Gostou do artigo? Compartilhe!

Endoftalmite - uma urgência médica!

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é endoftalmite?

A endoftalmite é uma inflamação1 do interior do olho2, mais frequentemente aguda, causada por uma infecção3, mas que também pode se tornar crônica. A forma aguda, embora rara, é um dos mais temíveis diagnósticos oftalmológicos por seu potencial devastador, e se constitui sempre numa urgência4 urgentíssima, onde questão de horas pode fazer grande diferença na evolução do quadro clínico.

Há dois tipos de endoftalmite:

  1. Endoftalmite exógena, a forma mais comum, ocorre por meio de alguma abertura nos olhos5 durante uma cirurgia ou por perfuração traumática do olho2, que aumentam a probabilidade de infecção3.
  2. Endoftalmite endógena, que é o espalhamento para o olho2 de uma infecção3 originária de outro órgão.

Chama-se de panoftalmite à inflamação1 de todas as camadas do olho2, incluindo estruturas intraoculares.

Veja mais sobre "Glaucoma6", "Blefarite7", "Conjuntivite8" e "Uveíte9".

Quais são as causas da endoftalmite?

Várias bactérias e fungos foram isolados como causa da endoftalmite. Os casos agudos são mais frequentemente vistos dentro de 6 semanas após a cirurgia ou trauma no olho2. Os casos crônicos, que ocorrem fora dessa janela de 6 semanas, geralmente estão relacionados a uma cirurgia anterior e são comumente causados por infecções10 de progressão lenta.

Infecções10 sistêmicas também podem se espalhar para o olho2, causando endogenamente11 a endoftalmite. Outras causas possíveis da doença incluem trauma penetrante no olho2, reação alérgica12 e corpos estranhos intraoculares retidos.

As injeções intravítreas com finalidades terapêuticas também expõem os pacientes ao risco de endoftalmite, mas a taxa de incidência13 é inferior a 0,05%. A endoftalmite estéril, não infecciosa, pode resultar de várias outras causas como, por exemplo, de material retido após uma operação ou de agentes tóxicos.

Quais são as características clínicas da endoftalmite?

A endoftalmite costuma ser um problema muito sério. Os sintomas14 aparecem rapidamente após a infecção3 e o exame imediato por um oftalmologista15 é essencial para fazer um diagnóstico16 adequado e iniciar precocemente o tratamento. Ela causa inflamação1 do branco do olho2 e pode haver secreção branca ou amarelada na pálpebra ou dentro dela, e a córnea17 pode apresentar uma turvação branca. Também pode haver uma camada de células18 brancas presentes dentro da câmara anterior19 do olho2 entre a íris20 e a córnea17. Outros sintomas14 incluem dor e vermelhidão nos olhos5, pus21 nos olhos5, visão22 diminuída, fotofobia23 e pálpebras24 inchadas.

Como o médico diagnostica a endoftalmite?

O diagnóstico16 de endoftalmite deve partir da observação do aspecto físico do globo ocular25 e do histórico clínico do paciente, levantado pelo médico. Para determinar qual organismo está causando a infecção3, deve ser feita uma biópsia26 do fluido dentro do olho2, que então deve ser enviado ao laboratório para a determinação do agente causal e decisão sobre o melhor tratamento.

Como o médico trata a endoftalmite?

A endoftalmite aguda é sempre uma emergência27 e o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível. Em casos muito simples (raros), apenas colírios antibióticos são necessários. Casos leves podem requerer apenas injeção28 intraocular de antibióticos ou antifúngicos, no consultório. Em casos mais sérios, o paciente precisará se submeter a uma cirurgia de emergência27 para remover os resíduos infecciosos do olho2, além de injetar antibióticos ou antifúngicos diretamente dentro do olho2. Se houver um corpo estranho no interior do olho2 é necessário retirá-lo, mas isso deve ser feito pelo especialista e nunca pela própria pessoa, que pode piorar a situação.

Como evolui a endoftalmite?

