e criam, e o sentimento solidão é meramente a sensação de estar separado desse processo.

Há uma distinção clara entre sentir-se solitário e estar socialmente isolado. Deve-se fazer uma distinção entre o sentimento de solidão e a falta de interação social. O sentimento de solidão é uma experiência inteiramente subjetiva. As pessoas tanto podem sentir-se solitárias se ficarem sozinhas como no meio de uma multidão.

Se uma pessoa pensa ou sente que está sozinha, então está solitária. Às vezes, o que torna uma pessoa solitária é o fato dela desejar mais interação social do que dispõe. Por outro lado, pode-se estar objetivamente sozinho e não se sentir solitário se não há desejo de mais interação social. Há também sugestões de que cada pessoa tenha seu próprio nível ideal de interação social.

Relação entre solidão e doenças

É a solidão que gera doenças ou são as doenças que geram solidão? Provavelmente as duas coisas acontecem. Um dos sentimentos presentes na depressão é o de solidão. Por outro lado, as pesquisas deixam claro que o sentimento de solidão e o isolamento social estão ligados a doenças mentais e físicas. A solidão pode prejudicar a saúde3 aumentando os níveis de hormônios do estresse.

O sentimento de solidão pode ser transitório ou crônico4. A solidão transitória é causada por algo no ambiente e é facilmente aliviada. A solidão crônica é mais permanente e não é facilmente aliviada. Quando uma pessoa está doente, por exemplo, e não pode socializar-se com os amigos, trata-se de um caso de solidão passageira. Quando uma pessoa se sente sozinha, independentemente de estar em uma reunião de família ou com amigos, está passando por uma solidão crônica.

Vários estudos têm vinculado a solidão crônica a uma maior incidência5 de doenças e a um risco maior de morte prematura, mas os cientistas ainda não conhecem exatamente o mecanismo por trás desta relação. Entre as potenciais patologias relacionadas com o sentimento de solidão encontram-se:

  1. Um aumento de quase um terço do risco de sofrer doenças cardiovasculares6
  2. Redução da eficiência do sistema imunológico7
  3. Maior probabilidade de pressão alta
  4. Aumento de 30% no risco de morte súbita prematura
  5. Obesidade8
  6. Uso de drogas
  7. Aumento do risco de desenvolver demência9 e outras doenças crônicas
  8. Aumento do risco de artrite10
  9. Aumento do risco de diabetes11 tipo 2
  10. Aumento do risco de suicídio

Por outro lado, a solidão pode também ter efeitos positivos nos indivíduos. Um estudo descobriu que o fato de uma pessoa ficar sozinha ajuda a melhorar seu estado cognitivo12 e de concentração. A solidão também está associada a outras experiências positivas de crescimento, experiências religiosas e construção de identidade.

Em algumas culturas, missões solitárias são usadas em ritos de passagens para adolescentes. A solidão também pode desempenhar um papel importante no processo criativo e levar a notável expressão artística e criativa.

Leia também sobre "Psicoterapia", "Psiquiatra, psicólogo e psicanalista" e "Terapia cognitivo12 comportamental".

 

ABCMED, 2018. Sentimentos de solidão. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/psicologia-e-psiquiatria/1326578/sentimentos+de+solidao.htm>. Acesso em: 18 nov. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
2 Raiva: 1. Doença infecciosa freqüentemente mortal, transmitida ao homem através da mordida de animais domésticos e selvagens infectados e que produz uma paralisia progressiva juntamente com um aumento de sensibilidade perante estímulos visuais ou sonoros mínimos. 2. Fúria, ódio.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
5 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
6 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
7 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
8 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
9 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
10 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
11 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
12 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Psiquiatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.