Gostou do artigo? Compartilhe!

O que é TSH

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é TSH?

O TSH, também conhecido como tireotrofina ou hormônio1 tireotrófico, é um hormônio1 da glândula pineal2 (ou pituitária) que regula a produção dos hormônios T3 (tri-iodotironina) e T4 (tiroxina) pela tireoide3. TSH são a iniciais em inglês de Thyroid Stimulating Hormone, que em português é o hormônio1 estimulante da tireoide3, produzido pela adenohipófise4, uma das partes da hipófise5, pequena glândula6 situada na base do cérebro7, sobre a cela túrcica.

Regulação da secreção de TSH

A secreção do TSH é determinada pela estimulação do hormônio1 hipotalâmico estimulador do TRH (hormônio1 liberador de tireotrofina) e pela retroalimentação negativa exercida pelos hormônios tireoideanos. Isto é, os hormônios produzidos pela tireoide3 atuam inibindo a produção do TSH pela hipófise5. Junto a eles atuam outros reguladores e aferências do sistema nervoso central8. A somatostatina e dopamina9 inibem a secreção de TSH, já as vias alfa-adrenérgicas centrais são predominantemente estimuladoras. O estado nutricional da pessoa modula o eixo através da leptina10, por vias diretas e indiretas. O estresse induz redução da secreção de TSH, e a participação dos glicocorticoides, citocinas11 e opiáceos é discutível. Discute-se ainda as alterações do TSH decorrentes da programação neonatal, por hormônios ou desnutrição12.

Saiba mais sobre "Hipotireoidismo13", "Hipotireoidismo13 subclínico" e "Hipertireoidismo14".

Quais são os níveis normais do TSH?

A dosagem de TSH é feita a partir da análise laboratorial de uma amostra de sangue15 venoso, após um jejum de pelo menos quatro horas. De preferência, esse exame deve ser feito pela manhã, já que a concentração de TSH no sangue15 varia ao longo do dia. O paciente deve indicar ao laboratório se faz uso de algum remédio, especialmente remédios para tireoide3.

O TSH ultrassensível é uma técnica de exame de sangue15 utilizado para detectar mesmo pequenas alterações nos níveis do TSH. Os valores normais do TSH se situam entre 0,4 e 4,5 mU/L (miliunidades por litro). Os valores normais do T4 livre ficam entre 0,7 e 1,8 ng/dl. Na maioria das vezes, o TSH alto indica que a tireoide3 não está produzindo hormônio1 suficiente e, por isso, a hipófise5 tenta compensar aumentando os níveis de TSH no sangue15, para que a tireoide3 exerça sua função de forma adequada. Ao mesmo tempo, níveis baixos de hormônios tireoideanos deixam de exercer efeito inibitório sobre a hipófise5.

A dosagem do TSH pode e deve ser feita mesmo em caso de pessoas supostamente saudáveis, para avaliar a função da tireoide3. Esse exame costuma ser rotineiramente pedido pelos médicos para todas as pessoas acima dos 40 anos de idade, mas também é pedido em casos de hipo ou hipertireoidismo14, tireoidite de Hashimoto, aumento da tireoide3, presença de nódulos na tireoide3 benignos ou malignos, durante a gravidez16, e também para monitorar a dosagem dos medicamentos tireoideanos.

Qual é a função do TSH no organismo?

O TSH tem como finalidade estimular as células17 produtoras de hormônio1 da tireoide3 a produzir os hormônios T3 e T4, tri-iodotironina e tiroxina, respectivamente. O exame do TSH normalmente é pedido pelo clínico geral ou endocrinologista18 para avaliar se esta glândula6 está funcionando corretamente, e também em casos de hipo e hipertireoidismo14, ou no seguimento em caso de câncer19 diferenciado de tireoide3, como o folicular ou papilífero, por exemplo.

