Gostou do artigo? Compartilhe!

Síndrome pós-Covid

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a síndrome1 pós-Covid?

Síndrome1 pós-Covid, também conhecida como Covid longo, Covid tardio, Covid pós-agudo2 ou Covid crônico3, é o nome dado para um conjunto de problemas de saúde4, recorrentes ou contínuos, que têm sido apontados por grande número de pacientes que tiveram Covid-19. Agora que estamos saindo da fase maior da pandemia5 causada pelo coronavírus, as manifestações clínicas da síndrome1 pós-Covid passam a receber uma maior atenção.

Nem todas as pessoas que tiveram uma fase aguda da infecção6 têm sintomas7 pós-Covid. Muitas delas se curaram completamente após duas ou três semanas de doença. No entanto, cerca de até 80% dos recuperados sentem ao menos um sintoma8 até quatro meses depois do fim da infecção6. Casos graves da doença, que exigiram internação e terapia intensiva9, tendem a abalar ainda mais o organismo a longo prazo e deixar mais alterações pós doença.

Até o momento, tudo o que se afirma com relação à Covid-19 deve ser tomado como provisório. Em razão da pequena duração da enfermidade (cerca de dois anos), ainda não houve tempo para estudos aprofundados nem para se saber as consequências da doença no longuíssimo prazo de tempo. A profusão de denominações para as condições pós infecção6 demonstra ainda não se ter absoluta certeza sobre a natureza delas.

Leia sobre "Eventos trombóticos10 na Covid-19", "Covid-19, gravidez11 e parto" e "Covid-19, gravidez11 e amamentação12".

Quais são as causas da síndrome1 pós-Covid?

A síndrome1 pós-covid é devida às alterações definitivas ou transitórias causadas pelo coronavírus em vários tecidos e órgãos do corpo, cuja completa recuperação, quando possível, demanda algum tempo. Assim, por exemplo, a fibrose13 pulmonar corresponde a cicatrizes14 de uma área pulmonar que tenha previamente experimentado uma infecção6 pelo coronavírus e as alterações do cheiro e do paladar15 se devem às infecções16 das papilas olfativas do nariz17 que levam secundariamente a alterações do paladar15.

Um dano celular generalizado, uma forte resposta imune inata, com produção de citocinas18 inflamatórias, e um estado pró-coagulante induzido pela infecção6 pelo coronavírus podem contribuir para a formação de sequelas19.

Os quadros psicológicos talvez tanto se devam às afetações do sistema nervoso central20 quanto às reações emocionais às condições incomuns impostas pela doença e ao risco de vida que ela implicou.

Quais são as características clínicas da síndrome1 pós-Covid?

As sequelas19 da Covid-19 variam muito de um paciente para outro, porque o coronavírus atinge de forma diferenciada a muitos órgãos do corpo humano21, especialmente os pulmões22, o coração23 e os vasos sanguíneos24.

Entre as complicações crônicas mais graves ligadas ao pulmão25 está a fibrose13 pulmonar. Ela é mais facilmente observada em pacientes que apresentaram quadros graves da Covid-19, já que está ligada a infecções16 mais severas no pulmão25. A fibrose13 pulmonar é uma alteração crônica em qualquer área que tenha tido uma inflamação26 e que pode ser preenchida por cicatrizes14 que tornam o órgão mais rígido e dificultam a execução de suas funções normais, provocando hipoxemia27 (queda do nível de oxigênio no sangue28).

O coração23 também pode a longo prazo sofrer arritmias29, miocardite30 e fibrose13 miocárdica, que por vezes podem se manifestar por falta de ar e ser confundidas com problemas pulmonares.

Cerca de 40% dos pacientes recuperados da Covid-19 desenvolvem transtornos de ansiedade e/ou depressão, além de estresse pós-traumático. Se esses casos já eram pré-existentes, podem inclusive ser agravados.

