Gostou do artigo? Compartilhe!

Reações às vacinas contra a covid-19

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Quase tudo que se diz atualmente a respeito do Coronavírus deve ter o caráter de provisoriedade. Trata-se de um vírus1 novo e, por mais que esteja sendo pesquisado com afinco em várias partes do mundo, há certos aspectos que ainda não foram exaustivamente estudados e alguns que ainda nem puderam ser abordados. Por exemplo: quais os efeitos da infecção2 a longo prazo (cinco anos, dez anos, etc.)? Nesse rol estão também as vacinas, embora elas sejam, até o momento, um dos aspectos mais pesquisados sobre o vírus1.

A vacinação contra a Covid-19 ajuda a proteger contra a doença, mas trata-se de introduzir no organismo uma substância estranha que gera alguns efeitos colaterais3 que, no entanto, são sinais4 normais de que o corpo está construindo a proteção adequada. Nesse sentido, efeitos colaterais3 podem até ser considerados como bem-vindos. Alguns deles podem até afetar sua capacidade de realizar as atividades diárias, mas a maioria é simples e banal. Em todos os casos, eles geralmente desaparecem em alguns dias, ou mesmo em algumas horas, e algumas pessoas nem sequer os apresenta.

Embora falte muito a conhecer sobre as vacinas, a segurança e a eficácia delas parecem bem estabelecidas e elas devem ser consideradas com o principal meio de combater a pandemia5 em curso.

Veja sobre "Anafilaxia6", "Eventos trombóticos7 na Covid-19" e "Excreção viral e transmissibilidade da COVID-19".

Qual é o substrato fisiológico8 das reações às vacinas contra a covid-19?

Como qualquer vacina9, as vacinas contra a Covid-19 podem causar efeitos colaterais3, a maioria dos quais são leves ou moderados e desaparecem por conta própria em alguns dias ou mesmo horas. As reações às vacinas contra a Covid-19 são mais ou menos comuns a todas elas e são um sinal10 de que o sistema imunológico11 está instruindo o corpo a reagir, aumentando o fluxo sanguíneo para que mais células12 imunológicas possam circular e aumentando a temperatura corporal para matar o vírus1. As vacinas contra a Covid-19 protegem apenas contra o vírus1 SARS-CoV-2 (coronavírus), por isso ainda é importante manter-se saudável e bem em outros aspectos.

Os efeitos colaterais3 típicos, mais comuns, incluem:

  • dor no local da injeção13
  • aumento da sensibilidade
  • febre14
  • fadiga15
  • dor de cabeça16
  • dor muscular
  • calafrios17
  • diarreia18

As chances de qualquer um desses efeitos colaterais3 ocorrerem após a vacinação variam de acordo com a vacina9 específica. Os efeitos colaterais3 menos comuns relatados para algumas vacinas incluem reações alérgicas graves, como anafilaxia6; no entanto, essa reação é extremamente rara. Por isso, ao receber a vacina9, a pessoa deve permanecer por 15 a 30 minutos no local da vacinação para que os profissionais de saúde19 estejam disponíveis em caso de qualquer reação imediata. Essa reação é mais provável de acontecer em pessoas que já se sabem alérgicas e muito dificilmente ocorrerá em pessoas que nunca tenham tido qualquer tipo de reação alérgica20.

Os efeitos colaterais3 geralmente ocorrem nos primeiros dias após a vacinação e, desde o início do primeiro programa de vacinação em massa no início de dezembro de 2020, centenas de milhões de doses de vacina9 foram administradas em todo o mundo, sem eventos sérios devidos exclusivamente a elas. Nenhuma das vacinas aprovadas até aqui contém o vírus1 vivo que causa Covid-19 e, por isso, não podem deixar uma pessoa doente com Covid-19.

