Gostou do artigo? Compartilhe!

Fratura do pênis

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é fratura1 do pênis2?

Fratura1 peniana é uma ocorrência rara que consiste na ruptura de uma ou ambas as túnicas albugíneas, que são coberturas fibrosas que envolvem os corpos cavernosos do pênis2. Às vezes, também inclui ruptura parcial ou completa da uretra3 ou lesão4 dos nervos, veias5 e artérias6 dorsais.

Quais são as causas da fratura1 do pênis2?

A fratura1 peniana é causada pela aplicação de uma força bruta, rápida e mal direcionada em um pênis2 ereto7, geralmente durante o coito vaginal violento (70-80%) ou masturbação8 agressiva (10-15%). A maioria das fraturas de pênis2 acontece quando a (o) parceira (o) que é penetrada (o) está no comando dos movimentos. Quando é o parceiro penetrante que está controlando os movimentos, ele tem melhores chances de interromper sua atividade em resposta à dor ou qualquer outro desconforto que possa levar à fratura1.

Outros 10-15% dos casos de fratura1 peniana podem ocorrer também durante uma queda frontal em que o pênis2 esteja ereto7 ou por rolar na cama durante a fase de sono REM (durante a qual o pênis2 experimenta uma ereção9 automática). Outra situação que pode provocar uma fratura1 peniana ocorre quando, durante a relação sexual, o pênis2 sai da vagina10 e é pressionado com força sobre uma estrutura perineal firme.

Veja mais sobre "Conhecimentos básicos sobre relação sexual" e "Agressão sexual".

Quais são as principais características clínicas da fratura1 do pênis2?

Os sinais11 e sintomas12 da fratura1 peniana são um estalido13 de “quebra”, uma dor significativa nos dois terços inferiores do pênis2, sangue14 na urina15, inchaço16 do pênis2, perda imediata da ereção9, hematoma17 cutâneo18 de tamanhos variados, às vezes tomando todo o períneo19, e problemas para urinar.

Os sinais11 e sintomas12 que não incluem um estalido13 característico ou perda rápida de ereção9 geralmente são devidos a outro tipo de lesão4 que não a fratura1 do pênis2. Se, juntamente com o rompimento da túnica albugínea, houver lesões20 uretrais intensas, elas poderão causar retenção urinária21.

Como o médico diagnostica a fratura1 do pênis2?

Na maioria dos casos, o diagnóstico22 de fatura peniana é feito pela história clínica e exame físico, mas o médico pode também se valer de técnicas de imagens. O exame de ultrassonografia23 é capaz de detectar a ruptura da túnica albugínea na maioria dos casos e talvez só não encontre a lesão4 quando ela está localizada muito na base do pênis2. Já a ressonância magnética24 é capaz de diagnosticar com precisão qualquer ruptura e pode ser útil nos casos em que a suspeita clínica de fratura1 é alta, mas a ultrassonografia23 não mostra qualquer lesão4.

Em alguns casos, o uretrograma retrógrado (raios X contrastado da uretra3) pode ser necessário para descartar ou confirmar lesão4 uretral25 concomitante. Nunca se deve passar sonda uretral25 quando há sangramento da uretra3, por risco de tornar uma lesão4 uretral25 parcial em total. Outras condições que imitam os sintomas12 de uma fratura1 do pênis2 incluem uma ruptura das veias5 e artérias6 no pênis2 e um ligamento26 suspensor de ruptura.

Como o médico trata a fratura1 do pênis2?

A fratura1 do pênis2 é uma emergência27 médica porque o atraso no tratamento aumenta a taxa de complicações. Como ela pode causar danos duradouros à função sexual e urinária do homem, é importante procurar atendimento médico de emergência27. O reparo cirúrgico de emergência27 é o tratamento usual, mas há também abordagens não cirúrgicas que são, contudo, menos seguras. Toda lesão4 uretral25 importante deve ser reparada com sutura28 para o perfeito alinhamento da uretra3, assim evitando seu estreitamento, o que invariavelmente iria diminuir o fluxo urinário.

Quais são as complicações possíveis da fratura1 do pênis2?

Abordagens não cirúrgicas resultam em taxas de complicações de 10 a 50%, incluindo disfunção erétil, curvatura peniana permanente, danos à uretra3 e dor durante a relação sexual, enquanto os pacientes tratados operativamente apresentam uma taxa de complicação de 11%.

Leia também sobre "Impotência29 sexual ou disfunção erétil" e "Retenção urinária21".

 

ABCMED, 2018. Fratura do pênis. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-do-homem/1331258/fratura+do+penis.htm>. Acesso em: 26 mai. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
2 Pênis: Órgão reprodutor externo masculino. É composto por uma massa de tecido erétil encerrada em três compartimentos cilíndricos fibrosos. Dois destes compartimentos, os corpos cavernosos, ficam lado a lado ao longo da parte superior do órgão. O terceiro compartimento (na parte inferior), o corpo esponjoso, abriga a uretra.
3 Uretra: É um órgão túbulo-muscular que serve para eliminação da urina.
4 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
5 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
6 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
7 Ereto: 1. Que se mantém erguido, levantado; erecto. 2. Que se encontra em equilíbrio ou aprumado. 3. Que endureceu, que se tornou túrgido.
8 Masturbação: 1. Estimulação manual dos órgãos genitais que geralmente leva ao orgasmo. 2. No sentido figurado, inutilidade de tratar os mesmos temas (considerados infecundos), numa discussão ou pesquisa intelectual ou artística, de modo repetitivo, complacente e inconcludente.
9 Ereção: 1. Ato ou efeito de erigir ou erguer. 2. Inauguração, criação. 3. Levantamento ou endurecimento do pênis.
10 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
11 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
12 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
13 Estalido: Som breve, seco, de menos intensidade do que um estalo.
14 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
15 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
16 Inchaço: Inchação, edema.
17 Hematoma: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
18 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
19 Períneo: Região que constitui a base do púbis, onde estão situados os órgãos genitais e o ânus.
20 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
21 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
22 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
23 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
24 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
25 Uretral: Relativo ou pertencente à uretra.
26 Ligamento: 1. Ato ou efeito de ligar(-se). Tudo o que serve para ligar ou unir. 2. Junção ou relação entre coisas ou pessoas; ligação, conexão, união, vínculo. 3. Na anatomia geral, é um feixe fibroso que liga entre si os ossos articulados ou mantém os órgãos nas respectivas posições. É uma expansão fibrosa ou aponeurótica de aparência ligamentosa. Ou também uma prega de peritônio que serve de apoio a qualquer das vísceras abdominais. 4. Vestígio de artéria fetal ou outra estrutura que perdeu sua luz original.
27 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
28 Sutura: 1. Ato ou efeito de suturar. 2. Costura que une ou junta partes de um objeto. 3. Na anatomia geral, é um tipo de articulação fibrosa, em que os ossos são mantidos juntos por várias camadas de tecido conjuntivo denso; comissura (ocorre apenas entre os ossos do crânio). 4. Na anatomia botânica, é uma linha de espessura variável que se forma na região de fusão dos bordos de um carpelo (ou de dois ou mais carpelos concrescentes). 5. Em cirurgia, ato ou efeito de unir os bordos de um corte, uma ferida, uma incisão, com agulha e linha especial, para promover a cicatrização. 6. Na morfologia zoológica, nos insetos, qualquer sulco externo semelhante a uma linha.
29 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.