Gostou do artigo? Compartilhe!

Fitoterápicos - o que são? Quando são usados? Quais os cuidados necessários?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são fitoterápicos?

Fitoterápicos, ou produtos botânicos, são produtos feitos a partir de plantas e usados para manter a saúde1 ou tratar doenças. Muitos dos medicamentos usualmente prescritos pelos médicos também são feitos a partir de vegetais, mas estes produtos contêm apenas ingredientes purificados das plantas. Os fitoterápicos podem conter, e geralmente contêm, plantas inteiras ou partes significativas delas. Se o produto feito de plantas for usado apenas para uso interno, é chamado de suplemento à base de plantas.

A prática de usar suplementos de ervas remonta há milhares de anos. Hoje, o uso continua comum, muitas vezes como remédios caseiros. Os suplementos de ervas existem em forma de plantas secas, picadas, em pó, cápsula ou líquido e podem ser engolidos como comprimidos, pós ou tinturas, fabricados como chá, aplicados à pele2 como géis, loções ou cremes, ou adicionados à água do banho. No entanto, como eles não são considerados drogas, não são submetidos às mesmas exigências que a ANVISA faz sobre os medicamentos oficiais e, assim, a validade científica deles é questionável e seu uso permanece controverso.

Para que são usados os fitoterápicos?

Em geral, são os rótulos dos produtos que indicam como as ervas podem influenciar diferentes ações no corpo. No entanto, eles só podem se referir a indicações gerais e não ao tratamento de condições médicas específicas, porque não foram sujeitos a testes clínicos e aos mesmos padrões de fabricação dos medicamentos tradicionais. Além disso, os suplementos de ervas, ao contrário dos medicamentos, não são padronizados de lote para lote e nada garante que sejam sempre exatamente iguais.

A seguir, listamos alguns dos fitoterápicos mais comuns e suas supostas ações e efeitos sobre o organismo. Antes de usar qualquer um deles, a pessoa deve conversar com seu médico para discutir suas condições médicas ou sintomas3 específicos e se deve ou não tomá-los.

  1. Equinácea: visa fortalecer o sistema imunológico4 do corpo. Geralmente aconselhada como prevenção contra gripes e resfriados.
  2. Prímula: diz-se que o óleo desta planta pode ser útil na redução dos sintomas3 da artrite5 e da síndrome6 pré-menstrual (TPM).
  3. Matricária: as propriedades de alívio da dor dessa planta levaram ao uso para enxaquecas7 e cólicas8 menstruais.
  4. Alho: o alho é usado para condições cardiovasculares, incluindo níveis elevados de colesterol9 e triglicérides10 associados ao risco de aterosclerose11.
  5. Gingko biloba: esta erva é usada para muitas condições associadas ao envelhecimento, incluindo má circulação12 e perda de memória.
  6. Ginseng: usado como um tônico para aumentar o bem-estar geral do corpo; o ginseng é considerado útil para elevar os níveis de energia e melhorar a resistência ao estresse.
  7. Chá verde: erva usada para combater a fadiga13, prevenir arteriosclerose14 e certos tipos de câncer15, diminuir o colesterol9 e ajudar na perda de peso.
  8. Espinheiro: popularmente usado para várias doenças relacionadas ao coração16, é favorável no tratamento da angina17, aterosclerose11, insuficiência cardíaca18 e pressão alta.
  9. Palmeto: usado em casos de aumento da próstata19, uma condição comum em homens com mais de 50 anos.
  10. Erva de São João: usada durante séculos no tratamento de transtornos mentais. Hoje, é uma recomendação popular para depressão leve a moderada.

É importante lembrar que estes usos não foram oficialmente testados em um estudo clínico e que as ações e efeitos anunciados devem-se, principalmente, à cultura popular. Contudo, isso não quer dizer que estejam necessariamente errados.

Leia sobre "Perda de memória" e "Alimentos e medidas que aliviam a TPM".

Cuidados ao usar fitoterápicos

  • Os suplementos de ervas podem interagir com medicamentos convencionais ou ter fortes efeitos colaterais20.
  • Procure estudar sobre as ervas que você deseja tomar.
  • Se você resolver usar suplementos de ervas, siga cuidadosamente as instruções do rótulo e não ultrapasse as doses recomentadas.
  • Procure sempre a orientação de um fitoterapeuta que tenha treinamento extensivo nessa área.
  • Procure observar os efeitos das ervas no seu organismo, principalmente os efeitos colaterais20. Se eles forem intensos, reduza a dose ou pare de tomar o suplemento.
  • Esteja alerta também para possíveis reações alérgicas.
  • Só use produtos de empresas confiáveis.
Veja também sobre "Estresse e como aliviá-lo" e "Envelhecimento saudável".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto reproduzem muitas das que foram expendidas nos sites do Johns Hopkins Medicine, MedlinePlus e Ministério da Saúde.

ABCMED, 2019. Fitoterápicos - o que são? Quando são usados? Quais os cuidados necessários?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1344818/fitoterapicos-o-que-sao-quando-sao-usados-quais-os-cuidados-necessarios.htm>. Acesso em: 20 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
5 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
6 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
7 Enxaquecas: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
8 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
9 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
10 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
11 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
12 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
13 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
14 Arteriosclerose: Doença degenerativa da artéria devido à destruição das fibras musculares lisas e das fibras elásticas que a constituem, levando a um endurecimento da parede arterial, geralmente produzido por hipertensão arterial de longa duração ou pelo envelhecimento.
15 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
16 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
17 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
18 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
19 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
20 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.