Gostou do artigo? Compartilhe!

Doenças das artérias

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são doenças das artérias1?

As doenças das artérias1, ou doenças arteriais, são doenças vasculares2 que afetam as artérias1 do corpo, que são os vasos que transportam sangue3 rico em oxigênio do coração4 para os tecidos do organismo. As artérias1 são vasos vitais para a circulação5 do sangue3, daí a importância que assumem as doenças arteriais, que geralmente bloqueiam a condução do sangue3 do coração4 para o resto do corpo. A maior artéria6 do corpo humano7, a aorta8, se origina do ventrículo esquerdo do coração4 e se ramifica em artérias1 menores por todo o corpo.

As principais doenças arteriais incluem:

  1. Aneurisma9 aórtico torácico ou abdominal
  2. Doença arterial coronariana
  3. Doença da artéria6 carótida
  4. Doença arterial periférica
  5. Doença vertebrobasilar
  6. Doença vascular10 renal11
  7. Síndrome12 de compressão torácica
  8. Síndrome12 do sequestro subclávio

Muitas doenças das artérias1 não causam sintomas13 até que um problema potencialmente mortal, como um ataque cardíaco ou um acidente vascular cerebral14, se desenvolva. Também é importante observar que a aterosclerose15 se encontra frequentemente associada a várias das condições descritas a seguir.

Saiba mais sobre "Infarto do miocárdio16", "Acidente vascular cerebral14" e "Aterosclerose15".

1 - Aneurisma9 aórtico torácico ou abdominal

Um aneurisma9 é uma protuberância na parede de qualquer vaso sanguíneo. É mais frequentemente visto na aorta8, o principal vaso sanguíneo que sai do coração4. O aneurisma9 aórtico é dito torácico quando se localiza acima do diafragma17, ou abdominal quando se localiza na barriga, abaixo do diafragma17.

Os aneurismas pequenos não representam ameaça na maioria dos casos, mas colocam a pessoa em risco por outros problemas: depósitos de placa18 aterosclerótica podem se acumular onde o aneurisma9 está; um coágulo19 pode se formar lá e então se soltar e ficar preso em algum outro lugar, o que pode ser muito perigoso; o aneurisma9 pode ficar maior e pressionar outros órgãos, o que causa dor e como a parede da artéria6 é esticada e mais fina, ela pode se romper subitamente, o que pode ser fatal.

Veja informações sobre "Aneurismas".

2 - Doença arterial coronariana

A doença arterial coronariana, também conhecida simplesmente como doença coronariana20, é o tipo mais comum das doenças cardíacas. Ela acontece quando a aterosclerose15 faz com que a placa18 se acumule nas artérias1 que fornecem sangue3 rico em oxigênio para o coração4. Quando o fluxo sanguíneo para o coração4 é reduzido ou bloqueado pela doença arterial coronariana, uma pessoa pode sentir dor no peito21 (angina22), ataque cardíaco, insuficiência cardíaca23 ou arritmia24 (um batimento cardíaco irregular).

O risco de doença arterial coronariana é maior se a pessoa tiver pressão alta, colesterol25 LDL26 elevado, colesterol25 HDL27 baixo ou diabetes28. Esse risco pode ser reduzido fazendo exercício físico regularmente, escolhendo uma dieta com pouca gordura29 e sódio (sal), além de acompanhar adequadamente a medicação que o médico tenha prescrito.

Leia mais sobre a "Doença arterial coronariana", "Insuficiência cardíaca23" e "Arritmia24".

3 - Doença da artéria6 carótida

A doença da artéria6 carótida afeta as duas grandes artérias1 do pescoço30 que fornecem sangue3 ao cérebro31, chamadas artérias1 carotídeas direita e esquerda. A doença da artéria6 carótida, que muitas vezes está ligada à aterosclerose15, surge quando as artérias1 se tornam estreitadas pelo acúmulo de placa18 aterosclerótica, geralmente na junção com as artérias1 subclávias.

Um risco aumentado de desenvolver doença nas artérias1 carótidas32 ocorre se a pessoa tiver diabetes mellitus33, pressão alta, níveis sanguíneos altos de colesterol25 ou história familiar de aterosclerose15. As pessoas com doença identificada se tratam com medicamentos prescritos por um especialista e procuram seguir um estilo de vida saudável para prevenir coágulos sanguíneos e reduzir o risco de acidente vascular cerebral14 (AVC).

Veja sobre "Obstrução da carótida" e "Diagnóstico34 e tratamento do AVC".

4 - Doença arterial periférica

A doença arterial periférica também é frequentemente associada à aterosclerose15 e se torna muito mais provável à medida que a pessoa envelhece. Nela as artérias1 mais distantes do coração4, tais como as da pelve35 e pernas, tornam-se estreitas devido ao acúmulo de placa18 aterosclerótica. A diminuição do fluxo sanguíneo para os músculos36 pode causar dor e fadiga37 nas pernas, muitas vezes durante exercícios ou ao subir escadas.

