Gostou do artigo? Compartilhe!

Gestação semana a semana

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

A gestação humana normal dura 40 semanas, tempo em que o embrião passa de uma simples célula1 a um bebê pronto para nascer. Veja o que acontece a cada semana de desenvolvimento da gravidez2.

1ª Semana

A contagem da idade gestacional começa mesmo antes de ter acontecido a concepção3 (fecundação4). A primeira semana de gestação começa no 1º dia da última menstruação5. Nesse momento ainda não existe um bebê. No entanto, a mãe deve começar a tomar ácido fólico, caso ainda não o esteja fazendo, porque ele previne vários problemas para ela e para o bebê. Também deve parar de fumar e beber, se for o caso.

2ª Semana

Ocorreu a ovulação6. O útero7 estará sofrendo profundas modificações para se preparar para receber o futuro embrião em desenvolvimento. A mãe deve começar a se exercitar regularmente e manter esse hábito durante toda a gravidez2, mas sempre com orientação de um profissional experiente.

3ª Semana

A concepção3 (encontro entre o óvulo8 e o espermatozoide9) se deu em uma das trompas e o embrião caminha rumo ao útero7. A mulher provavelmente ainda não terá quaisquer sintomas10. Toda medicação deve ser suspensa e só ser retornada com autorização médica.

4ª Semana

O ovo11 (ou zigoto12) formado pela fecundação4 caminha pela trompa, dando origem a uma minúscula estrutura esférica de cerca de 0,2 mm de diâmetro. Nesta fase, os testes de gravidez2 serão infalivelmente positivos. A mulher pode começar a sentir-se inchada, sentir cólicas13, ficar cansada, ter seus seios14 doloridos, apresentar náuseas15 e vômitos16 e uma necessidade frequente de urinar.

5ª Semana

No início dessa semana, o embrião mede cerca de 0,4 mm e no final dela já mede em torno de 2,5 mm. O coração17 começa a bombear sangue18 e a maioria dos outros órgãos já começa a se desenvolver. Aparecem os rudimentos dos braços e das pernas. Se a gestante ainda não começou com o seu pré-natal, ela deve fazer sua primeira visita ao obstetra.

6ª Semana

Os primeiros batimentos cardíacos do embrião já começaram. O feto19 já apresenta o esboço da cabeça20, coração17 e um tubo neural21.

7ª Semana

O embrião mede cerca de 6 mm de comprimento no início desta semana (tamanho de um grão de arroz). A formação dos braços e pernas continua, mas os dedos das mãos22 e dos pés ainda não se formaram. O apetite da mulher pode ficar mais voraz, mas ela não deve exagerar na comida para não ter um ganho excessivo de peso.

8ª Semana

O embrião já mede cerca de 12-13 mm de comprimento no início desta semana. Aparecem os esboços das orelhas23, dos olhos24 e da ponta do nariz25. O seu médico pode ouvir o batimento cardíaco do bebê com uma ultrassonografia26. Ele também vai poder lhe dar uma previsão sobre a data de nascimento, embora nem sempre ela seja muito precisa.

Gestação semana a semana

9ª Semana

Nessa semana o embrião mede cerca de 15-16 mm. Aparecem as primeiras ondas cerebrais. A estrutura básica dos olhos24 já está bem adiantada, porém ainda situados de cada lado da cabeça20 do embrião. A pressão do útero7 em crescimento sobre a bexiga27 pode causar a algumas mulheres a perda de pequenas quantidades de urina28. Ela deve começar a fazer os exercícios de Kegel para fortalecer a musculatura do assoalho pélvico29.

10ª Semana

No início desta semana o embrião mede cerca de 22 mm. Ele já começa a se movimentar dentro do útero7, embora a mãe ainda não perceba. Os olhos24 estão bem desenvolvidos, porém ainda situados de cada lado da cabeça20 do embrião. Se a mãe tiver mais de 35 anos no momento do nascimento, deve fazer testes genéticos e uma biópsia30 de vilo corial, pois certos defeitos de nascença se dão entre a 10ª e 12ª semanas.

11ª Semana

A partir de agora o embrião é chamado de feto19. A maior parte do desenvolvimento já terminou. Daqui em diante haverá um rápido crescimento. O feto19 mede cerca de 26 mm de comprimento no início da semana e cerca de 50 mm ao seu final.

