Gostou do artigo? Compartilhe!

Ceratose seborreica

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é ceratose seborreica?

A ceratose seborreica é um crescimento não canceroso da pele1 que aparece como uma protuberância serosa ou como umas crostas na superfície da pele1. São lesões2 superficiais, frequentemente pigmentadas, de forma verrucosa, mas que podem também ocorrer como pápulas3 planas.

A ceratose seborreica é uma condição de pele1 muito comum, especialmente em adultos acima dos 50 anos, mas pode ocorrer também em pessoas mais jovens. Sua prevalência4 aumenta com a idade e com a exposição ao sol. A condição não é causada por vírus5 ou bactéria6, não é contagiosa7 e é inofensiva.

Quais são as causas da ceratose seborreica?

A causa precisa da ceratose seborreica é desconhecida, no entanto, acredita-se que esteja relacionada a fatores genéticos. Os fatores de risco também não estão bem definidos, mas é possível haver relação entre a exposição aos raios ultravioletas e o surgimento das lesões2. Quanto ao aventado envolvimento do Papiloma Vírus5 Humano, ainda não há estudos suficientes que possam confirmar essa relação.

Qual é o substrato fisiopatológico da ceratose seborreica?

A ceratose seborreica é uma alteração dos tecidos epitelial e conjuntivo que formam a pele1. É o resultado do efeito cumulativo da radiação ultravioleta do sol sobre a pele1 durante longos períodos, causando uma hipertrofia8 da camada córnea9 da epiderme10.

A ceratose seborreica é devida à expansão clonal de células11 dérmicas com mutação12 somática e não a uma hiperplasia13 epidérmica. Esta expansão, ao contrário dos tumores malignos, é geneticamente estável. Esta ausência de potencial maligno possivelmente é devida, entre outras coisas, à ausência de mutações do gene supressor14 tumoral.

Veja também sobre "Dermatite seborreica15", "Adenocarcinoma16" e "O laser tratando lesões2 de pele1".

Quais são as características clínicas da ceratose seborreica?

As ceratoses seborreicas são tumores benignos da pele1 que ocorrem como lesões2 únicas ou múltiplas, geralmente aparecendo no rosto, tórax17, ombros e costas18, mas que podem ocorrer também em qualquer outra parte do corpo. Não há predileção por sexo, acometendo igualmente homens e mulheres. Elas têm a aparência de placas19 ou pápulas3 "coladas na pele1", bem-circunscritas e podem se parecer com verrugas. Tipicamente são de cor marrom, preta ou cinza e podem ser redondas ou ovais. Os crescimentos podem ser planos ou elevados e ter uma superfície áspera ou escamosa20.

Embora a ceratose seborreica seja geralmente inofensiva, às vezes pode ser confundida com câncer21 de pele1. As lesões2 são assintomáticas e não excedem 1 centímetro de diâmetro, mas podem ficar irritadas e inflamadas espontaneamente ou em decorrência da fricção das roupas.

Se o paciente notar um novo crescimento em sua pele1 ou se tiver um crescimento que mude de tamanho, forma ou cor, é importante que seja examinado por um dermatologista, o qual poderá determinar se o crescimento é apenas de ceratose seborreica ou se são necessários mais exames.

O aparecimento súbito de múltiplas lesões2 de ceratose seborreica pode ser um sinal22 de malignidade interna como parte de uma síndrome paraneoplásica23. Em 20% dos casos, este sinal22 está associado à acantose nigricans24 e, nestas condições, o caráter paraneoplásico é mais significativo, havendo relação com adenocarcinomas gástricos, carcinomas de mama25, adenocarcinoma16 de cólon26 e linfomas. Este sinal22 seria consequência da secreção de fatores de crescimento epitelial pelo tumor27.

