Gostou do artigo? Compartilhe!

Envelhecimento precoce dos dentes

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é envelhecimento precoce dos dentes?

Antigamente, a cárie, na infância, e a doença periodontal1, na idade adulta, eram as principais responsáveis pelos problemas da boca2. Escovar bem os dentes e cuidar das gengivas eram os cuidados recomendados. Hoje em dia, a preocupação é também com as lesões3 cervicais não cariosas (perdas na estrutura cervical do dente4, tais como abrasão, erosão e abfração) e hipersensibilidade dentária (perda da estrutura mineral dos dentes), já que os dentes estão envelhecendo mais rapidamente.

Esta é uma doença contemporânea, com relação direta com nosso estilo de vida. A doença não cariosa, que no passado era uma exclusividade das pessoas acima dos 70 anos, hoje é encontrada em 30% dos jovens entre 25 e 30 anos. A aparência dos dentes influi significativamente na aparência da face5 como um todo. O envelhecimento precoce dos dentes empresta também à face5 uma aparência envelhecida.

Saiba mais sobre "Retração da gengiva", "Cárie dentária", "Periodontite" e "Cuidados com os dentes de leite".

Quais são as causas do envelhecimento precoce dos dentes?

Alguns fatores de risco para o envelhecimento precoce dos dentes são conhecidos:

  • Ex-usuários de aparelhos ortodônticos nos quais podem ocorrer alterações irreversíveis na estrutura do osso que suporta os dentes.
  • Indivíduos com algum tipo de doença gástrica, como refluxo gastroesofágico6, nos quais o problema é causado pelo ácido clorídrico7 do estômago8.
  • Atletas amadores cuja nutrição9 esportiva inclui um grande volume de bebidas cítricas.
  • Pessoas que cerram, trincam e rangem os dentes, provocando uma sobrecarga na articulação temporomandibular10.
  • Aqueles que sofrem os efeitos colaterais11 de medicamentos ou tratamentos agressivos, como quimioterapia12 e radioterapia13.

Quais são as principais características do envelhecimento precoce dos dentes?

É razoável esperar-se ver dentes desgastados em pessoas idosas. No entanto, é comum ver-se um grande número de pessoas que longe de serem consideradas idosas exibem dentes envelhecidos: curtos, descoloridos e desgastados. Além do impacto estético do desgaste dentário, há problemas de saúde14 envolvidos.

Os primeiros sintomas15 do envelhecimento precoce dos dentes costumam ser a hipersensibilidade dos dentes, fratura16 dos dentes e dor na articulação17 da mandíbula18 e nos músculos faciais19. O esmalte20 do dente4 é perdido e a dentina fica exposta e, em consequência, vem a dor. A gengiva se retrai precocemente, e a lesão21 evolui para uma cavidade, que vai se aprofundando até a perda do dente4.

A camada mais externa da estrutura do dente4, conhecida como esmalte20, é a substância mais dura do corpo humano22. Uma vez que este esmalte20 é desgastado, a dentina fica exposta. A dentina tem aproximadamente a mesma dureza que o osso e é mais escura que o esmalte20. É por causa dessa exposição da dentina mais escura que os dentes ficam escurecidos à medida que se desgastam. Além disso, como a dentina é mais macia que o esmalte20, o desgaste dos dentes se acelera.

O desgaste severo não é o resultado da função normal de mastigar, mas antes, o resultado de hábitos como o ranger, apertar os dentes uns contra outros e roer as unhas23. Um tipo especial de desgaste dentário conhecido como erosão ocorre como resultado do ataque de ácidos nos dentes. Ácidos estomacais entram em contato com os dentes quando os pacientes sofrem de doenças de refluxo ácido ou bulimia24. Uma dieta altamente ácida também pode causar erosão dos dentes.

Leia sobre "Disfunção da ATM" e "Clareamento dental".

Como prevenir o envelhecimento precoce dos dentes?

  1. Evite o desgaste de seus dentes. Conforme você envelhece, o desgaste de seus dentes é inevitável, mas há muito o que você pode fazer para minimizar esse efeito. Tudo que você mastiga, desgasta em algum grau o esmalte20 dos seus dentes, mas procure não mastigar alimentos duros, como gelo, por exemplo, que os desgasta mais agudamente. Isso pode causar pequenas lascas no seu esmalte20, às vezes imperceptíveis, e até mesmo dentes quebrados.
  2. Mantenha suas gengivas saudáveis, livrando-as de bactérias e placas25 que podem causar dor, inchaço26, sangramento e infecções27 em suas gengivas, danificando o osso abaixo. Os sinais28 de doença da gengiva incluem: sangramento quando você escova seus dentes; gengivas que retraem ou recuam dos dentes; dentes frouxamente presos ou inteiramente soltos e mau hálito. A melhor maneira de manter as gengivas em boa forma é cuidar bem dos dentes e frequentar regularmente seu dentista.
  3. Não deixe sua boca2 secar. A saliva ajuda a limpar os dentes e a proteger sua boca2 da deterioração e de mais cáries29. Combata o ressecamento, que pode ser causado pelo envelhecimento e por alguma medicação. Para evitar isso, beba mais água, segurando-a na boca2 por alguns segundos antes de engolir e/ou mastigue um chiclete sem açúcar30.
  4. Esmalte20 desgastado, problemas de gengiva e cáries29 podem tornar seus dentes mais sensíveis e podem doer quando você beber algo quente ou frio ou mesmo quando você escovar os dentes um pouco demais. Mas há muito o que você pode fazer para mantê-los em forma. Um bom atendimento odontológico é a melhor prevenção.
  5. Evite a permanência dos ácidos bucais. Bebidas gasosas, frutas cítricas e sucos contêm ácido. Alimentos açucarados e com amido fazem com que sua boca2 produza ácidos que causam um desgaste do esmalte20 dos seus dentes. Coma31 esses alimentos nas suas refeições principais, não nos lanches, porque é quando sua boca2 produz mais saliva para ajudar a lavar o ácido. O leite e o queijo, usados depois desses alimentos, ajudam a "cancelar" o ácido.
  6. À medida que a pessoa envelhece, há uma pequena chance de desenvolver câncer32 de boca2, garganta33, língua34 ou lábios, afetando seus dentes. A melhor maneira de evitar isso é parar de fumar, beber álcool apenas com moderação e usar protetor labial com protetor solar.
Veja também sobre "Gengivas sangrando", "Gengivites", "Mau hálito" e "Implante35 dentário".