12ª Semana

Nessa fase quase todos os órgãos e estruturas do feto19 estão formados. Eles continuarão a crescer e desenvolver até o dia do parto. Os dedos das mãos22 e pés já se separaram e os pelos e unhas31 iniciam o seu crescimento. O útero7 da mulher já começou a se expandir para fora dos ossos pélvicos32. A mulher deve passar a ter mais cuidado com quedas e evitar deitar de costas33 porque o feto19 em crescimento pode colocar muito peso em uma das grandes veias34 que passam pelo abdômen, causando redução do fluxo sanguíneo para o útero7.

13ª Semana

Começam a se formar as cordas vocais35. A face36 é cada dia mais e mais humana. Os olhos24 migram para sua posição normal e definitiva. É possível agora suspeitar o sexo do bebê, através da ultrassonografia26. Os intestinos37 já estão completamente no interior do corpo do bebê, o fígado38 começa a secretar a bile39 e o pâncreas40 começa a produzir insulina41.

14ª Semana

O feto19 mede cerca de 14 a 15 cm de comprimento e pesa em torno de 40 a 60 gramas. Começam os movimentos respiratórios. Os olhos24 e ouvidos continuam a se desenvolver e a assumir suas posições definitivas.

15ª Semana

O bebê já suga o polegar. Os ossos estão ficando mais duros a cada dia. A pele42 é muito fina e transparente. Já podem ser feitos testes diagnósticos por meio de uma amniocentese43 (retirada de líquido amniótico44) para verificar se há anomalias cromossômicas, incluindo a síndrome de Down45, defeitos do tubo neural21, como a espinha bífida46, e outros defeitos.

16ª Semana

É possível que a mãe já possa perceber os movimentos do bebê. Agora as pernas são maiores que os braços e ele move os membros com muita frequência. Já é possível conhecer o sexo do bebê.

17ª Semana

Período de crescimento rápido. Começa a deposição de gordura47 sob a pele42 do bebê. O feto19 e a placenta possuem o mesmo tamanho agora.

18ª Semana

Seu bebê já tem feições humanas completas. Pesa cerca de 260 gramas e mede cerca de 19 cm de comprimento. As pontas dos dedos estão mais recheadas, os olhos24 estão mirando para frente. A mulher pode estar urinando mais, porque à medida que o bebê cresce, a bexiga27 se contrai.

19ª Semana

O feto19 mede cerca de 20 cm dos pés à cabeça20 e pesa cerca de 300-320 gramas. Juntamente com o lanugo48 (pilosidade fina), forma-se o "vérnix caseoso49" na pele42 de seu bebê.

20ª Semana

Metade do caminho! O bebê dorme e acorda como um recém-nascido. Os cabelos do couro cabeludo começam a se formar. A presença de pelos temporários aparece na cabeça20.

21ª Semana

O crescimento rápido do feto19 começa a se reduzir. Os cílios e o couro cabeludo tornam-se mais visíveis e o feto19 pisca mais frequentemente. O lanugo48 cobre completamente o corpo, embora seja mais concentrado em torno da cabeça20, pescoço50 e face36.

22ª Semana

O feto19 está perto de meio quilo e mede cerca de 26 cm. Os cílios e as sobrancelhas51 estão agora formados e o cérebro52 começa a crescer rápido. A partir daqui a mulher pode desenvolver hemorroidas53 e constipação54.

23ª Semana

O bebê pesa cerca de 580 gramas agora e mede cerca de 27 cm. O corpo torna-se mais proporcional a cada dia e os ossos do ouvido médio55 começam a endurecer, tornando possível a condução do som.

24ª Semana

O feto19 ainda é magro e não possui muito tecido gorduroso56, mas o bebê deve ganhar cerca de 80 gramas esta semana enquanto o corpo começa a se tornar mais rechonchudo. Cuidado com a diabetes gestacional57, ela normalmente não tem sintomas10.

25ª Semana

Começam a se formar as estruturas da coluna: 33 aneis, 150 juntas e cerca de 1000 ligamentos58. Os vasos sanguíneos59 dos pulmões60 estão em franco desenvolvimento e as narinas se abrem. Os pulmões60 já são capazes de se adaptar à vida extra-uterina. A mãe pode começar a sentir azia61 e cãibras nas pernas, especialmente à noite.

26ª Semana

O bebê está pesando cerca de 900-1000 gramas e medindo cerca de 31-32 cm de comprimento. Os vasos sanguíneos59 começaram a proliferar nos pulmões60 na última semana e os alvéolos62 (pequenos sacos de ar pulmonares na terminação dos bronquíolos63) terminam sua formação nesta semana. O feto19 começa a dormir por períodos mais longos. A mãe também deve adquirir o hábito da sesta.

