Gostou do artigo? Compartilhe!

O que é pressão venosa?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

A circulação1 venosa

Quando se fala em circulação1 do sangue2 ou de problemas circulatórios pensa-se mais nas artérias3 do que nas veias4. No entanto, a circulação1 venosa também é vital para o organismo e é fonte de problemas de saúde5 incapacitantes ou mesmo fatais. A circulação1 venosa começa onde termina a circulação1 arterial. Microcapilares arteriais deixam o sangue2 carregado de oxigênio nos tecidos periféricos, onde ele é consumido, e microcapilares venosos recolhem o sangue2 carregado de gás carbônico.

Enquanto nas artérias3 o sangue2 circula em direção aos vasos de menor calibre, do coração6 para a periferia (circulação1 centrífuga7), nas veias4 ele flui para vasos cada vez de maior calibre, da periferia em direção ao coração6 (circulação1 centrípeta). Nas artérias3 o sangue2 segue à frente impulsionado sobretudo pela bomba cardíaca, nas veias4 ele é tracionado pela sucção realizada pelos átrios cardíacos8 e ciclicamente pelo movimento respiratório de inspiração9, e impulsionado pela ação dos músculos10 adjacentes às veias4 e pela contratilidade daqueles vasos. Quando inspiramos, o diafragma11 desce, empurrando o abdômen e expandindo o tórax12. A pressão então se torna positiva no abdômen e negativa no tórax12, favorecendo a circulação1 venosa. Esse movimento se alterna no sentido contrário durante a expiração13, mas as válvulas venosas unidirecionais impedem o sangue2 de retornar no sentido inverso.

Costuma-se classificar o sistema venoso14 em duas partes:

  • Sistema venoso14 superficial, constituído pelas veias4 abaixo da pele15 e geralmente visíveis.
  • Sistema venoso14 profundo, constituído pelas veias4 profundas, que se localizam entre os músculos10.

O sistema venoso14 superficial se liga com o profundo através dos ramos venosos comunicantes.

Saiba mais sobre "O que é pressão arterial16", "Hipertensão Arterial17", "Sintomas18 da hipertensão arterial17" e "Hipotensão arterial19".

O que é pressão venosa?

Pressão venosa é a pressão que o sangue2 exerce sobre as paredes das veias4. A pressão venosa diminui progressivamente da periferia para o coração6. Esse gradiente de pressão entre os vasos de menor e de maior calibre é outro fator que ajuda na circulação1 do sangue2.

Na altura do tornozelo20 de uma pessoa parada, essa pressão mede 90 a 110 mmHg (dependendo da força da gravidade e da distância do coração6 ao pé). Quanto maior o diâmetro venoso na direção do coração6, menor se torna a pressão prevalecente. Numa pessoa saudável deitada, a pressão nos capilares21 venosos é de cerca de 20 mmHg, cai para cerca de 8-12 mmHg na virilha, ainda mede cerca de 3-5 mmHg na cavidade abdominal22, mas apenas 2 mmHg no átrio direito23.

Como medir a pressão venosa?

A pressão venosa central (PVC) é a pressão medida nas veias4 cavas, perto do átrio direito23 do coração6. Ela reflete a quantidade de sangue2 que retorna ao coração6 e a capacidade desse órgão de bombear o sangue2 de volta ao sistema arterial24.

Para a mensuração da pressão venosa central é necessário posicionar um cateter em uma veia central (geralmente veia cava superior), comumente utilizando-se de punção percutânea de veia subclávia ou veia jugular interna. Essa colocação é checada radiologicamente para certificar-se de que o cateter esteja bem posicionado e não está dentro do átrio direito23. Para medir a PVC utiliza-se um manômetro de água graduado em centímetros ou um transdutor eletrônico calibrado em milímetros de mercúrio (mmHg). O método de mensuração da PVC com coluna de água dispensa os transdutores eletrônicos sofisticados. É esperado que haja oscilação da coluna d'água ou do gráfico no monitor, acompanhando os movimentos respiratórios do paciente.

Por que medir a pressão venosa?

A medida da pressão venosa não é uma prática usual nas atividades médicas cotidianas, mas torna-se muito importante num serviço de hemodinâmica25. A interpretação dos seus dados é uma tarefa muito especializada e cabe apenas aos especialistas.