 

ABCMED, 2019. Envelhecimento precoce dos dentes. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-bucal/1339948/envelhecimento+precoce+dos+dentes.htm>. Acesso em: 21 jan. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Periodontal: Relativo ao ou próprio do tecido em torno dos dentes, o periodonto. O periodonto é o tecido conjuntivo que fixa o dente no alvéolo.
2 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
3 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
4 Dente: Uma das estruturas cônicas duras situadas nos alvéolos da maxila e mandíbula, utilizadas na mastigação e que auxiliam a articulação. O dente é uma estrutura dérmica composta de dentina e revestida por cemento na raiz anatômica e por esmalte na coroa anatômica. Consiste numa raiz mergulhada no alvéolo, um colo recoberto pela gengiva e uma coroa, a parte exposta. No centro encontra-se a cavidade bulbar preenchida com retículo de tecido conjuntivo contendo uma substância gelatinosa (polpa do dente) e vasos sangüíneos e nervos que penetram através de uma abertura ou aberturas no ápice da raiz. Os 20 dentes decíduos ou dentes primários surgem entre o sexto e o nono e o vigésimo quarto mês de vida; sofrem esfoliação e são substituídos pelos 32 dentes permanentes, que aparecem entre o quinto e sétimo e entre o décimo sétimo e vigésimo terceiro anos. Existem quatro tipos de dentes
5 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
6 Refluxo gastroesofágico: Presença de conteúdo ácido proveniente do estômago na luz esofágica. Como o dito órgão não está adaptado fisiologicamente para suportar a acidez do suco gástrico, pode ser produzida inflamação de sua mucosa (esofagite).
7 Ácido clorídrico: Ácido clorídrico ou ácido muriático é uma solução aquosa, ácida e queimativa, normalmente utilizado como reagente químico. É um dos ácidos que se ioniza completamente em solução aquosa.
8 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
9 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
10 Articulação Temporomandibular: Articulação entre o côndilo da mandíbula e o tubérculo articular do osso temporal. Relação Central;
11 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
12 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
13 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
15 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
17 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
18 Mandíbula: O maior (e o mais forte) osso da FACE; constitui o maxilar inferior, que sustenta os dentes inferiores. Sinônimos: Forame Mandibular; Forame Mentoniano; Sulco Miloióideo; Maxilar Inferior
19 Músculos Faciais: Músculos da expressão facial ou músculos miméticos; os numerosos músculos supridos pelo nervo facial fixados à pele da face e que a movimentam. A NA também inclui alguns músculos mastigadores nesse grupo. (Stedman, 25ª ed) Sinônimos: Músculos Miméticos
20 Esmalte: Camada rígida, delgada e translúcida, de substância calcificada que reveste e protege a dentina da coroa do dente. É a substância mais dura do corpo e é quase que completamente composta de sais de cálcio. Ao microscópio, é composta de bastões delgados (prismas do esmalte) mantidos conectados por uma substância cimentante, e apresenta-se revestido por uma bainha de esmalte. (Tradução livre do original
21 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
22 Corpo humano: O corpo humano é a substância física ou estrutura total e material de cada homem. Ele divide-se em cabeça, pescoço, tronco e membros. A anatomia humana estuda as grandes estruturas e sistemas do corpo humano.
23 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
24 Bulimia: Ingestão compulsiva de alimentos, em geral seguida de indução do vômito ou uso abusivo de laxantes. Trata-se de uma doença psiquiátrica, que faz parte dos chamados Transtornos Alimentares, juntamente com a Anorexia Nervosa, à qual pode estar associada.
25 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
26 Inchaço: Inchação, edema.
27 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
28 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
29 Cáries: Destruição do esmalte dental produzida pela proliferação de bactérias na cavidade oral.
30 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
31 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
32 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
33 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
34 Língua:
35 Implante: 1. Em cirurgia e odontologia é o material retirado do próprio indivíduo, de outrem ou artificialmente elaborado que é inserido ou enxertado em uma estrutura orgânica, de modo a fazer parte integrante dela. 2. Na medicina, é qualquer material natural ou artificial inserido ou enxertado no organismo. 3. Em patologia, é uma célula ou fragmento de tecido, especialmente de tumores, que migra para outro local do organismo, com subsequente crescimento.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.