Atalho: 6UA7N3V
Gostou do artigo? Compartilhe!

Varizes: o que são? Quais as causas, sinais e sintomas? Qual o tratamento?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são varizes1?

O sangue2 é levado aos tecidos pelas artérias3 e trazido de volta pelas veias4, ajudadas pela musculatura. Pode-se imaginar o esforço que o organismo tem de fazer para que o sangue2 retorne dos pés e pernas até o coração5, contra a ação da gravidade. As veias4 contêm válvulas que impedem o refluxo do sangue2, que circula nelas num único sentido, o do coração5. Se essas válvulas não funcionarem, o sangue2 se acumula nas veias4 e pressiona suas paredes, provocando a dilatação e deformação delas. Isso pode ocorrer por uma continuada e excessiva ação da gravidade (como nos barbeiros ou sentinelas, por exemplo, que ficam de pé por muito tempo). Os músculos6 da panturrilha7 constituem-se numa verdadeira bomba que impulsiona o sangue2 em direção ascendente mas, nesse trabalho, as veias4 superficiais ou profundas podem sofrer dilatações e deformações e, assim, constituírem as varizes1. Varizes1 também podem ocorrer, por outros motivos, nas paredes de órgãos internos (estômago8, esôfago9, ânus10, etc.), mas as que surgem nas pernas são, de longe, as mais comuns e conhecidas e os leigos costumam usar o termo varizes1 sem adjetivação para se referirem a elas. Por essa razão este artigo será focado nelas. As varizes1 ligadas às vísceras são estudadas em relação às doenças que as causam. As varizes1 nas pernas ocorrem mais em pessoas que necessitam ficar em pé por longos períodos e podem causar dor e inchaço11 nas pernas.

Quais são as causas das varizes1?

Nem todo mundo tem varizes1, mesmo quando estão expostos às situações que, em outras condições, as causariam. Estima-se que no Brasil 18% das pessoas tenham varizes1, a maioria delas do sexo feminino. Com o passar do tempo e devido a fatores hereditários, as veias4 diminuem a sua elasticidade12 normal e as válvulas venosas perdem sua eficiência. Com isso, o sangue2 passa a ficar parado ou mesmo a refluir dentro das veias4, provocando a dilatação delas.

Outros fatores que favorecem o aparecimento de varizes1:

  • Obesidade13.
  • Traumatismos nas pernas.
  • Sedentarismo14.
  • Gravidez15.
  • Tabagismo.
  • Exposição ao calor.
  • Pílulas anticoncepcionais e reposição hormonal.

Quais são os sinais16 e sintomas17 das varizes1?

Na maioria das vezes as varizes1 não provocam sintomas17 e o principal problema que causam é de natureza estética. No entanto, alguns sinais16 e sintomas17 podem ser mencionados:

  • Presença de veias4 tortuosas, azuladas, visíveis sob a pele18.
  • Grupamento de finos vasos avermelhados, também visíveis sob a pele18.
  • Sensação de queimação nas pernas e planta dos pés.
  • Inchação predominante nos tornozelos e ao final do dia.
  • Prurido19 ou coceira.
  • Sensação de fadiga20 nas pernas.
  • Sensação de peso nas pernas.
  • Cãibras.

Nas mulheres, esses sintomas17 tendem a piorar durante a menstruação21 e a gravidez15.

Como o médico diagnostica as varizes1?

O diagnóstico22 de varizes1 pode ser feito pelo simples exame local. Através de algumas manobras clínicas o médico pode verificar quais veias4 estão comprometidas. O mapeamento dos segmentos varicosos pode ser feito com a ajuda do Doppler, um exame de imagem, que também pode auxiliar no encontro de trombos23 e na localização de alterações do fluxo sanguíneo venoso. Em casos mais sérios e que exigem maior precisão diagnóstica, podem ainda ser feitos exames mais sofisticados.

Como se trata as varizes1?

As varizes1 de perna podem ser tratadas pela remoção cirúrgica das veias4 comprometidas ou esclerose24 delas por meios químicos ou por raios Laser. O procedimento cirúrgico é rápido, o tempo de hospitalização é curto e a recuperação pode ser feita em casa. As veias4 superficiais podem ser necrosadas pela injeção25 de drogas, a fim de que não mais conduzam sangue2 e se estabeleça uma circulação26 colateral não varicosa e se criem novos vasos. Esse procedimento, no entanto, não é indicado para tratar varizes1 maiores, nem para as que sejam profundas. Depois da recuperação, deve-se caminhar diariamente para estimular a circulação26 do sangue2 e o crescimento de novos vasos. Quando pisamos, o sangue2 acumulado nos pés é bombeado para cima e o mesmo acontece quando exercitamos os músculos6 da panturrilha7. Por isso, caminhar é muito importante para prevenir ou tratar as varizes1.