27ª Semana

O cérebro52 continua seu rápido crescimento e os pulmões60 já estão quase completamente desenvolvidos e já são capazes de respirar o ar.

28ª Semana

As sobrancelhas51 e os cílios agora estão presentes e os cabelos estão mais espessos. As pálpebras64 se abrem e os olhos24 estão completamente formados.

29ª Semana

A cabeça20 do feto19 começa a ficar proporcional ao resto do corpo. Ele pesa cerca de 1300 gramas e mede em torno de 37 cm. O acúmulo de gordura47 sob a pele42 continua. O feto19 é cada vez mais sensível à luz e ao som.

30ª Semana

O bebê pesa em torno de 1500 gramas e mede cerca de 39 cm. A superfície do cérebro52 fetal apresenta um aspecto enrugado com circunvoluções65 do tecido nervoso66. A mãe pode encontrar-se cada vez mais ofegante, o que só vai aliviar um pouco quando o bebê se encaixar em sua pelve67, um pouco mais tarde.

31ª Semana

O cérebro52 passa por mais um período de rápida expansão. O tamanho da cabeça20 aumenta à medida que o cérebro52 em crescimento empurra o crânio68 externamente, criando mais circunvoluções65 na superfície.

32ª Semana

O feto19 repousa sobre o útero7 e não mais flutua. A pigmentação permanente dos olhos24 ainda não está totalmente desenvolvida.

33ª Semana

O líquido amniótico44 atinge o seu nível máximo na gravidez2 e permanece constante até o final da gravidez2. O rápido crescimento do cérebro52 aumenta o tamanho da cabeça20 cerca de um centímetro nessa semana.

34ª Semana

O bebê já responde como um recém-nascido, com seus olhos24 abrindo e fechando durante o ato de dormir e acordar. Há franco desenvolvimento da imunidade69 para lutar contra as infecções70.

35ª Semana

A cabeça20 do feto19 pode agora posicionar-se na pelve67. As gengivas apresentam os sulcos dentários. O sistema gastrointestinal é ainda muito imaturo e permanecerá assim até 3 a 4 meses após o nascimento.

36ª Semana

O feto19 está quase pronto para nascer. A qualquer momento ele pode adentrar o canal do parto. Nesta semana, a gordura47 está preenchendo os ombros e joelhos bem como formando dobras no pescoço50. O bebê “desce” mais baixo na pelve67, em preparação para o parto.

37ª Semana

A partir de agora o bebê está pronto para nascer. Ele pesa cerca de 3 quilos e mede em torno de 47 cm. O corpo está mais arredondado e rechonchudo devido a novos depósitos de gordura47. Os seios14 da gestante podem estar secretando o primeiro colostro71.

38ª Semana

O bebê está ganhando cerca de 30 gramas por dia agora. Seus intestinos37 estão acumulando grande quantidade de mecônio72 (as primeiras “fezes” do bebê). A circunferência da cabeça20 e a do abdome73 têm agora o mesmo tamanho.

39ª Semana

O bebê se prepara para nascer em poucos dias. O crânio68 ainda não é totalmente sólido, apresentando-se mais amolecido nas cinco fontanelas74, que ainda estão separadas.

40ª Semana

A última semana. O bebê pesa em torno de 3300 a 3700 gramas e mede cerca de 50 a 51 cm dos pés à cabeça20. NASCEU!

 