O médico pode detectar a doença arterial periférica usando exames de imagem e comparando os níveis de pressão arterial38 em cada um dos seus braços e pernas. A pressão alta, o colesterol25 elevado, a aterosclerose15, o diabetes28, o sedentarismo39 e o hábito de fumar representam maiores riscos de ter doença arterial periférica.

Saiba mais sobre "Doença arterial periférica".

5 - Doença vertebrobasilar

A doença arterial vertebrobasilar afeta o fluxo sanguíneo para a parte posterior do cérebro31 através das artérias1 vertebrais e/ou basilares. O sangue3 conduzido por elas, vindos das artérias1 carótidas32 e vertebrais, supre várias estruturas no cérebro31, particularmente as responsáveis pelos movimentos e pelo equilíbrio. A principal causa da doença arterial vertebrobasilar é a aterosclerose15 ou "endurecimento das artérias1".

O estreitamento das artérias1 vertebrais ou basilares causadas por aterosclerose15 cria insuficiência40 vertebrobasilar ou uma entrega insuficiente de fluxo sanguíneo para as estruturas posteriores do cérebro31. Os pacientes com doença vertebrobasilar têm risco aumentado de ataque isquêmico41 transitório e acidente vascular cerebral14. A doença vertebrobasilar é duas vezes mais comum em homens do que em mulheres e ocorre tipicamente em idosos. São fatores de risco aumentado: diabetes28, hipertensão42, obesidade43, colesterol25 alto, fumo, idade avançada e sedentarismo39.

Leia sobre "Insuficiência40 vertebrobasilar".

6 - Doença vascular10 renal11

A doença vascular10 renal11 corresponde a uma estenose44 (estreitamento) das artérias1 renais que transportam sangue3 para um ou ambos os rins45. Essa condição muitas vezes é observada em pessoas idosas com aterosclerose15. A estenose44 da artéria renal46 pode piorar com o tempo e, muitas vezes, levar à pressão arterial38 alta e danos renais. Os rins45 detectam que menos sangue3 os atinge e interpreta erroneamente que o corpo está com pressão arterial38 baixa, sinalizando a liberação de hormônios que elevam a pressão arterial38. Com o tempo, a estenose44 da artéria renal46 pode levar à insuficiência renal47.

Cerca de 90% dos casos de estenose44 da artéria renal46 são causados pela aterosclerose15, porém, mais raramente, ela pode ser causada por uma condição chamada displasia48 fibromuscular. Essa condição é mais comumente vista em mulheres e pessoas mais jovens e é potencialmente curável. A estenose44 da artéria renal46 geralmente não causa sintomas13 específicos e o primeiro sinal49 dela pode ser uma hipertensão42 extremamente difícil de controlar.

Veja informações sobre "Insuficiência renal47".

7 - Síndrome12 de compressão torácica

A síndrome12 de compressão torácica, ou síndrome12 do desfiladeiro torácico, é uma condição na qual há compressão dos nervos, veias50 e artérias1 na passagem da parte inferior do pescoço30 até a axila. Existem, pois, três tipos principais de sintomas13 da síndrome12 de compressão torácica: neurogênico, venoso e arterial.

O tipo arterial, além de raro, apresenta sintomatologia intermitente51 e se manifesta apenas se existir uma compressão significativa. Esse tipo é devido à compressão da artéria6 subclávia e resulta em dor, frio e palidez do braço. A síndrome12 de compressão torácica pode resultar de trauma, movimentos repetitivos do braço, tumores, gravidez52 ou variações anatômicas, como uma costela cervical. No que diz respeito ao tratamento, a cirurgia é tipicamente feita para os tipos arterial e venoso e para o tipo neurogênico, se não melhorar com outros tratamentos.

8 - Síndrome12 do sequestro subclávio

A síndrome12 do sequestro subclávio, ou síndrome12 do roubo subclávio, é constituída por uma constelação de sinais53 e sintomas13 que surgem do fluxo sanguíneo retrógrado (reverso) da artéria vertebral54 ou da artéria6 torácica interna, devido a uma estenose44 (estreitamento) e/ou oclusão proximal55 da artéria6 subclávia. O braço pode ser suprido pelo fluxo de sangue3 em uma direção retrógrada pela artéria vertebral54 à custa da circulação5 vertebrobasilar. Isso é mais grave que a insuficiência40 vertebrobasilar típica.