Outros sintomas7, por vezes sutis, são dificuldade em se concentrar, insônia, perda de memória, dores de cabeça31, fadiga32, tontura33 e perda de olfato e de paladar15. Além desses, podem ocorrer também como efeitos residuais da Covid-19: dispneia34, dor torácica, distúrbios cognitivos35, artralgia36 e declínio na qualidade de vida.

De todas as sequelas19 da Covid-19, as mais conhecidas são a alteração ou perda do olfato e paladar15. As alterações do olfato e, consequentemente, do paladar15, são chamadas de hiposmia, quando se trata apenas de uma diminuição, ou anosmia quando a perda é total. Quando o paciente começa a sentir cheiros e sabores estranhos, fala-se em parosmia. A parosmia parece ser um sinal37 de recuperação desse sentido.

Outras questões, como fibrose13 nos rins38, dores de cabeça31 e até tosse persistente têm sido relatadas por um número considerável de pacientes.

Como o médico trata a síndrome1 pós-Covid?

Até o momento não existe nenhum tratamento específico para a síndrome1 pós-Covid, embora vários estudos estejam em andamento. Felizmente, a síndrome1 é autorresolutiva com o tempo. Os sintomas7 são tratados com os meios médicos tradicionais adequados a cada um.

Como prevenir a síndrome1 pós-Covid?

A melhor maneira de prevenir a síndrome1 pós-Covid é prevenir-se da Covid-19. A vacinação contra a doença é a melhor maneira de evitá-la. Além de proteger a própria pessoa, ela também pode ajudar a proteger as demais pessoas ao redor.

Veja também sobre "Reações às vacinas contra a covid-19", "Eficácia das vacinas em uso contra a COVID-19" e "Anticorpos39 anti-SARS-COV-2".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites do CDC – Centers for Disease Control and Prevention e do NHS – National Health Service.

ABCMED, 2021. Síndrome pós-Covid. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/covid-19/1403400/sindrome+pos+covid.htm>. Acesso em: 27 nov. 2022.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
2 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
3 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Pandemia: É uma epidemia de doença infecciosa que se espalha por um ou mais continentes ou por todo o mundo, causando inúmeras mortes. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a pandemia pode se iniciar com o aparecimento de uma nova doença na população, quando o agente infecta os humanos, causando doença séria ou quando o agente dissemina facilmente e sustentavelmente entre humanos. Epidemia global.
6 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
8 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
9 Terapia intensiva: Tratamento para diabetes no qual os níveis de glicose são mantidos o mais próximo do normal possível através de injeções freqüentes ou uso de bomba de insulina, planejamento das refeições, ajuste em medicamentos hipoglicemiantes e exercícios baseados nos resultados de testes de glicose além de contatos freqüentes entre o diabético e o profissional de saúde.
10 Trombóticos: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
11 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
12 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
13 Fibrose: 1. Aumento das fibras de um tecido. 2. Formação ou desenvolvimento de tecido conjuntivo em determinado órgão ou tecido como parte de um processo de cicatrização ou de degenerescência fibroide.
14 Cicatrizes: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
15 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
16 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
17 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
18 Citocinas: Citoquina ou citocina é a designação genérica de certas substâncias segregadas por células do sistema imunitário que controlam as reações imunes do organismo.
19 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
20 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
21 Corpo humano: O corpo humano é a substância física ou estrutura total e material de cada homem. Ele divide-se em cabeça, pescoço, tronco e membros. A anatomia humana estuda as grandes estruturas e sistemas do corpo humano.
22 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
23 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
24 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
25 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
26 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
27 Hipoxemia: É a insuficiência de oxigênio no sangue.
28 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
29 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
30 Miocardite: 1. Inflamação das paredes musculares do coração. 2. Infecção do miocárdio causada por bactéria, vírus ou outros microrganismos.
31 Cabeça:
32 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
33 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
34 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
35 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
36 Artralgia: Dor em uma articulação.
37 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
38 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
39 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Infectologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.