Gostou do artigo? Compartilhe!

O banho do bebê

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Quando dar o primeiro banho do bebê? 

Antigamente era norma nos hospitais-maternidade dar o primeiro banho nos recém-nascidos logo após o parto. Não é mais assim. Pesquisas indicam que pode haver benefícios físicos e emocionais significativos em retardar o banho inicial do recém-nascido. A Organização Mundial de Saúde1 recomenda esperar 24 horas após o nascimento.

Isso pode reduzir significativamente o risco de que o bebê apresente hipotermia2 (perda de calor) e hipoglicemia3 (queda de glicose4). É importante manter por esse tempo o vérnix caseoso5, camada serosa e gordurosa que recobre o corpinho do recém-nascido, não o deixa perder calor e o protege contra infecções6. Se ele perde calor, não mama7, e assim o corpo tem que trabalhar mais para manter sua temperatura. Além disso, se não mama7 e tem de trabalhar mais, corre o risco de sofrer hipoglicemia3, além de não ganhar o peso esperado.

Antes do primeiro banho, o bebê pode ser “limpo” com compressas de água morna, sem esfregar sua pele8 delicada. 

De qualquer forma, o primeiro banho costuma ser dado ainda na maternidade. Depois de levar o bebê para casa, os horários de tomar banho devem ser definidos pelos pais. Em geral, algumas famílias estão empolgadas em dar seu primeiro banho no bebê, mas existem outras que preferem esperar alguns dias. 

Saiba mais sobre "Parto vaginal", "Hipotermia2", "Hipoglicemia3 neonatal" e "Cuidados com o recém-nascido".

Quando dar outros banhos? 

Desde que não tenham babado, regurgitado ou se sujado com fezes, os recém-nascidos não ficam sujos. Para um bebê recém-nascido, tomar banho duas ou três vezes por semana é suficiente, desde que a área da fralda seja mantida bem limpa e que tenhas suas mãos9 e rosto lavado algumas vezes ao dia.

Mas, se a preferência for pelo banho diário, não haverá inconvenientes. Para bebês10 mais velhos, o banho deve ser dado todos os dias. É comum que o banho se torne uma rotina diária antes de mamar para dormir. Isso ajudará o bebê a relaxar e descansar por mais tempo durante a noite. 

O que você precisa preparar para o banho do bebê? 

Procure pensar em tudo que você vai precisar usar durante o banho e reúna tudo de antemão, ao lado da banheirinha, para que você não tenha de ficar procurando durante o banho. Não se esqueça de providenciar pelo menos uma toalha com capuz, uma toalha fralda para ser colocada sobre esta toalha com capuz, um paninho macio ou uma esponja, sabonete líquido para corpo e cabelo11 e que seja específico para uso em bebês10, uma escova ou pente para cabelos de bebês10, além de outras coisas que se refiram ao seu caso específico (fralda, roupinha, etc.). Pode ser útil um termômetro que ajude a verificar a temperatura ideal da água do banho. 

Quais partes do corpo precisam ser banhadas com mais cuidado? 

Os primeiros banhos do bebê não devem ser longos, mas precisam limpar direitinho. Ao lavá-lo, preste especial atenção nas áreas genitais, entre os dedos das mãos9 e pés, nas dobras da parte de trás dos joelhos, do pescoço12, das coxas e do rosto, nas axilas e atrás das orelhas13.

Como o banho deve ser realizado? 

Basta que a água na banheirinha tenha cerca de 10 a 12 centímetros de altura para o banho de seu bebê. Até por uma questão de segurança, você não deve enchê-la mais do que isto. A água deve estar morna, mas não quente. Coloque um pano morno sobre a barriga do bebê para mantê-lo aquecido. Tenha firmeza e delicadeza ao segurá-lo para que ele não sofra solavancos ou quedas. Ao lavá-lo, sustente a cabeça14 e as costas15 dele, ainda instáveis. Preste atenção para não entrar água nos ouvidos.

O coto do cordão umbilical16 do seu bebê deve ser mantido limpo e seco; ele pode ser lavado, mas deve ser mantido bem seco após o banho. É recomendado que seja aplicado álcool a 70% ou outro produto aconselhado pelo pediatra após a limpeza e secagem do coto.

Lave o seu bebê com cuidado e delicadeza, sem esfregar. Não exagere na quantidade de sabonetes ou xampus, use apenas o mínimo necessário de produtos químicos. 

Se o seu bebê já tem a cabeça14 cheia de cabelos, lave-os com um xampu para bebê, massageando-os suavemente e deixando o xampu permanecer por um curto período de tempo, antes de enxaguá-lo. O cabelo11 deve ser lavado por último para não sujar a água do banho e para evitar quedas de temperatura.

Para secar, dê tapinhas leves com a mão17 envolvida por uma toalha macia e passe para o próximo membro. Cuidado para secar bem as dobrinhas do corpo do bebê. 

O bebê chora durante o banho? 

Geralmente o bebê chora durante seus primeiros banhos, reagindo a uma sensação estranha, mas ele logo se acostumará e não mais irá chorar na hora do banho. Alguns bebês10 parecem gostar desse momento. Procure segurá-lo de maneira a transmitir segurança, isso muitas vezes evita o choro.

Uma opção para tornar o banho mais prazeroso é dar "banho de balde" no bebê, mergulhando todo o corpinho em um balde com água morna até a altura dos braços mais ou menos. 

E depois do banho? 

Uma boa mamada e um bom sono... 

Leia também sobre "Coto umbilical", "Sangue18 nas fezes do bebê", "Morte súbita do lactente19" e "Amamentação20".

 

ABCMED, 2018. O banho do bebê. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-crianca/1321993/o+banho+do+bebe.htm>. Acesso em: 19 ago. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Hipotermia: Diminuição da temperatura corporal abaixo de 35ºC.Pode ser produzida por choque, infecção grave ou em estados de congelamento.
3 Hipoglicemia: Condição que ocorre quando há uma queda excessiva nos níveis de glicose, freqüentemente abaixo de 70 mg/dL, com aparecimento rápido de sintomas. Os sinais de hipoglicemia são: fome, fadiga, tremores, tontura, taquicardia, sudorese, palidez, pele fria e úmida, visão turva e confusão mental. Se não for tratada, pode levar ao coma. É tratada com o consumo de alimentos ricos em carboidratos como pastilhas ou sucos com glicose. Pode também ser tratada com uma injeção de glucagon caso a pessoa esteja inconsciente ou incapaz de engolir. Também chamada de reação à insulina.
4 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
5 Vérnix caseoso: Substância branca e oleosa que protege a pele do bebê a partir da vigésima semana de gestação contra microrganismos contidos no líquido amniótico e impede que a pele sensível do bebê fique “extremamente enrugada” devido à constante exposição ao líquido amniótico. Nas primeiras horas após o nascimento, ele mantém a função de proteger o bebê por possuir ação antibacteriana, além de auxiliar na termorregulação, ou seja, ajuda a regular a temperatura do corpo do recém-nascido.
6 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
8 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
9 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
10 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
11 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
12 Pescoço:
13 Orelhas: Sistema auditivo e de equilíbrio do corpo. Consiste em três partes
14 Cabeça:
15 Costas:
16 Cordão Umbilical: Estrutura flexível semelhante a corda, que conecta um FETO em desenvolvimento à PLACENTA, em mamíferos. O cordão contém vasos sanguíneos que transportam oxigênio e nutrientes da mãe ao feto e resíduos para longe do feto.
17 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
18 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
19 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
20 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.