A evolução da endoftalmite depende da natureza da sua causa, duração da infecção3 e tipo de organismo que a tenha causado. Alguns casos envolvendo infecções10 pós cirurgia de catarata29 apresentam bom desfecho. O tratamento de olhos5 com endoftalmite requerem acompanhamento frequente para que sejam obtidos os melhores resultados.

Quais são as complicações possíveis da endoftalmite?

Muitas vezes, a endoftalmite já é uma complicação de cirurgias intraoculares, principalmente da mais comum delas, a cirurgia de catarata29, mas a inflamação1 do olho2 pode resultar em sequelas30 visuais permanentes e inclusive cegueira.

Leia também sobre "Degeneração macular31", "Perda súbita da visão22" e "Hipertensão32 intraocular".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da U.S. National Library of Medicine e da American Society of Retina Specialists.

ABCMED, 2020. Endoftalmite - uma urgência médica!. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-dos-olhos/1380618/endoftalmite+uma+urgencia+medica.htm>. Acesso em: 21 out. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
2 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
3 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
5 Olhos:
6 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
7 Blefarite: Inflamação do bordo externo das pálpebras ou pestanas. Também conhecida como palpebrite, sapiranga, sapiroca ou tarsite.
8 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
9 Uveíte: Uveíte é uma inflamação intraocular que compromete total ou parcialmente a íris, o corpo ciliar e a coroide (o conjunto dos três forma a úvea), com envolvimento frequente do vítreo, retina e vasos sanguíneos.
10 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
11 Endogenamente: De crescimento endógeno, algo que cresceu internamente.
12 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
13 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Oftalmologista: Médico especializado em diagnosticar e tratar as doenças que acometem os olhos. Podem prescrever óculos de grau e lentes de contato.
16 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
17 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
18 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
19 Câmara Anterior: Espaço localizado no olho, preenchido com humor aquoso, limitado anteriormente pela córnea e uma pequena porção da esclera, e posteriormente por uma pequena porção do corpo ciliar, pela íris e pela parte do cristalino que se apresenta através da pupila.
20 Íris: Membrana arredondada, retrátil, diversamente pigmentada, com um orifício central, a pupila, que se situa na parte anterior do olho, por trás da córnea e à frente do cristalino. A íris é a estrutura que dá a cor ao olho. Ela controla a abertura da pupila, regulando a quantidade de luz que entra no olho.
21 Pus: Secreção amarelada, freqüentemente mal cheirosa, produzida como conseqüência de uma infecção bacteriana e formada por leucócitos em processo de degeneração, plasma, bactérias, proteínas, etc.
22 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
23 Fotofobia: Dor ocular ou cefaléia produzida perante estímulos visuais. É um sintoma freqüente na meningite, hemorragia subaracnóidea, enxaqueca, etc.
24 Pálpebras:
25 Globo ocular: O globo ocular recebe este nome por ter a forma de um globo, que por sua vez fica acondicionado dentro de uma cavidade óssea e protegido pelas pálpebras. Ele possui em seu exterior seis músculos, que são responsáveis pelos movimentos oculares, e por três camadas concêntricas aderidas entre si com a função de visão, nutrição e proteção. A camada externa (protetora) é constituída pela córnea e a esclera. A camada média (vascular) é formada pela íris, a coroide e o corpo ciliar. A camada interna (nervosa) é constituída pela retina.
26 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
27 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
28 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
29 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
30 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
31 Degeneração macular: A degeneração macular destrói gradualmente a visão central, afetando a mácula, parte do olho que permite enxergar detalhes finos necessários para realizar tarefas diárias tais como ler e dirigir. Existem duas formas - úmida e seca. Na forma úmida, há crescimento anormal de vasos sanguíneos no fundo do olho, podendo extravasar fluidos que prejudicam a visão central. Na forma seca, que é a mais comum e menos grave, há acúmulo de resíduos do metabolismo celular da retina, aliado a graus variáveis de atrofia do tecido retiniano, causando uma perda visual central, de progressão lenta, podendo dificultar a realização de algumas atividades como ler e escrever ou a identificação de traços de fisionomia.
32 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Oftalmologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.