Um TSH alto indica que a tireoide3 não está produzindo hormônio1 suficiente (hipotireoidismo13), assim a hipófise5 tenta compensar, aumentando os níveis de TSH no sangue15 para que a tireoide3 exerça sua função de forma adequada.

Uma das características do hipotireoidismo13 é o TSH alto e o T4 baixo, e pode indicar hipotireoidismo13 subclínico quando o TSH está alto, mas o T4 está dentro do normal. O tumor20 na hipófise5 também pode causar o aumento do TSH.

Os sintomas21 relacionados ao TSH alto são os típicos do hipotireoidismo13, como cansaço, aumento de peso, prisão de ventre, sensação de frio, aumento de pêlos na face22, dificuldade de concentração, pele23 seca, cabelos e unhas24 frágeis e quebradiças.

Um TSH baixo normalmente indica que a tireoide3 está produzindo T3 e T4 de forma excessiva (hipertireoidismo14), aumentando estes valores, e por isso a hipófise5 diminui a liberação do TSH para tentar regular a função tireoideana. O tumor20 na hipófise5 também pode levar ao TSH baixo.

Os sintomas21 relacionados ao TSH baixo são os típicos do hipertireoidismo14, como agitação, palpitação25 cardíaca, insônia, perda de peso, nervosismo, tremores e diminuição da massa muscular.

Leia também sobre "Doença de Graves", "Tireoidite de Hashimoto", "Nódulos da tireoide26" e "Biópsia27 da tireoide3".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas dos sites da Mayo Clinic, da U.S. National Library of Medicine e da American Thyroid Association

ABCMED, 2020. O que é TSH. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/tireoide/1374423/o+que+e+tsh.htm>. Acesso em: 10 ago. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
2 Glândula Pineal: Órgão neuroendócrino sensível à luz, ligado ao teto do TERCEIRO VENTRÍCULO cerebral. A glândula pineal secreta MELATONINA, outras aminas biogênicas e neuropeptídeos. Sinônimos: Epífise Cerebral; Corpo Pineal
3 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
4 Adenohipófise: Lobo glandular anterior da hipófise, também conhecido como adenohipófise. Secreta os HORMÔNIOS ADENOHIPOFISÁRIOS que regulam funções vitais como CRESCIMENTO, METABOLISMO e REPRODUÇÃO.
5 Hipófise:
6 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
7 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
8 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
9 Dopamina: É um mediador químico presente nas glândulas suprarrenais, indispensável para a atividade normal do cérebro.
10 Leptina: Proteína secretada por adipócitos que age no sistema nervoso central promovendo menor ingestão alimentar e incrementando o metabolismo energético, além de afetar o eixo hipotalâmico-hipofisário e regular mecanismos neuroendócrinos. Do grego leptos = magro.
11 Citocinas: Citoquina ou citocina é a designação genérica de certas substâncias segregadas por células do sistema imunitário que controlam as reações imunes do organismo.
12 Desnutrição: Estado carencial produzido por ingestão insuficiente de calorias, proteínas ou ambos. Manifesta-se por distúrbios do desenvolvimento (na infância), atrofia de tecidos músculo-esqueléticos e caquexia.
13 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
14 Hipertireoidismo: Doença caracterizada por um aumento anormal da atividade dos hormônios tireoidianos. Pode ser produzido pela administração externa de hormônios tireoidianos (hipertireoidismo iatrogênico) ou pelo aumento de uma produção destes nas glândulas tireóideas. Seus sintomas, entre outros, são taquicardia, tremores finos, perda de peso, hiperatividade, exoftalmia.
15 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
16 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
17 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
18 Endocrinologista: Médico que trata pessoas que apresentam problemas nas glândulas endócrinas.
19 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
20 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
21 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
22 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
23 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
24 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
25 Palpitação: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
26 Nódulos da tireoide: Nódulos da tireoide resultam em crescimentos anormais de células da tireoide, que formam protuberâncias dentro da glândula, normalmente visíveis sob a pele do pescoço.
27 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Endocrinologia e Metabologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.