Leia também sobre os principais fatores de risco das doenças das artérias1:
"Diabetes mellitus33"
"Hipertensão arterial56"
"Obesidade43"
"Sedentarismo39"
"Como reduzir o colesterol25"
"Como aumentar colesterol25 HDL27"
"Como reduzir colesterol25 LDL26"
"Parar de fumar"

 

ABCMED, 2019. Doenças das artérias. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1335708/doencas+das+arterias.htm>. Acesso em: 26 mai. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
2 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
3 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
4 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
5 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
6 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
7 Corpo humano: O corpo humano é a substância física ou estrutura total e material de cada homem. Ele divide-se em cabeça, pescoço, tronco e membros. A anatomia humana estuda as grandes estruturas e sistemas do corpo humano.
8 Aorta: Principal artéria do organismo. Surge diretamente do ventrículo esquerdo e através de suas ramificações conduz o sangue a todos os órgãos do corpo.
9 Aneurisma: Alargamento anormal da luz de um vaso sangüíneo. Pode ser produzida por uma alteração congênita na parede do mesmo ou por efeito de diferentes doenças (hipertensão, aterosclerose, traumatismo arterial, doença de Marfán, etc.).
10 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
11 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
12 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
13 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
14 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
15 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
16 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
17 Diafragma: 1. Na anatomia geral, é um feixe muscular e tendinoso que separa a cavidade torácica da cavidade abdominal. 2. Qualquer membrana ou placa que divide duas cavidades ou duas partes da mesma cavidade. 3. Em engenharia mecânica, em um veículo automotor, é uma membrana da bomba injetora de combustível. 4. Na física, é qualquer anteparo com um orifício ou fenda, ajustável ou não, que regule o fluxo de uma substância ou de um feixe de radiação. 5. Em ginecologia, é um método contraceptivo formado por uma membrana de material elástico que envolve um anel flexível, usado no fundo da vagina de modo a obstruir o colo do útero. 6. Em um sistema óptico, é uma abertura que controla a seção reta de um feixe luminoso que passa através desta, com a finalidade de regular a intensidade luminosa, reduzir a aberração ou aumentar a profundidade focal.
18 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
19 Coágulo: 1. Em fisiologia, é uma massa semissólida de sangue ou de linfa. 2. Substância ou produto que promove a coagulação do leite.
20 Doença coronariana: Doença do coração causada por estreitamento das artérias que fornecem sangue ao coração. Se o fluxo é cortado, o resultado é um ataque cardíaco.
21 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
22 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
23 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
24 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
25 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
26 LDL: Lipoproteína de baixa densidade, encarregada de transportar colesterol através do sangue. Devido à sua tendência em depositar o colesterol nas paredes arteriais e a produzir aterosclerose, tem sido denominada “mau colesterol“.
27 HDL: Abreviatura utilizada para denominar um tipo de proteína encarregada de transportar o colesterol sanguíneo, que se relaciona com menor risco cardiovascular. Também é conhecido como “Bom Colesterol”. Seus valores normais são de 35-50mg/dl.
28 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
29 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
30 Pescoço:
31 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
32 Carótidas: Artérias originadas a partir da aorta torácica ou a partir de um dos seus ramos principais, encarregadas de conduzir o maior volume sangüíneo para as estruturas do crânio.Estão dispostas de cada lado do pescoço (carótidas externas), que a seguir ramifica-se em várias artérias e unem-se aos troncos arteriais derivados do circuito cerebral posterior, através dos ramos comunicantes posteriores.
33 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
34 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
35 Pelve: 1. Cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ossos ilíacos), sacro e cóccix; bacia. 2. Qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
36 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
37 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
38 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
39 Sedentarismo: Qualidade de quem ou do que é sedentário, ou de quem tem vida e/ou hábitos sedentários. Sedentário é aquele que se exercita pouco, que não se movimenta muito.
40 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
41 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
42 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
43 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
44 Estenose: Estreitamento patológico de um conduto, canal ou orifício.
45 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
46 Artéria Renal: Ramo da aorta abdominal que irriga os rins, glândulas adrenais e ureteres.
47 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
48 Displasia: Desenvolvimento ou crescimento anormal de um tecido ou órgão.
49 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
50 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
51 Intermitente: Nos quais ou em que ocorrem interrupções; que cessa e recomeça por intervalos; intervalado, descontínuo. Em medicina, diz-se de episódios de febre alta que se alternam com intervalos de temperatura normal ou cujas pulsações têm intervalos desiguais entre si.
52 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
53 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
54 Artéria Vertebral: Primeiro ramo da ARTÉRIA SUBCLÁVIA que se distribui para os músculos do PESCOÇO, VÉRTEBRAS, MEDULA ESPINAL, CEREBELO e interior do CÉREBRO.
55 Proximal: 1. Que se localiza próximo do centro, do ponto de origem ou do ponto de união. 2. Em anatomia geral, significa o mais próximo do tronco (no caso dos membros) ou do ponto de origem (no caso de vasos e nervos). Ou também o que fica voltado para a cabeça (diz-se de qualquer formação). 3. Em botânica, o que fica próximo ao ponto de origem ou à base. 4. Em odontologia, é o mais próximo do ponto médio do arco dental.
56 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Angiologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.