Gostou do artigo? Compartilhe!

Você já teve algum problema urinário e não sabia o nome dele? Conheça aqui os principais distúrbios urinários

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Como funciona o sistema urinário1 normal?

Anatomicamente, o sistema urinário1 é composto pelos rins2, ureteres3, bexiga4 e uretra5. A urina6 é formada no interior dos néfrons7, nos rins2, daí flui para dentro dos ureteres3 e por meio deles chega à bexiga4, de onde ganha o exterior pela uretra5. Os dois rins2 filtram 1.000 a 1.500 ml de urina6 por dia, mas cada um deles é capaz de executar a função renal8 necessária à vida, se o outro é lesionado e se torna inoperante. A bexiga4, por sua vez, pode conter cerca de 300 a 500 ml de urina6. A excreção da urina6 regula a água presente no organismo, elimina os produtos de degradação e tóxicos, controla os eletrólitos9 e a pressão arterial10. Os rins2 funcionam como o principal órgão excretor, embora cerca de 400 a 500 ml de líquidos sejam perdidos através da pele11, dos pulmões12 e das fezes. O principal produto excretado pela urina6 é a ureia13 (25 a 30 gramas por dia), embora a creatinina14 e o ácido úrico também sejam normalmente excretados. A densidade específica da urina6 é de 1.015 a 1.025, quando a ingesta hídrica é normal.

O que são distúrbios urinários?

Chama-se distúrbio urinário a qualquer alteração do ato de produzir e/ou excretar a urina6, seja na quantidade, na frequência do ato de urinar, na densidade da urina6, na retenção ou incontinência15 dela, na presença de dor ou ardência ao urinar ou na presença de substâncias estranhas em qualidade ou quantidade, como células16, bactérias, sangue17, proteínas18, glicose19, ureia13, creatinina14, ácido úrico, etc.

Quais são os principais distúrbios urinários?

Os principais distúrbios urinários são:

  • Anúria20: é a ausência da produção de urina6, geralmente por uma parada de filtração renal8. Muitas vezes esta ausência não é completa, mas se a quantidade de urina6 é muito pequena a condição é chamada pelo mesmo nome. Diz-se que existe uma anúria20 verdadeira quando a drenagem21 de urina6 é inferior a 100 mililitros por dia. Este nível de excreção prolongado é incompatível com a vida.
  • Oligúria22: diminuição da produção de urina6, geralmente abaixo de 800 ml ao dia, podendo ser muito menos. Em nível pré-renal8 a oligúria22 se dá em resposta à má irrigação renal8, em situações como desidratação23, diarreia24, choque hipovolêmico25 ou grande hemorragia26. Em nível renal8 ela se deve, por exemplo, a uma deficiente irrigação renal8, medicações ou glomerulonefrite27, entre outras causas. A oligúria22 pós-renal8 é consequência de obstrução do fluxo urinário, que pode acontecer por hiperplasia28 prostática benigna, cálculos renais, tumores, etc.
  • Disúria29: etimologicamente disúria29 seria qualquer dificuldade para urinar, mas o termo é mais usado quando há uma sensação de dor, ardor30 ou desconforto ao urinar. Ocorre mais comumente em mulheres, na maioria das vezes causada por uma infecção31 urinária, embora possa acontecer também em homens e tem uma grande variedade de causas.
  • Poliúria32: refere-se a um excesso de urina6 (acima de 2,5 litros por dia), frequentemente acompanhada de aumento da frequência urinária. Pode ter causas endócrinas, como a diabetes33 ou o hiperparatireoidismo, por exemplo, ou dever-se a doenças renais ou outras.
  • Polaciúria ou polaquiúria: aumento do número de micções34 em relação ao normal, com diminuição do volume da urina6, a cada vez. Este é um sintoma35 característico da cistite36 ou de doenças da próstata37, mas também ocorre fisiologicamente na gravidez38.
  • Incontinência urinária39: a pessoa perde urina6 involuntariamente, de forma contínua ou intermitente40, espontânea ou por um esforço físico como rir, tossir, espirrar, etc. Em alguns casos a urgência41 em urinar é tão súbita e forte que não dá tempo de chegar ao banheiro. Ela pode dever-se a doenças que afetem o sistema urinário1, mas sua probabilidade aumenta com o envelhecimento e é pelo menos duas vezes mais comum em mulheres que em homens. Também a obesidade42, doenças neurológicas ou diabetes33 podem aumentar o risco de incontinência15.
  • Retenção urinária43: é o acúmulo de urina6 na bexiga4 resultante da incapacidade real de eliminá-la. Pode dever-se a um aumento exagerado da próstata37, devido à hiperplasia28 prostática benigna ou ao câncer44 da próstata37, a infecções45, medicações anestésicas, pedras na bexiga4, cistocele46, estreitamento uretral47, etc.
  • Infecções45 urinárias: é decorrente da presença de agentes infecciosos em alguma parte do sistema urinário1. As infecções45 urinárias principais do trato urinário48 inferior são as cistites, as prostatites e as uretrites e do trato urinário48 superior são a pielonefrite49, o abscesso50 renal8 e a nefrite51 intersticial52.
  • Presença de substâncias estranhas na urina6: presença na urina6 de substâncias habitualmente não encontradas nela ou encontradas em quantidades diferentes das detectadas, tais como sangue17, bactérias, proteínas18, glicose19, ureia13, creatinina14, ácido úrico, etc.