ABCMED, 2016. Gestação semana a semana. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/gravidez/1267638/gestacao+semana+a+semana.htm>. Acesso em: 16 jan. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Concepção: O início da gravidez.
4 Fecundação: 1. Junção de gametas que resulta na formação de um zigoto; anfigamia, fertilização. 2. Ato ou efeito de fecundar (-se).
5 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
6 Ovulação: Ovocitação, oocitação ou ovulação nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, é o processo que libera o ovócito II em metáfase II do ovário. (Em outras espécies em vez desta célula é liberado o óvulo.) Nos dias anteriores à ovocitação, o folículo secundário cresce rapidamente, sob a influência do FSH e do LH. Ao mesmo tempo que há o desenvolvimento final do folículo, há um aumento abrupto de LH, fazendo com que o ovócito I no seu interior complete a meiose I, e o folículo passe ao estágio de pré-ovocitação. A meiose II também é iniciada, mas é interrompida em metáfase II aproximadamente 3 horas antes da ovocitação, caracterizando a formação do ovócito II. A elevada concentração de LH provoca a digestão das fibras colágenas em torno do folículo, e os níveis mais altos de prostaglandinas causam contrações na parede ovariana, que provocam a extrusão do ovócito II.
7 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
8 Óvulo: Célula germinativa feminina (haplóide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.
9 Espermatozóide: Célula reprodutiva masculina.
10 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
11 Ovo: 1. Célula germinativa feminina (haploide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO. 2. Em alguns animais, como aves, répteis e peixes, é a estrutura expelida do corpo da mãe, que consiste no óvulo fecundado, com as reservas alimentares e os envoltórios protetores.
12 Zigoto: ÓVULO fecundado, resultante da fusão entre um gameta feminino e um masculino.
13 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
14 Seios: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
15 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
16 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
17 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
18 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
19 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
20 Cabeça:
21 Tubo neural: Estrutura embrionária que dará origem ao cérebro e à medula espinhal. Durante a gestação humana, o tubo neural dá origem a três vesículas: romboencéfalo, mesencéfalo e prosencéfalo.
22 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
23 Orelhas: Sistema auditivo e de equilíbrio do corpo. Consiste em três partes
24 Olhos:
25 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
26 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
27 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
28 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
29 Assoalho Pélvico: Tecido mole, formado principalmente pelo diafragma pélvico (composto pelos dois músculos levantadores do ânus e pelos dois coccígeos). Por sua vez, o diafragma pélvico fica logo abaixo da abertura (outlet) pélvica e separa a cavidade pélvica do PERÍNEO. Estende-se do OSSO PÚBICO (anteriormente) até o COCCIX (posteriormente).
30 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
31 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
32 Pélvicos: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
33 Costas:
34 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
35 Cordas Vocais: Pregas da membrana mucosa localizadas ao longo de cada parede da laringe extendendo-se desde o ângulo entre as lâminas da cartilagem tireóide até o processo vocal cartilagem aritenóide.
36 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
37 Intestinos: Seção do canal alimentar que vai do ESTÔMAGO até o CANAL ANAL. Inclui o INTESTINO GROSSO e o INTESTINO DELGADO.
38 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
39 Bile: Agente emulsificador produzido no FÍGADO e secretado para dentro do DUODENO. Sua composição é formada por s ÁCIDOS E SAIS BILIARES, COLESTEROL e ELETRÓLITOS. A bile auxilia a DIGESTÃO das gorduras no duodeno.
40 Pâncreas: Órgão nodular (no ABDOME) que abriga GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e GLÂNDULAS EXÓCRINAS. A pequena porção endócrina é composta pelas ILHOTAS DE LANGERHANS, que secretam vários hormônios na corrente sangüínea. A grande porção exócrina (PÂNCREAS EXÓCRINO) é uma glândula acinar composta, que secreta várias enzimas digestivas no sistema de ductos pancreáticos (que desemboca no DUODENO).
41 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
42 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
43 Amniocentese: Consiste na obtenção do líquido amniótico que banha o feto através da punção da cavidade amniótica. Realizada entre 15 a 18 semanas de gravidez, para avaliar problemas genéticos do bebê.
44 Líquido amniótico: Fluido viscoso, incolor ou levemente esbranquiçado, que preenche a bolsa amniótica e envolve o embrião durante toda a gestação, protegendo-o contra infecções e choques mecânicos e térmicos.
45 Síndrome de Down: Distúrbio genético causado pela presença de um cromossomo 21 a mais, por isso é também conhecida como “trissomia do 21”. Os portadores desta condição podem apresentar retardo mental, alterações físicas como prega palmar transversa (uma única prega na palma da mão, em vez de duas), pregas nas pálpebras, membros pequenos, tônus muscular pobre e língua protrusa.