Após a vacinação, leva-se algumas semanas para o corpo desenvolver imunidade21 contra o vírus1 que causa a Covid-19. Portanto, é possível que uma pessoa possa ser infectada com ele imediatamente depois da vacinação e ainda ficar doente. Experimentar efeitos colaterais3 após ser vacinado significa que a vacina9 está funcionando e que o sistema imunológico11 está respondendo como deveria.

Reações específicas a cada uma das vacinas contra a covid-19 aplicadas no Brasil até o momento

No Brasil, atualmente, estão sendo aplicadas três tipos de vacinas: a Coronavac, a AstraZeneca/Oxford e a vacina9 da Pfizer/BioNtech. Todas as três têm efeitos colaterais3 leves e que passam rapidamente. Eles são resultado da resposta do sistema imunitário22 da pessoa à vacina9.

  • Reações à Coronavac: as reações mais comuns da Coronavac, fabricada pelo Instituto Butantan, são em geral simples, e incluem dor no local da aplicação, cansaço, febre14, dor no corpo, diarreia18, náusea23 e dor de cabeça16.
  • Reações à AstraZeneca/Oxford: a vacina9 da AstraZeneca e da Universidade de Oxford costuma apresentar reações mais intensas por causa da forma que foi produzida. Ela usa como vetor um vírus1 vivo modificado, que estimula com mais intensidade o sistema imunológico11. Ela é uma vacina9 superior à Coronavac mas, por conta disso, ela vai induzir uma resposta imunológica mais intensa do corpo. Segundo a Anvisa, entre as reações comuns da vacina9 AstraZeneca/Oxford estão um aumento de sensibilidade, dor, sensação de calor, coceira ou hematomas24, cansaço, calafrios17, dor de cabeça16, enjoos, dores musculares e nas articulações25, diarreia18 e sintomas26 semelhantes aos de um resfriado, como dor de garganta27, coriza28 e tosse.
  • Reações à Pfizer/BioNtech: as vacinas de RNA mensageiro, como a da Pfizer, são as mais reatogênicas, ou seja, as que causam mais efeitos colaterais3. Em geral, não são efeitos colaterais3 graves, porém, eles podem ser incômodos e durar por um ou dois dias, embora normalmente durem apenas algumas horas. Em compensação, essa vacina9 oferece uma proteção de cerca de 95% contra casos sintomáticos de Covid-19 e de 100% contra casos graves. Os efeitos colaterais3 mais comuns foram um pouco de dor e vermelhidão ou inchaço29 no local da injeção13, sensação de cansaço, dor de cabeça16, dor muscular e febre14.
Leia também sobre "Variantes do coronavírus", "Isolamento domiciliar de casos suspeitos ou confirmados da COVID-19" e "Covid-19, gravidez30 e parto".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites do Governo de São Paulo, do CDC – Centers for Disease Control and Prevention e da WHO - World Health Organization.

ABCMED, 2021. Reações às vacinas contra a covid-19. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/covid-19/1394065/reacoes+as+vacinas+contra+a+covid+19.htm>. Acesso em: 16 out. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
4 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
5 Pandemia: É uma epidemia de doença infecciosa que se espalha por um ou mais continentes ou por todo o mundo, causando inúmeras mortes. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a pandemia pode se iniciar com o aparecimento de uma nova doença na população, quando o agente infecta os humanos, causando doença séria ou quando o agente dissemina facilmente e sustentavelmente entre humanos. Epidemia global.
6 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
7 Trombóticos: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
8 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
9 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
10 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
11 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
12 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
13 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
14 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
15 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
16 Cabeça:
17 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
18 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
19 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
20 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
21 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
22 Sistema Imunitário: Mecanismo de defesa do corpo contra organismos ou substâncias estranhas e células nativas anormais. Inclui a resposta imune humoral e a resposta mediada por célula e consiste de um complexo de componentes celulares, moleculares e genéticos interrelacionados.
23 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
24 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
25 Articulações:
26 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
27 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
28 Coriza: Inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo.
29 Inchaço: Inchação, edema.
30 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Imunologia Clínica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.