Gostou do artigo? Compartilhe!

Arterites - como elas são?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são arterites?

Arterites são parte das vasculites. As vasculites são doenças autoimunes1 caracterizadas por inflamações2 dos vasos sanguíneos3. Os vasos que carreiam sangue4 a partir do coração5 para chegarem aos tecidos são chamados de artérias6. Arterite é a inflamação7 das paredes das artérias6, geralmente como resultado de uma infecção8 ou resposta autoimune9, embora possa haver a contribuição de outras causas.

Leia sobre "Doenças autoimunes1". 

Quais são as causas das arterites?

As arterites são doenças autoimunes1 que ocorrem quando o sistema imunológico10 de defesa ataca “por engano” tecidos ou órgãos sadios do corpo. Causas mecânicas ou infecciosas podem contribuir para o processo.

Quais são as principais características clínicas das arterites?

Muitas arterites têm uma preferência por determinados vasos. Assim, arterite de células gigantes11 (arterite temporal), por exemplo, acomete apenas grandes artérias6, enquanto a poliangeíte microscópica acomete apenas as menores artérias6 dos rins12, pulmões13 e pele14. As razões por trás dessas preferências não são inteiramente conhecidas. Os tipos mais comuns de arterite são:

(1) Arterite temporal, também chamada de arterite de células gigantes11;

(2) Arterite de Takayassu;

(3) Poliarterite nodosa;

(4) Poliangeíte microscópica.

Saiba mais sobre "Arterite de células gigantes11", "Arterite temporal", "Arterite de Takayasu" e "Poliarterite nodosa". 
  • A arterite temporal é uma doença inflamatória que afeta mais comumente as artérias6 grandes e médias da cabeça15. O nome vem do fato de o vaso mais frequentemente envolvido ser a artéria16 temporal, que se ramifica a partir da artéria carótida externa17. O nome alternativo, arterite de células gigantes11, reflete o tipo de célula18 inflamatória que é envolvida. A desordem pode coexistir com a polimialgia reumática. Outras doenças como o lúpus19 eritematoso20 sistêmico21, a artrite22 reumática e infecções23 severas podem também estar relacionadas com a arterite temporal.
  • A arterite de Takayasu é uma síndrome24 do arco aórtico25, uma doença inflamatória crônica das artérias6. Essa doença causa pulsos reduzidos ou ausentes nos braços e nas pernas (por isso é também chamada de arterite sem pulso) e sintomas26 de má circulação27, tais como a diminuição da temperatura num braço ou numa perna, dores musculares com o exercício ou com o esforço ou sintomas26 de acidente vascular cerebral28 se as artérias6 cerebrais estiverem afetadas. O seu nome deriva do médico que a descobriu em 1905, o Dr. Mikito Takayasu.
  • A poliarterite nodosa ou doença de Kussmaul-Meier é uma inflamação7 de artérias6 de médio ou pequeno calibre, causada por células29 autoimunes1, levando à formação de aneurismas nodulares que podem romper e sangrar.
  • A poliangeíte microscópica é uma vasculite30 sistêmica, inflamatória e necrotizante que afeta predominantemente pequenas artérias6, arteríolas31, capilares32 e vênulas33 de múltiplos órgãos. Raramente ela afeta artérias6 de médio calibre em qualquer órgão, resultando numa grande variedade de sintomas26 inespecíficos. Evidências indicam que agentes infecciosos podem atuar desencadeando a doença. Muito frequentemente (90% dos casos) os doentes apresentam envolvimento renal34 que pode ter um curso rápido e progressivo, resultando em morte. Também é frequente o envolvimento pulmonar, gastrointestinal, neurológico, dermatológico, músculo-esquelético, ocular e cardiovascular.
Veja sobre "Lúpus19 eritematoso20", "Febre reumática35", "Acidente vascular cerebral28" e "Doença de Kussmaul-Maier". 

Como o médico diagnostica as arterites?

As arterites são diagnosticadas a partir dos sintomas26, do histórico médico do paciente e por meio de exames físicos e laboratoriais (taxa de hemossedimentação, proteína C reativa, hemograma completo, testes de função hepática36, etc) e de imagens (ultrassonografias, angiografias, tomografias e ressonâncias magnéticas). Em alguns casos, a biópsia37 ajuda a determinar o tipo de arterite.

Como o médico trata as arterites?

O tratamento das arterites varia de acordo com o tipo e o estágio de gravidade delas, variando desde medicamentos, mudanças de hábito de vida (parar de fumar, por exemplo), dilatações arteriais e caminhadas, até cirurgia, nos casos de obstruções arteriais avançadas.

Quais são as complicações das arterites?

As arterites não tratadas podem levar a obstruções circulatórias com quadros isquêmicos ou a aneurismas e rompimentos arteriais, com sangramentos potencialmente mortais.

Leia também sobre "Parar de fumar", "Hemograma" e "Provas de função hepática36". 

 

ABCMED, 2017. Arterites - como elas são?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1298153/arterites+como+elas+sao.htm>. Acesso em: 14 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
2 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
3 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
6 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
7 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
8 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
9 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
10 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
11 Células Gigantes: Massas multinucleares produzidas pela fusão de muitas células; freqüentemente associadas com infecções virais. Na AIDS, há indução destas células quando o envelope glicoproteico do vírus HIV liga-se ao antígeno CD4 de células T4 vizinhas não infectadas. O sincício resultante leva à morte celular explicando então o efeito citopático do vírus.
12 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
13 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
14 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
15 Cabeça:
16 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
17 Artéria Carótida Externa: Ramo da artéria carótida primitiva que irriga a superfície da cabeça, a face e a maior parte do pescoço.
18 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
19 Lúpus: 1. É uma inflamação crônica da pele, caracterizada por ulcerações ou manchas, conforme o tipo específico. 2. Doença autoimune rara, mais frequente nas mulheres, provocada por um desequilíbrio do sistema imunológico. Nesta patologia, a defesa imunológica do indivíduo se vira contra os tecidos do próprio organismo como pele, articulações, fígado, coração, pulmão, rins e cérebro. Essas múltiplas formas de manifestação clínica, às vezes, podem confundir e retardar o diagnóstico. Lúpus exige tratamento cuidadoso por médicos especializados no assunto.
20 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
21 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
22 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
23 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
24 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
25 Arco Aórtico: Porção da aorta descendente que se extende do arco da aorta até o diafragma; eventualmente conecta-se com a AORTA ABDOMINAL.
26 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
27 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
28 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
29 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
30 Vasculite: Inflamação da parede de um vaso sangüíneo. É produzida por doenças imunológicas e alérgicas. Seus sintomas dependem das áreas afetadas.
31 Arteríolas: As menores ramificações das artérias. Estão localizadas entre as artérias musculares e os capilares.
32 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
33 Vênulas: Vasos minúsculos que coletam sangue proveniente de plexos capilares e unem-se para formarem veias.
34 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
35 Febre reumática: Doença inflamatória produzida como efeito inflamatório anormal secundário a infecções repetidas por uma bactéria chamada estreptococo beta-hemolítico do grupo A. Caracteriza-se por inflamação das articulações, febre, inflamação de uma ou mais de uma estrutura cardíaca, alterações neurológicas, eritema cutâneo. Com o tratamento mais intensivo da faringite estreptocócica, a freqüência desta doença foi consideravelmente reduzida.
36 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
37 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Reumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.