A ceratose seborreica tem três variantes clínicas principais:

  1. Estucoceratose, que é uma lesão28 verrucosa, branca ou branca-acinzentada, com localização quase exclusivamente nos membros inferiores e em regiões expostas ao sol.
  2. Dermatose29 papulosa nigra, que tem origem na adolescência e pode aumentar em número e em tamanho com a idade. As lesões2 são milimétricas (1 a 5 mm), planas como verrugas planas ou discretamente vegetantes, de tonalidade negra e acometem principalmente a face30, pescoço31, região axilar, tórax17, parte superior das costas18 e membros superiores.
  3. Síndrome32 de Leser-Trélat, que é paraneoplásica e caracterizada pelo aparecimento súbito de múltiplas ceratoses seborreicas, especialmente no tronco e no dorso33. Esse sinal22 costuma estar associado a grande número de tumores de órgãos internos, como pulmão34, esôfago35 e nasofaringe36.

Como o médico diagnostica a ceratose seborreica?

O diagnóstico37 da ceratose seborreica é feito de forma clínica pela dermatoscopia, com a observação das características da lesão28, que são:

  • coloração de castanha a negra;
  • lesão28 semelhante a uma verruga de pele1, mas com um aspecto mais mole;
  • formato oval ou circular e com bordas bem definidas;
  • tamanho variado, de alguns milímetros até 2,5 centímetros de diâmetro;
  • planas ou elevadas.

Em caso de haver dúvidas quanto à natureza da lesão28, o médico pode desejar que ela seja analisada ao microscópio, por meio de uma biópsia38.

Como o médico trata a ceratose seborreica?

Por ser uma lesão28 benigna e geralmente assintomática, a ceratose seborreica não requer tratamento e, na maioria dos casos, as lesões2 são retiradas apenas por razões estéticas. Existem métodos de remoção rápida das lesões2, como:

  1. Cauterização39 química, que consiste na aplicação de ácidos nas lesões2, provocando a destruição dos tecidos das mesmas. A cauterização39 é indicada para lesões2 benignas, pré-malignas e verrugas virais. Durante as duas semanas seguintes ao procedimento, a pele1 ficará esbranquiçada ou amarelada, mas cicatrizará sem deixar marcas.
  2. Crioterapia40 com nitrogênio líquido, que utiliza o frio como método terapêutico, levando à destruição das lesões2.
  3. Eletrocoagulação, em que as lesões2 são destruídas com o uso de um bisturi de alta frequência.
  4. Curetagem41, que é a raspagem das lesões2 com um instrumento chamado cureta. Nesse método, o médico aplicará um anestésico na região, para que o paciente não sinta dores durante o procedimento.

Como evolui a ceratose seborreica?

Raramente as ceratoses seborreicas têm remissão espontânea e mais comumente elas tendem a persistir pelo resto da vida. Elas são lesões2 benignas, mas podem ser confundidas com tumores malignos de pele1 ou lesões2 malignas podem surgir no interior das ceratoses.

Leia sobre "Câncer21 de pele1 não-melanoma42", "Melanoma42", "Pintas na pele1" e "Lesões2 pré-cancerosas da pele1".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da SBD – Sociedade Brasileira de Dermatologia, do MSD Manuals e da Rede D’or São Luiz.