Embora existam outros, o principal propósito de mensurar a PVC é estimar a pressão diastólica26 final do ventrículo direito. Os detalhes da pressão venosa apurados em diversos sítios da árvore venosa dizem muito ao cardiologista27 e ao cirurgião cardíaco e os ajuda a decidir o manuseio hemodinâmico global do paciente. Quando utilizada de maneira criteriosa e associada a outros parâmetros clínicos e hemodinâmicos, a PVC é um dado extremamente útil na avaliação das condições cardiocirculatórias de pacientes em estado crítico.

Em termos fisiológicos, a mensuração da PVC é um método de avaliar a pressão de enchimento do ventrículo direito, de grande relevância na interpretação de sua função.

Veja também sobre "Varizes28 - o que são, causas, sintomas18 e tratamento", "Prevenção das varizes28" e "Drenagem29 linfática".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Science Direct e do National Center for Biotechnology Information.

ABCMED, 2020. O que é pressão venosa?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1378408/o+que+e+pressao+venosa.htm>. Acesso em: 23 set. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
2 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
3 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
4 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
7 Centrífuga: 1. Que se move ou faz mover em direção oposta ao eixo de rotação. 2. Que funciona por meio de força centrífuga.
8 Átrios Cardíacos: Câmaras do coração às quais o SANGUE circulante retorna.
9 Inspiração: 1. Ato ou efeito de inspirar(-se). 2. Entrada de ar nos pulmões através das vias respiratórias. 3. Conselho, sugestão, influência. 4. No sentido figurado, significa criatividade, entusiasmo. Pessoa ou coisa que inspira, estimula a capacidade criativa. 5. Ideia súbita e espontânea, geralmente brilhante e/ou oportuna.
10 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
11 Diafragma: 1. Na anatomia geral, é um feixe muscular e tendinoso que separa a cavidade torácica da cavidade abdominal. 2. Qualquer membrana ou placa que divide duas cavidades ou duas partes da mesma cavidade. 3. Em engenharia mecânica, em um veículo automotor, é uma membrana da bomba injetora de combustível. 4. Na física, é qualquer anteparo com um orifício ou fenda, ajustável ou não, que regule o fluxo de uma substância ou de um feixe de radiação. 5. Em ginecologia, é um método contraceptivo formado por uma membrana de material elástico que envolve um anel flexível, usado no fundo da vagina de modo a obstruir o colo do útero. 6. Em um sistema óptico, é uma abertura que controla a seção reta de um feixe luminoso que passa através desta, com a finalidade de regular a intensidade luminosa, reduzir a aberração ou aumentar a profundidade focal.
12 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
13 Expiração: 1. Ato ou efeito de expirar. 2. Expulsão, pelas vias respiratórias, do ar dos pulmões. 3. Fim ou termo de prazo estipulado ou convencionado.
14 Sistema venoso: O sistema venoso possui a propriedade de variação da sua complacência, para permitir o retorno de um variável volume sanguíneo ao coração e a manutenção de uma reserva deste volume.
15 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
16 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
17 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
18 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
19 Hipotensão arterial: Diminuição da pressão arterial abaixo dos valores normais. Estes valores normais são 90 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 50 milímetros de pressão diastólica.
20 Tornozelo: A região do membro inferior entre o PÉ e a PERNA.
21 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
22 Cavidade Abdominal: Região do abdome que se estende do DIAFRAGMA torácico até o plano da abertura superior da pelve (passagem pélvica). A cavidade abdominal contém o PERiTÔNIO e as VÍSCERAS abdominais, assim como, o espaço extraperitoneal que inclui o ESPAÇO RETROPERITONEAL.
23 Átrio Direito: Câmaras do coração às quais o SANGUE circulante retorna.
24 Sistema arterial: O sistema arterial possui basicamente a propriedade de condução e distribuição do volume sanguíneo aos tecidos, e de variação da resistência ao fluxo de sangue, para a manutenção da pressão intravascular e da adequada oferta de fluxo.
25 Hemodinâmica: Ramo da fisiologia que estuda as leis reguladoras da circulação do sangue nos vasos sanguíneos tais como velocidade, pressão etc.
26 Pressão Diastólica: É a pressão mais baixa detectada no sistema arterial sistêmico, observada durante a fase de diástole do ciclo cardíaco. É também denominada de pressão mínima.
27 Cardiologista: Médico especializado em tratar pessoas com problemas cardíacos.
28 Varizes: Dilatação anormal de uma veia. Podem ser dolorosas ou causar problemas estéticos quando são superficiais como nas pernas. Podem também ser sede de trombose, devido à estase sangüínea.
29 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cardiologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.