De forma geral, os distúrbios urinários podem ser causados por malformações53 anatômicas, hereditárias ou congênitas54, por infecções45 diversas, por tumores benignos ou malignos e por cálculos das vias urinárias. Além desses fatores, diretamente ligados ao sistema urinário1, os distúrbios urinários podem também ser consequência de alterações nas estruturas anatômicas vizinhas, que repercutam sobre ele. Assim, várias condições ou doenças sistêmicas podem repercutir sobre os rins2 ou no sistema urinário1 restante, ocasionando distúrbios urinários. Entre eles, por exemplo, a desidratação23, a hipertensão arterial55, a diabetes33 e algumas doenças autoimunes56.

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas em parte dos sites da The British Association of Urological Surgeons (BAUS), da European Association of Urology e da Urology Care Foundation da American Urological Association.

ABCMED, 2015. Você já teve algum problema urinário e não sabia o nome dele? Conheça aqui os principais distúrbios urinários. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/755067/voce-ja-teve-algum-problema-urinario-e-nao-sabia-o-nome-dele-conheca-aqui-os-principais-disturbios-urinarios.htm>. Acesso em: 5 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sistema urinário: O sistema urinário é constituído pelos rins, pelos ureteres e pela bexiga. Ele remove os resíduos do sangue, mantêm o equilíbrio de água e eletrólitos, armazena e transporta a urina.
2 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
3 Ureteres: Estruturas tubulares que transportam a urina dos rins até a bexiga.
4 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
5 Uretra: É um órgão túbulo-muscular que serve para eliminação da urina.
6 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
7 Néfrons: Unidades funcionais do rim formadas pelos glomérulos renais e seus respectivos túbulos.
8 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
9 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
10 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
11 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
12 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
13 Ureia: 1. Resíduo tóxico produzido pelo organismo, resulta da quebra de proteínas pelo fígado. É normalmente removida do organismo pelos rins e excretada na urina. 2. Substância azotada. Composto orgânico cristalino, incolor, de fórmula CO(NH2)2 (ou CH4N2O), com um ponto de fusão de 132,7 °C.
14 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
15 Incontinência: Perda do controle da bexiga ou do intestino, perda acidental de urina ou fezes.
16 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
17 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
18 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
19 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
20 Anúria: Clinicamente, a anúria é o débito urinário menor de 400 ml/24 horas.
21 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
22 Oligúria: Clinicamente, a oligúria é o débito urinário menor de 400 ml/24 horas ou menor de 30 ml/hora.
23 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
24 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
25 Choque hipovolêmico: Choque é um distúrbio caracterizado pelo insuficiente suprimento de sangue para os tecidos e células do corpo. O choque hipovolêmico tem como causa principal a perda de sangue, plasma ou líquidos extracelulares. É o tipo mais comum de choque e deve-se a uma redução absoluta e geralmente súbita do volume sanguíneo circulante em relação à capacidade do sistema vascular.
26 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
27 Glomerulonefrite: Inflamação do glomérulo renal, produzida por diferentes mecanismos imunológicos. Pode produzir uma lesão irreversível do funcionamento renal, causando insuficiência renal crônica.
28 Hiperplasia: Aumento do número de células de um tecido. Pode ser conseqüência de um estímulo hormonal fisiológico ou não, anomalias genéticas no tecido de origem, etc.
29 Disúria: Dificuldade para urinar. Pode produzir ardor, dor, micção intermitente, etc. Em geral corresponde a uma infecção urinária.
30 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
31 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
32 Poliúria: Diurese excessiva, pode ser um sinal de diabetes.
33 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
34 Micções: Emissão natural de urina por esvaziamento da bexiga.
35 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
36 Cistite: Inflamação ou infecção da bexiga. É uma das infecções mais freqüentes em mulheres, e manifesta-se por ardor ao urinar, urina escura ou com traços de sangue, aumento na freqüência miccional, etc.
37 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
38 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
39 Incontinência urinária: Perda do controle da bexiga que provoca a passagem involuntária de urina através da uretra. Existem diversas causas e tipos de incontinência e muitas opções terapêuticas. Estas vão desde simples exercícios de fisioterapia até complicadas cirurgias. As mulheres são mais freqüentemente acometidas por este problema.
40 Intermitente: Nos quais ou em que ocorrem interrupções; que cessa e recomeça por intervalos; intervalado, descontínuo. Em medicina, diz-se de episódios de febre alta que se alternam com intervalos de temperatura normal ou cujas pulsações têm intervalos desiguais entre si.
41 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
42 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
43 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
44 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
45 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
46 Cistocele: Hérnia da bexiga.
47 Uretral: Relativo ou pertencente à uretra.
48 Trato Urinário:
49 Pielonefrite: Infecção dos rins produzida em geral por bactérias. A forma de aquisição mais comum é por ascensão de bactérias através dos ureteres, como complicação de uma infecção prévia de bexiga. Seus sintomas são febre, dor lombar, calafrios, eliminação de urina turva ou com traços de sangue, etc. Deve ser tratada cuidadosamente com antibióticos pelo risco de lesão permanente dos rins, com perda de função renal.
50 Abscesso: Acumulação de pus em uma cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em consequência de inflamação seguida de infecção.
51 Nefrite: Termo que significa “inflamação do rim” e que agrupa doenças caracterizadas por lesões imunológicas ou infecciosas do tecido renal. Alguns exemplos são a nefrite intersticial por drogas, a glomerulonefrite pós-estreptocócica, etc. Podem manifestar-se por hipertensão arterial, hematúria e dor lombar.
52 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
53 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
54 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
55 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
56 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.