ABCMED, 2023. Ceratose seborreica. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/1435805/ceratose-seborreica.htm>. Acesso em: 22 fev. 2024.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
2 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
3 Pápulas: Lesões firmes e elevadas, com bordas nítidas e diâmetro que varia de 1 a 5 milímetros (até 1 centímetro, segundo alguns autores).
4 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
5 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
6 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
7 Contagiosa: 1. Que é transmitida por contato ou contágio. 2. Que constitui veículo para o contágio. 3. Que se transmite pela intensidade, pela influência, etc.; contagiante.
8 Hipertrofia: 1. Desenvolvimento ou crescimento excessivo de um órgão ou de parte dele devido a um aumento do tamanho de suas células constituintes. 2. Desenvolvimento ou crescimento excessivo, em tamanho ou em complexidade (de alguma coisa). 3. Em medicina, é aumento do tamanho (mas não da quantidade) de células que compõem um tecido. Pode ser acompanhada pelo aumento do tamanho do órgão do qual faz parte.
9 Camada córnea: A camada córnea é uma das cinco camadas que compõem a epiderme. Ela é constituída por células mortas, sem núcleo, achatadas e em forma de lâminas. Estas lâminas se sobrepõem formando uma estrutura rígida e hidrófila, com função de proteção contra agentes físicos, químicos e biológicos, além de impedir a evaporação de água. Nesta camada, ocorre o desprendimento constante dos queratinócitos e com renovação constante da epiderme.
10 Epiderme: Camada superior ou externa das duas camadas principais da pele.
11 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
12 Mutação: 1. Ato ou efeito de mudar ou mudar-se. Alteração, modificação, inconstância. Tendência, facilidade para mudar de ideia, atitude etc. 2. Em genética, é uma alteração súbita no genótipo de um indivíduo, sem relação com os ascendentes, mas passível de ser herdada pelos descendentes.
13 Hiperplasia: Aumento do número de células de um tecido. Pode ser conseqüência de um estímulo hormonal fisiológico ou não, anomalias genéticas no tecido de origem, etc.
14 Supressor: 1. Que ou o que suprime. 2. Em genética, é o gene que torna o fenótipo idêntico àquele determinado pelo alelo não mutante (diz-se de mutação).
15 Dermatite seborreica: Caracterizada por descamação da pele e do couro cabeludo. A forma que acomete couro cabeludo é a mais comum e conhecida popularmente por caspa. É uma doença inflamatória, não contagiosa, possui caráter crônico e recorrente. O fungo Pityrosporum ovale pode ser considerado um possível causador da dermatite seborreica. As manifestações clínicas mais comuns são descamação, vermelhidão e aspereza local. As escamas podem ser secas ou gordurosas, finas ou espessas, geralmente acinzentadas ou amareladas, quase sempre aderentes, podendo ser acompanhadas ou não de coceira.
16 Adenocarcinoma: É um câncer (neoplasia maligna) que se origina em tecido glandular. O termo adenocarcinoma é derivado de “adeno”, que significa “pertencente a uma glândula” e “carcinoma”, que descreve um câncer que se desenvolveu em células epiteliais.
17 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
18 Costas:
19 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
20 Escamosa: Cheia ou coberta de escamas, ou seja, de pequenas lâminas epidérmicas que se desprendem espontaneamente da pele.
21 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
22 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
23 Síndrome paraneoplásica: Conjunto de manifestações de caráter imunológico ou humoral que podem preceder ou acompanhar uma neoplasia. Entre as manifestações mais freqüentes citam-se a acantose nigrans, diversas artrites, prurido, etc.
24 Acantose nigricans: Alteração na coloração da pele que fica escurecida em regiões de dobras. Comum em pessoas obesas e naquelas que apresentam resistência insulínica. É vista em pacientes com diabetes tipo 2 e naqueles com pré-diabetes.
25 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
26 Cólon:
27 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
28 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
29 Dermatose: Qualquer moléstia da pele e de seus anexos, especialmente quando caracterizada pela ausência de inflamação.
30 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
31 Pescoço:
32 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
33 Dorso: Face superior ou posterior de qualquer parte do corpo. Na anatomia geral, é a região posterior do tronco correspondente às vértebras; costas.
34 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
35 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
36 Nasofaringe: Nasofaringe ou cavum é a parte superior da faringe, localizada logo atrás do nariz e acima do palato mole. Nesta área, drenam as trompas de Eustáquio, comunicação entre o ouvido médio e a faringe, com a função de ventilar adequadamente as orelhas.
37 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
38 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
39 Cauterização: Queima ou coagulação de tecidos de diferentes órgãos para deter uma hemorragia ou eliminar um tecido de crescimento anormal.
40 Crioterapia: Processo terapêutico baseado em aplicações de gelo, neve carbônica e outros veículos de frio intenso.
41 Curetagem: Operação ou cirurgia que consiste em esvaziar o interior de uma cavidade natural ou patológica com o auxílio de uma cureta; raspagem.
42 Melanoma: Neoplasia maligna que deriva dos melanócitos (as células responsáveis pela produção do principal pigmento cutâneo). Mais freqüente em pessoas de pele clara e exposta ao sol.Podem derivar de manchas prévias que mudam de cor ou sangram por traumatismos mínimos, ou instalar-se em pele previamente sã.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.