Gostou do artigo? Compartilhe!

Agressividade - entendendo o conceito, as causas e os tipos de manifestação

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é agressividade?

A agressividade é uma forma de comportamento físico ou verbal em relação a outras pessoas, muitas vezes irritada e destrutiva, e destina-se a ser prejudicial, física ou emocionalmente. Pode surgir de impulsos inatos e/ou ser uma resposta à frustração, e pode também manifestar-se por atitudes ofensivas e destrutivas, por atitudes encobertas de hostilidade e obstrução ou por um saudável impulso à mestria.

Abordagens biológicas conceituam a agressividade como uma energia interna liberada por estímulos externos, um produto da evolução através da seleção natural, em parte genética e também consequente de flutuações hormonais. Abordagens psicológicas conceituam-na como um instinto destrutivo, uma resposta à frustração, um afeto excitado por um estímulo negativo, resultado da aprendizagem observada da sociedade e do reforço diversificado, resultante de variáveis que afetam os ambientes pessoal e situacional.

A agressão é uma forma de interação social às vezes útil e muitas vezes prejudicial. A definição operativa da agressividade pode ser afetada por visões morais ou políticas. Pode ocorrer como resposta a uma atitude de outrem ou sem nenhum desencadeante racional conhecido. Nos seres humanos, a frustração causada pelas atitudes bloqueadas pode causar reações agressivas. Algumas definições de agressividade incluem a exigência de que o indivíduo deva explicitamente pretender prejudicar outra pessoa.

A agressividade difere do que é comumente chamado de assertividade, embora os termos sejam frequentemente usados entre os leigos de forma intercambiável. O comportamento predatório ou defensivo entre membros de diferentes espécies também não deve ser considerado como agressividade.

O termo agressão vem da palavra latina aggressio, que significa ataque. O primeiro uso conhecido do termo data de 1611, no sentido de um ataque não provocado. Um sentido psicológico de "comportamento hostil ou destrutivo" remonta a uma tradução inglesa de 1912 dos escritos de Sigmund Freud. Alfred Adler teorizou sobre um "impulso agressivo" em 1908. Especialistas em criação de crianças começaram a se referir à agressividade, ao invés de raiva1, a partir dos anos 1930.

Leia sobre "Estresse", "Esgotamento mental" e "Maneiras de lidar com o estresse".

Quais são as causas da agressividade?

Em geral, a agressividade resulta da ação de um grande número de genes que interagem entre si e com o ambiente. Em humanos, há boas evidências de que a arquitetura neural básica que sustenta o potencial de respostas agressivas é igualmente influenciada tanto pelos genes quanto pelo ambiente. Aproximadamente 40% da variação entre indivíduos é explicada por diferenças em genes e 60% por diferenças no ambiente.

Tipos de agressividade

A agressividade humana pode ser classificada em agressividade direta e indireta. A primeira é caracterizada por um comportamento físico ou verbal destinado a causar dano a alguém e a última é caracterizada por um comportamento destinado a prejudicar as relações sociais de um indivíduo ou grupo.

A agressividade pode assumir uma variedade de formas, que podem ser expressas fisicamente ou comunicadas verbalmente, incluindo “agressão” anti-predador, “agressão” defensiva, “agressão” predatória, “agressão” de dominação, “agressão” relativa ao sexo, “agressão” induzida pelo isolamento e muitas outras.

Existem dois subtipos de agressão humana: (1) intencional ou orientada para objetivos e (2) reativo-impulsiva, que provoca ações genéricas incontroláveis, inapropriadas ou indesejáveis. Pode ser feita também distinção entre agressão afetiva e predatória. Entretanto, alguns pesquisadores questionam a utilidade de uma distinção hostil versus outra, instrumental, em humanos, apesar de sua onipresença na pesquisa, porque a maioria dos casos da vida real envolve motivos mistos e de causas interativas.

Outras classificações da agressividade foram sugeridas e dependem de alguns fatores, tais como: se a agressão é verbal ou física; se envolve ou não agressão relacional, como intimidação ou manipulação social; se o dano aos outros é intencional ou não; se é realizado ativamente ou expresso de modo passivo e se a agressão visa direta ou indiretamente seu alvo.

A classificação também pode abranger emoções relacionadas à agressividade, como a raiva1 ou estados mentais como a impulsividade ou a hostilidade, por exemplo. A agressividade pode ocorrer em resposta a fatores sociais ou não sociais e pode ter uma relação próxima ao estilo de enfrentamento do estresse.

Saiba mais sobre "Personalidade borderline", "Inveja" e "Síndrome2 de burnout?"

A agressividade entre animais

Os pesquisadores estão de acordo que a chamada “agressividade entre animais” não é da mesma natureza que aquela existente entre humanos e nunca tem como objetivo causar danos ao outro, mas prover e proteger a si mesmo ou à sua prole. O que se usa chamar de “agressividade animal” pode ocorrer:

  1. Entre indivíduos de duas espécies diferentes (por exemplo: entre gato e rato).
  2. Entre grupos de uma mesma espécie (por exemplo: entre diferentes colônias de chimpanzés).
  3. Entre indivíduos de uma mesma espécie (por exemplo: a luta pela posse de território, das fêmeas e o estabelecimento de hierarquia).

Talvez o tipo de comportamento animal que mais se pareça com agressão interespecífica é aquele observado entre predador e presa. No entanto, as áreas ativadas no hipotálamo3 do “agressor” se assemelham às que refletem a fome e não às que refletem a raiva1. Alguns poucos comportamentos se assemelham ao comportamento hostil, como a morte de camundongos por ratos, sem nenhuma finalidade biológica reconhecida.

Conflitos entre animais ocorrem por vários motivos, tais como entre pretendentes ao acasalamento, entre pais e filhos, entre irmãos e entre concorrentes por recursos, como água e alimentação, por exemplo. Vários outros fatores limitam as agressões e seus efeitos, incluindo exibições comunicativas, convenções e rotinas.

Os animais de uma mesma espécie normalmente expulsam o contendor mais fraco, mas não o matam. Além disso, após incidentes4 “agressivos” entre animais, várias formas de apaziguamento foram observadas em espécies de mamíferos, particularmente em primatas gregários.

Veja também sobre "Transtorno obsessivo compulsivo ou TOC" e "Personalidade narcisista".

 

ABCMED, 2019. Agressividade - entendendo o conceito, as causas e os tipos de manifestação. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/psicologia-e-psiquiatria/1332103/agressividade-entendendo-o-conceito-as-causas-e-os-tipos-de-manifestacao.htm>. Acesso em: 16 jan. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Raiva: 1. Doença infecciosa freqüentemente mortal, transmitida ao homem através da mordida de animais domésticos e selvagens infectados e que produz uma paralisia progressiva juntamente com um aumento de sensibilidade perante estímulos visuais ou sonoros mínimos. 2. Fúria, ódio.
2 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
3 Hipotálamo: Parte ventral do diencéfalo extendendo-se da região do quiasma óptico à borda caudal dos corpos mamilares, formando as paredes lateral e inferior do terceiro ventrículo.
4 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Psiquiatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.