Gostou do artigo? Compartilhe!

Alergia gestacional - como ela é? O que a grávida sente? E o que ela pode fazer para aliviar?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é alergia1 gestacional?

Alergias gestacionais são alergias e/ou irritações na pele2 da grávida que surgem ou se agravam durante os meses finais da gestação, causando grande desconforto para a mãe. A grande maioria delas discorre de uma maneira simples, sem consequências clínicas significativas.

Como a alergia1 na gravidez3 pode fazer aumentar o cortisol, a adrenalina4 e os mediadores inflamatórios, também pode afetar o desenvolvimento fetal. Além disso, se a mãe é sensibilizada a algum alimento e o consome muito durante a gestação, o bebê também pode vir a se tornar alérgico a esse alimento.

Quais são as causas da alergia1 gestacional?

As alergias gestacionais parecem ser relacionadas às variações hormonais que ocorrem no corpo da mulher durante a gravidez3, ao aumento de peso além do previsto ou a um tamanho inesperado do feto5, condições que impõem um estiramento excessivo da pele2 do abdômen.

Leia mais sobre "Como saber se está grávida", "Gestação semana a semana", "Ultrassonografia6 na gravidez3", "Parto vaginal" e "Cesárea?"

Quais são as principais características clínicas das alergias gestacionais?

Existem alergias ao próprio fato de estar grávida e outras alergias cujas crises podem se manifestar ou se tornarem mais acentuadas durante a gravidez3.

Entre as primeiras, a mais comum é a chamada erupção7 polimórfica da gravidez3. Trata-se de uma dermatose8 gestacional não rara, de tipo alérgico, desenvolvida por algumas grávidas no último trimestre da primeira gestação. Essas lesões9 se dão no abdômen, poupando a região periumbilical, e são inicialmente semelhantes às lesões9 da urticária10, que depois confluem para formar placas11, pápulas12 e vesículas13. O tratamento consiste apenas em farta hidratação da pele2 e em administrar um medicamento antipruginoso (geralmente já acrescentado ao hidratante), além de manter hábitos saudáveis de alimentação. Normalmente desaparecem sem deixar cicatrizes14 ao fim de seis semanas. Não é de se esperar a repetição desta dermatose8 em gravidezes posteriores.

Entre as outras alergias, contam-se a alergia1 respiratória, que pode se manifestar por conta do aumento do volume sanguíneo e de alterações hormonais e a urticária10 na gravidez3, que pode ser causada por infecções15, ingestão de alimentos, picada de insetos ou utilização de certos medicamentos, tal como acontece na urticária10 normal. A urticária10 crônica não costuma piorar durante a gestação e pode até mesmo melhorar.

Pápulas12 e placas11 urticariformes pruriginosas16 da gravidez3 são a segunda alergia1 mais frequente na gravidez3. Suas causas não são conhecidas, mas parecem associadas ao ganho de peso, hipertensão arterial17 ou tabagismo. Iniciam também a partir do terceiro trimestre da gravidez3 e a princípio se manifestam nas estrias abdominais e se espalham depois pelas coxas e nádegas18. O tratamento deve ser feito com anti-histamínicos orais e corticoides, quando necessários.

Como tratar as alergias gestacionais?

Se a paciente já tem algum tipo de alergia1, mesmo antes da gravidez3, deve consultar o médico sobre os medicamentos que esteja usando. Muitas drogas antialérgicas podem ser mantidas durante a gravidez3, mas o paciente não deve deixar de discutir com seu médico o uso de medicamentos durante a gestação para ficar mais tranquila.

Anti-histamínicos orais como a clorfeniramina, a cetirizina, a difenidramina, a fexofenadina e a loratadina parecem ser seguros. O mesmo acontece com o spray nasal de cromoglicato de sódio e com o spray nasal de esteroide, porque a droga é focada apenas no seu nariz19 e não viaja por todo o seu corpo. Contudo, durante o primeiro trimestre de gestação, o ideal é não usar mesmo o descongestionante nasal. Como não há evidências suficientes de segurança, o paciente deve evitar sprays nasais anti-histamínicos.

Se os sintomas20 não são intensos, a paciente deve usar apenas sprays nasais salinos, mas se os sintomas20 são muito incomodativos, tornando difícil dormir, por exemplo, tomar medicamentos aconselhados pelo médico pode ser melhor para a saúde21 da mãe e do bebê. A asma22 alérgica precisa de medicação, porque a asma22 não controlada pode causar sérios problemas durante a gravidez3.

Como evitar as alergias gestacionais?

Mulheres com tendências alérgicas devem evitar alguns alimentos durante o período de gravidez3, como: leite, ovos, peixes, frutos do mar e aditivos alimentares. Além disso, algumas atitudes devem ser adotadas, como: não interromper o tratamento, se já tem alergia1; manter a casa livre de poeira e outros alergenos23; usar travesseiro e colchão com forro impermeável; evitar os pelos de animais domésticos e moderar o uso de desinfetantes e perfumes.

Veja também sobre "Medicamentos na gravidez3", "Perguntas que as grávidas fazem" e "Pré-natal".

 

ABCMED, 2018. Alergia gestacional - como ela é? O que a grávida sente? E o que ela pode fazer para aliviar?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/gravidez/1324183/alergia-gestacional-como-ela-e-o-que-a-gravida-sente-e-o-que-ela-pode-fazer-para-aliviar.htm>. Acesso em: 22 out. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Adrenalina: 1. Hormônio secretado pela medula das glândulas suprarrenais. Atua no mecanismo da elevação da pressão sanguínea, é importante na produção de respostas fisiológicas rápidas do organismo aos estímulos externos. Usualmente utilizado como estimulante cardíaco, como vasoconstritor nas hemorragias da pele, para prolongar os efeitos de anestésicos locais e como relaxante muscular na asma brônquica. 2. No sentido informal significa disposição física, emocional e mental na realização de tarefas, projetos, etc. Energia, força, vigor.
5 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
6 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
7 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
8 Dermatose: Qualquer moléstia da pele e de seus anexos, especialmente quando caracterizada pela ausência de inflamação.
9 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
10 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
11 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
12 Pápulas: Lesões firmes e elevadas, com bordas nítidas e diâmetro que varia de 1 a 5 milímetros (até 1 centímetro, segundo alguns autores).
13 Vesículas: Lesões papulares preenchidas com líquido claro.
14 Cicatrizes: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
15 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
16 Pruriginosas: Relativas a ou próprias de prurido, que coçam, que causam coceira ou comichão. Em medicina, é o que produz prurido; prurientes, prurígenas.
17 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
18 Nádegas:
19 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
20 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
21 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
22 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
23 Alérgenos: Substância capaz de provocar reação alérgica em certos indivíduos.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia e Obstetrícia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.