Gostou do artigo? Compartilhe!

Rafinose - em quais alimentos ela pode ser encontrada? Quais seus efeitos no organismo?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é rafinose?

A rafinose é um açucar trissacarídeo (C18H32O16), branco e cristalino1, composto de galactose2, frutose3 e glicose4, que pode ser encontrado no feijão, repolho, couve, couve de Bruxelas, brócolis, aspargos, uvas, soja e outras plantas. A rafinose é ligeiramente doce, possuindo apenas 20% da intensidade adoçante da sacarose.

Saiba mais sobre "Frutose3" e "Glicose4".

Qual é o mecanismo de atuação da rafinose no corpo humano5?

A rafinose pode ser hidrolisada em sacarose e galactose2 pela enzima6 α-galactosidase. Como os humanos não possuem essa enzima6 no intestino delgado7 para quebrar o trissacarídeo, ele passa sem ser digerido e no intestino grosso8 alimenta bactérias da flora intestinal que realizam sua decomposição. Esse metabolismo9 produz gás carbônico e metano (O2 e CH4) e causa flatulência, estufamento do abdome10, plenitude, dor abdominal e arrotos. Devido à sua decomposição mais difícil, a rafinose é por vezes utilizada em alimentos para reduzir calorias11 em dietas de emagrecimento.

A família rafinose de oligossacarídeos (um grupo de açúcares trissacarídicos não redutores e solúveis como, por exemplo, rafinose, stachilose, verbascose e ajugose) está quase que onipresente no reino vegetal, sendo encontrada em uma grande variedade de sementes diferentes, ficando em segundo lugar em abundância de carboidratos solúveis apenas em relação à sacarose.

Em algumas famílias de plantas, o amido armazenado também é substituído por oligossacarídeos como a rafinose. Tecnicamente, a sacarina12 da beterraba produz uma rafinose anticongelante, que se adiciona aos líquidos para reduzir o ponto de solidificação deles, conseguindo desta forma que a mistura resultante se congele a uma temperatura mais baixa. Isto é usado para evitar o congelamento e para a criopreservação de preparações médicas. As sementes de leguminosas (ervilhas, feijões, lentilhas, etc.), depois de secas, contêm de 5 a 15% de rafinose. Durante a produção de açúcar13 de beterraba, grandes quantidades de rafinose se acumulam no melaço, que pode ser usado para produzir alguns tipos de açúcares.

Quais são os efeitos da rafinose no organismo humano?

A estimulação adequada da pele14 produzida pela rafinose é considerada essencial para melhorar a função da barreira epidérmica e, assim, manter uma homeostase saudável da pele14. A epiderme15 é uma barreira mecânica e de permeabilidade16 essencial entre o meio externo e o meio interno da pele14. Além dessas, os oligossacarídeos bioativos exibem várias outras atividades biológicas: influenciar as propriedades de retenção de água do estrato córneo, efeito anti-inflamatório, funções reguladoras do sebo e ação antibacteriana. Atuam ainda como cosméticos, com função hidratante da pele14 seca.

O feijão, um dos alimentos mais populares entre os brasileiros, é uma leguminosa rica em rafinose e estaquiose, um trissacarídeo e um tetrassacarídeo, respectivamente; além de ser também fonte de aminoácidos essenciais. O motivo do feijão causar flatulência é exatamente que esses dois oligossacarídeos, ao chegarem ao intestino grosso8, são utilizados como alimento por bactérias intestinais que realizam fermentação e produzem gases. Esta fermentação pode ser amenizada pelo consumo de feijão azuki, que possui menor quantidade de rafinose, ou deixando o feijão de molho na geladeira por uma noite.

Algumas especiarias como sálvia, alecrim, tomilho e funcho podem ajudar a digerir a rafinose e devem ser consumidos em conjunto para amenizar os sintomas17 gastrointestinais da substância.

Leia também sobre "Carboidratos", "Frutas mais consumidas", "Dicas para melhorar a alimentação" e "Intolerância à lactose18".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas em parte do site da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e, em parte, do site da Mayo Clinic.

ABCMED, 2019. Rafinose - em quais alimentos ela pode ser encontrada? Quais seus efeitos no organismo?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1343638/rafinose-em-quais-alimentos-ela-pode-ser-encontrada-quais-seus-efeitos-no-organismo.htm>. Acesso em: 19 set. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Cristalino: 1. Lente gelatinosa, elástica e convergente que focaliza a luz que entra no olho, formando imagens na retina. A distância focal do cristalino é modificada pelo movimento dos músculos ciliares, permitindo ajustar a visão para objetos próximos ou distantes. Isso se chama de acomodação do olho à distância do objeto. 2. Diz-se do grupo de cristais cujos eixos cristalográficos são iguais nas suas relações angulares gerais constantes 3. Diz-se de rocha constituída quase que totalmente por cristais ou fragmentos de cristais 4. Diz-se do que permite que passem os raios de luz e em consequência que se veja através dele; transparente. 5. Límpido, claro como o cristal.
2 Galactose: 1. Produção de leite pela glândula mamária. 2. Monossacarídeo usualmente encontrado em oligossacarídeos de origem vegetal e animal e em polissacarídeos, usado em síntese orgânica e, em medicina, no auxílio ao diagnóstico da função hepática.
3 Frutose: Açúcar encontrado naturalmente em frutas e mel. A frutose encontrada em alimentos processados é derivada do milho. Contém quatro calorias por grama.
4 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
5 Corpo humano: O corpo humano é a substância física ou estrutura total e material de cada homem. Ele divide-se em cabeça, pescoço, tronco e membros. A anatomia humana estuda as grandes estruturas e sistemas do corpo humano.
6 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
7 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
8 Intestino grosso: O intestino grosso é dividido em 4 partes principais: ceco (cecum), cólon (ascendente, transverso, descendente e sigmoide), reto e ânus. Ele tem um papel importante na absorção da água (o que determina a consistência do bolo fecal), de alguns nutrientes e certas vitaminas. Mede cerca de 1,5 m de comprimento.
9 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
10 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
11 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
12 Sacarina: Adoçante sem calorias e sem valor nutricional.
13 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
14 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
15 Epiderme: Camada superior ou externa das duas camadas principais da pele.
16 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
17 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
18 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Nutrologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.