Advertências úteis a pessoas com varizes1 nas pernas:

  • Evite ficar de pé ou parado numa mesma posição, por muito tempo. Movimente os pés e as pernas regularmente.
  • Procure elevar as pernas acima do nível do coração5 (colocar os pés para cima), diversas vezes por dia.
  • Use meias elásticas, desde antes de levantar-se da cama.
  • Procure andar a pé. Caminhar ajuda a prevenir as varizes1 das pernas.
  • Se ferir uma veia com varizes1, deite-se imediatamente e eleve a perna ferida.
  • As varizes1 podem dar origem a coágulos que podem se desprender e alcançar o cérebro27 ou o pulmão28, por exemplo.
  • No caso de ocorrer qualquer inflamação29 dolorida, procure um médico imediatamente.

Como evoluem as varizes1?

Se tratadas corretamente as varizes1 podem desaparecer ou serem muito reduzidas. Quando não tratadas ou não manejadas adequadamente, as varizes1 podem levar a complicações, algumas das quais sérias, devido à estagnação do sangue2 ou a distúrbios tróficos dos tecidos que não são adequadamente irrigados, tais como:

  • Eczemas30.
  • Dermatites.
  • Flebites e tromboses31.
  • Escurecimento da pele18.
  • Hemorragias32, pelo rompimento das veias4.
  • Úlceras33 de pés ou pernas, devido à deficiência de nutrição34 dos tecidos.

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas em parte dos sites da Healthline, do National Health Service do Reino Unido e da Mayo Clinic.

ABCMED, 2013. Varizes: o que são? Quais as causas, sinais e sintomas? Qual o tratamento?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/337324/varizes-o-que-sao-quais-as-causas-sinais-e-sintomas-qual-o-tratamento.htm>. Acesso em: 6 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Varizes: Dilatação anormal de uma veia. Podem ser dolorosas ou causar problemas estéticos quando são superficiais como nas pernas. Podem também ser sede de trombose, devido à estase sangüínea.
2 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
3 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
4 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
5 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
6 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
7 Panturrilha: 1. Proeminência muscular, situada na face posterossuperior da perna, formada especialmente pelos músculos gastrocnêmio e sóleo; sura, barriga da perna. 2. Por extensão de sentido, enchimento usado por baixo das meias, para melhorar a aparência das pernas.
8 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
9 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
10 Ânus: Segmento terminal do INTESTINO GROSSO, começando na ampola do RETO e terminando no ânus.
11 Inchaço: Inchação, edema.
12 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
13 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
14 Sedentarismo: Qualidade de quem ou do que é sedentário, ou de quem tem vida e/ou hábitos sedentários. Sedentário é aquele que se exercita pouco, que não se movimenta muito.
15 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
16 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
17 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
18 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
19 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
20 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
21 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
22 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
23 Trombos: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
24 Esclerose: 1. Em geriatria e reumatologia, é o aumento patológico de tecido conjuntivo em um órgão, que ocorre em várias estruturas como nervos, pulmões etc., devido à inflamação crônica ou por razões desconhecidas. 2. Em anatomia botânica, é o enrijecimento das paredes celulares das plantas, por espessamento e/ou pela deposição de lignina. 3. Em fitopatologia, é o endurecimento anormal de um tecido vegetal, especialemnte da polpa dos frutos.
25 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
26 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
27 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
28 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
29 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
30 Eczemas: Afecções alérgicas da pele, elas podem ser agudas ou crônicas, caracterizadas por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
31 Tromboses: Formações de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Podem ser venosas ou arteriais e produzem diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
32 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
33 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
34 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Angiologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

14/05/2014 - Comentário feito por Roberta
Bom dia!

Gostaria de saber se a mass...
Bom dia!

Gostaria de saber se a massagem é boa ou ruim para quem tem varizes?

Obrigada

02/06/2013 - Comentário feito por paulo
Re: Varizes: o que são? Quais as causas, sinais e sintomas? Qual o tratamento?
estas informaçoes sao muito importantes pois tenho na familiaalgumas pessoas com estes problemas

  • Entrar
  • Assinar