46 Espinha bífida: Também conhecida como mielomeningocele, a espinha bífida trata-se de um problema congênito. Ela é caracterizada pela má formação no tubo neural do feto, a qual ocorre nas três primeiras semanas de gravidez, quando a mulher ainda não sabe que está grávida. Esta malformação pode comprometer as funções de locomoção, controle urinário e intestinal, dentre outras.
47 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
48 Lanugo: Lanugo ou lanugem são pelos curtos, finos, macios e sem pigmentação que cobrem o corpo do feto durante a gravidez. Estes pelos, na maioria das vezes, desaparecem no sétimo ou oitavo mês de gestação. Alguns recém-nascidos ainda apresentam esses pelos finos ao nascer, que desaparecem em dias ou semanas.
49 Vérnix caseoso: Substância branca e oleosa que protege a pele do bebê a partir da vigésima semana de gestação contra microrganismos contidos no líquido amniótico e impede que a pele sensível do bebê fique “extremamente enrugada” devido à constante exposição ao líquido amniótico. Nas primeiras horas após o nascimento, ele mantém a função de proteger o bebê por possuir ação antibacteriana, além de auxiliar na termorregulação, ou seja, ajuda a regular a temperatura do corpo do recém-nascido.
50 Pescoço:
51 Sobrancelhas: Linhas curvas de cabelos localizadas nas bordas superiores das cavidades orbitárias.
52 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
53 Hemorróidas: Dilatações anormais das veias superficiais que se encontram na última porção do intestino grosso, reto e região perianal. Pode produzir sangramento junto com a defecação e dor.
54 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
55 Ouvido médio: Atualmente denominado orelha média, é constituído pela membrana timpânica, cavidade timpânica, células mastoides, antro mastoide e tuba auditiva. Separa-se da orelha externa através da membrana timpânica e se comunica com a orelha interna através das janelas oval e redonda.
56 Tecido Gorduroso: Tecido conjuntivo especializado composto por células gordurosas (ADIPÓCITOS). É o local de armazenamento de GORDURAS, geralmente na forma de TRIGLICERÍDEOS. Em mamíferos, existem dois tipos de tecido adiposo, a GORDURA BRANCA e a GORDURA MARROM. Suas distribuições relativas variam em diferentes espécies sendo que a maioria do tecido adiposo compreende o do tipo branco.
57 Diabetes gestacional: Tipo de diabetes melito que se desenvolve durante a gravidez e habitualmente desaparece após o parto, mas aumenta o risco da mãe desenvolver diabetes no futuro. O diabetes gestacional é controlado com planejamento das refeições, atividade física e, em alguns casos, com o uso de insulina.
58 Ligamentos: 1. Ato ou efeito de ligar(-se). Tudo o que serve para ligar ou unir. 2. Junção ou relação entre coisas ou pessoas; ligação, conexão, união, vínculo. 3. Na anatomia geral, é um feixe fibroso que liga entre si os ossos articulados ou mantém os órgãos nas respectivas posições. É uma expansão fibrosa ou aponeurótica de aparência ligamentosa. Ou também uma prega de peritônio que serve de apoio a qualquer das vísceras abdominais. 4. Vestígio de artéria fetal ou outra estrutura que perdeu sua luz original.
59 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
60 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
61 Azia: Pirose. Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, geralmente acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago.
62 Alvéolos: Pequenas bolsas poliédricas localizadas ao longo das paredes dos sacos alveolares, ductos alveolares e bronquíolos terminais. A troca gasosa entre o ar alveolar e o sangue capilar pulmonar ocorre através das suas paredes. DF
63 Bronquíolos: A maior passagem que leva ar aos pulmões originando-se na bifurcação terminal da traquéia.
64 Pálpebras:
65 Circunvoluções: 1. Volta feita em redor de um centro comum. 2. Contorno sinuoso. 3. Em anatomia geral, são as dobras sinuosas da face externa do cérebro.
66 Tecido Nervoso:
67 Pelve: 1. Cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ossos ilíacos), sacro e cóccix; bacia. 2. Qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
68 Crânio: O ESQUELETO da CABEÇA; compreende também os OSSOS FACIAIS e os que recobrem o CÉREBRO. Sinônimos: Calvaria; Calota Craniana
69 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
70 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
71 Colostro: Líquido amarelado e rico em anticorpos, secretado pelas glândulas mamárias alguns dias antes e depois do parto.
72 Mecônio: Material mucilaginoso (espesso, de cor variando entre verde e preto) encontrado nos intestinos de fetos à termo. Constituído por secreções de glândulas intestinais, PIGMENTOS BILIARES, ÁCIDOS GRAXOS, LÍQUIDO AMNIÓTICO e fragmentos intra-uterinos. O mecônio constitui as primeiras evacuações feitas pelo recém-nascido.
73 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
74 Fontanelas: Na anatomia geral, são espaços membranosos entre os ossos do crânio que ainda não se encontram ossificados quando do nascimento do bebê; fontículos ou moleiras. Na anatomia zoológica, são depressões rasas e pálidas da cabeça de certos cupins; fenestras.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia e Obstetrícia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.