Gostou do artigo? Compartilhe!

Febre de Pontiac - parece com gripe, mas não é!

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é febre1 de Pontiac?

A febre1 de Pontiac é uma forma leve de legionelose, manifestando-se com sintomas2 de gripe3 (febre1, calafrios4, mal-estar, etc). Já a Doença dos Legionários é a forma grave desta inflamação5 pulmonar, geralmente causada por uma infecção6 pela bactéria7 Legionella pneumophila, originando uma pneumonia8 atípica.

Saiba mais sobre "Gripe3", "Febre1", "Resfriado comum" e "Doença dos Legionários".

Quais são as causas da febre1 de Pontiac?

A febre1 de Pontiac é causada por uma infeção pela bactéria7 Legionella pneumophila, contraída pela inalação de aerossóis de água contaminada, mais frequentemente a partir de chuveiros, banheiras de hidromassagem, spas e saunas. As bactérias são normalmente encontradas no solo molhado e na água.

Desconhece-se porque a infecção6 pela Legionella evolui, em cada caso particular, para Febre1 de Pontiac ou para Doença dos Legionários. Contudo, como a febre1 de Pontiac é normalmente observada em indivíduos imunocompetentes, o estado do sistema imunitário9 talvez desempenhe um papel importante.

Quais são as principais características clínicas da febre1 de Pontiac?

A doença de Pontiac apresenta sintomas2 de gripe3, como náuseas10, mialgia11, febre1, tosse e dor de cabeça12, mas sem pneumonia8. Em alguns casos, pode haver dor torácica, dispneia13, diarreia14, vômitos15, eritema16 ocular com fotofobia17 e artralgia18.

Estes sintomas2 duram 2 a 7 dias e os doentes se recuperam sem tratamento. A Febre1 de Pontiac tem curto período de incubação19 que varia de 30 a 90 horas após a infeção e afeta principalmente adultos, mas também crianças.

Leia sobre "Náuseas10 e vômitos15", "Tosse", "Dor de cabeça12", "Diarreia14" e "Artralgia18".

Como o médico diagnostica a febre1 de Pontiac?

Devido à ligeireza e pouca especificidade dos sintomas2, o diagnóstico20 raramente é feito e quase sempre só é realizado retrospectivamente, através da detecção de altos títulos de anticorpos21 para Legionella em amostras de soro22. O diagnóstico20 também pode ser feito através da detecção do antígeno23 de Legionella pneumophila em amostras de urina24.

A gripe3 assemelha-se à febre1 de Pontiac e, portanto, deve ser excluída. Clinicamente a gripe3 se diferencia da Doença dos Legionários pois não apresenta o quadro de pneumonia8 próprio desta, tem período de incubação19 significativamente menor (24 a 72 horas versus 2 a 14 dias), isolamento impossível da bactéria7 e quase nenhuma letalidade (contra 5 a 30% na Doença dos Legionários).

Como o médico trata a febre1 de Pontiac?

Nenhum tratamento específico é necessário para a febre1 de Pontiac. Ela desaparece por si mesma.

Como evolui a febre1 de Pontiac?

Na maioria dos casos a Febre1 de Pontiac conduz à recuperação total do paciente dentro de 2 a 7 dias, semelhante à gripe3.

Veja também sobre "Pneumonia8 na infância", "Pneumonia8 em adultos" e "Gripe3 H1N1".

 

ABCMED, 2017. Febre de Pontiac - parece com gripe, mas não é!. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1298598/febre-de-pontiac-parece-com-gripe-mas-nao-e.htm>. Acesso em: 22 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
4 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
5 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
8 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
9 Sistema Imunitário: Mecanismo de defesa do corpo contra organismos ou substâncias estranhas e células nativas anormais. Inclui a resposta imune humoral e a resposta mediada por célula e consiste de um complexo de componentes celulares, moleculares e genéticos interrelacionados.
10 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
11 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
12 Cabeça:
13 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
14 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
15 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
16 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
17 Fotofobia: Dor ocular ou cefaléia produzida perante estímulos visuais. É um sintoma freqüente na meningite, hemorragia subaracnóidea, enxaqueca, etc.
18 Artralgia: Dor em uma articulação.
19 Incubação: 1. Ato ou processo de chocar ovos, natural ou artificialmente. 2. Processo de laboratório, por meio do qual se cultivam microrganismos com o fim de estudar ou facilitar o seu desenvolvimento. 3. Em infectologia, é o período que vai da penetração do agente infeccioso no organismo até o aparecimento dos primeiros sinais da doença.
20 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
21 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
22 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
23 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
24 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.