Gostou do artigo? Compartilhe!

Cuidados com o recém-nascido

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são os cuidados domiciliares com os recém-nascidos?

Logo após o parto em uma maternidade, a mulher retorna à sua casa, geralmente levando consigo o seu bebê e necessita ter com ele uma série de cuidados especiais. Se a mulher estiver sendo mãe pela primeira vez, ela não tem conhecimentos nem prática para lidar com o bebê. A maioria delas está estressada pelas novas responsabilidades e nos primeiros dias ainda fragilizada pelo trabalho do parto e, às vezes, pela cirurgia cesariana por que passou. Além de cuidar do bebê, a mulher precisa cuidar de si. Isso tudo impõe sobre ela tarefas que estão muitas vezes além das suas possibilidades de suportar e ela precisa da ajuda de outra pessoa. Frequentemente ela encontra essa pessoa entre membros da própria família. Assim, os primeiros cuidados domiciliares com o recém-nascido costumam ser compartilhados pela mãe e por outra pessoa.

Quais devem ser os principais cuidados domiciliares com os recém-nascidos?

Geralmente os cuidados com o bebê começam antes do nascimento, com a preparação para recebê-lo e continuam de forma mais intensa e peremptória depois do nascimento. Os cuidados mais especiais com o recém-nascido devem ser:

O quarto do bebê: o quarto do bebê deve ser preparado de modo a oferecer-lhe um ambiente saudável e confortável. Ele deve receber o sol da manhã e não ter muita corrente de ar, embora deva ser bem arejado, sem umidade ou mofo. As paredes e o piso deverão ter, de preferência, tons claros, mais aconchegantes para o bebê. Ele deve estar sempre despoluído, limpo, tranquilo e proporcionar praticidade para a mãe. O berço ideal é o que possui altura regulável, que pode ir sendo aprofundado à medida que o bebê cresce. Suas laterais devem ser protegidas, de modo a diminuir o impacto do choque1 do bebê contra elas, em suas movimentações. A grade de proteção lateral do berço precisa ter uma distância que não deixe passar a cabeça2 de um bebê, para que ele não corra o risco de agarrar-se nela. Não se deve esquecer que o bebê crescerá e se tornará uma criança. Portanto, telas devem ser colocadas nas janelas e sacadas e os móveis devem ter quinas arredondadas.

O sono do bebê: um recém-nascido saudável dorme mais de vinte horas por dia, às vezes sendo preciso acordá-lo para a amamentação3. Mas isso não é uma regra, alguns dormem mais e outros muito menos. Mude sua posição no berço a intervalos regulares, mude seus pontos de apoio sobre o berço para eliminar a fadiga4 muscular acarretada pela permanência numa mesma posição. Alise bem os lençois do berço, para que eventuais dobras não o machuquem. Troque suas fraldas com a frequência necessária, procurando não deixá-lo molhado ou sujo. Nem a claridade, nem os ruídos comuns perturbam o sono do bebê. Se ele dorme em quarto separado dos pais as portas devem ser mantidas entreabertas e uma babá eletrônica deve permanecer ligada, se possível.

O banho do bebê: é comum que a mãe, sobretudo quando se trata do primeiro filho, se sinta insegura para dar banho no bebê. Por isso, com frequência, os primeiros banhos são dados por outras pessoas que não ela. No entanto, chegará o momento em que ela tem de assumir esta tarefa e pode, então, valer-se de algumas dicas: deixe o bebê despido sobre o berço por algum tempo; depois, passe o braço esquerdo sob as costinhas do bebê e segure-o pela axila esquerda; espalme a mão5 direita sob suas nádegas6 e coxas7 e erga-o do berço; volte o bebê sobre si, lentamente, mas com firmeza, apoiando-o com a mão5 direita, até que sua mão5 esquerda enlace a sua axila direita. Antes de despir o bebê, certifique-se de que ele está com as unhas8 aparadas, porque do contrário elas podem ferir sua pele9, ainda tenra. A mãe deve retirar suas joias ou quaisquer outros ornamentos que esteja usando e que possa ferir o bebê. Sempre que possível o banho deve ser dado no período do dia em que o clima seja mais favorável. Nos dias muito frios o ambiente pode ser previamente aquecido. O recipiente do banho deve estar rigorosamente limpo e ser de uso exclusivo do bebê. A temperatura da água pode ser testada com o cotovelo ou parte interna do antebraço10 ou medida com um termômetro. O sabonete deve ser neutro e nunca deve ser esfregado contra a pele9 do bebê, mas a mãe deve ensaboar a mão5 e aplicá-la levemente sobre o corpinho do bebê. O local para troca do bebê é aquele onde estará tudo que será usado para a sua higiene posterior (cotonetes, toalha macia, fraldas, álcool, gazes para colocar no coto umbilical e roupas limpas) e deve ficar próximo, evitando-se transitar com o bebê. Vista o bebê sempre com roupas confortáveis e adequadas às condições climáticas.

O coto umbilical: coto umbilical é o pequeno fragmento11 do cordão umbilical12 que é deixado quando ele é cortado após o nascimento. Gradualmente, o coto umbilical vai se ressecando e cai espontaneamente por volta do final da primeira semana de vida. Esse coto deve ser mantido sempre bem limpo e seco e nenhuma medicação ou substância precisa ser-lhe aplicada, a não ser o álcool a 70%, aplicado à sua base, com um cotonete. Antigamente usava-se protegê-lo com o uso de faixas, mas atualmente essa prática é desaconselhada, porque as tão temidas hérnias13 umbilicais não representam o perigo que se supunha.

Amamentando o bebê: a amamentação3 deve ser feita sob livre demanda no início da vida. Depois de certo tempo, o próprio bebê e a mãe vão se acertando nos horários das mamadas e elas passam a ser mais regulares. Não deixe que o bebê se torne irritado e chore de fome por muito tempo. Antes de amamentar a mãe deve fazer a higienização dos seus mamilos14. Depois, de preferência assentada numa poltrona confortável a mãe deve posicionar o bebê recostado sobre um dos seus braços dobrado em frente ao peito15. Ele automaticamente voltará sua cabeça2 em direção ao bico do seio16 e, se este tocar sua face17, sua boca18 se abre para abrigá-lo. A mãe deve certificar-se de que os lábios do bebê estejam bem ajustados ao seio16, evitando assim penetração de ar. Ele então sugará com tanto mais força quanto maior for a sua fome. A própria criança indicará o momento em que termina de sugar, recusando-se a continuar. Cada seio16 deve ser ofertado ao bebê em proporções mais ou menos equivalentes, mas deve-se esvaziar um seio16 todo e só depois oferecer o outro. Na próxima mamada, o seio16 oferecido por último na mamada anterior, deve ser oferecido primeiro ao bebê. Amamentar exige paciência e tempo e exige que a mãe esteja relaxada e disponível porque é comum que o bebê durma em meio a esse procedimento e não porque o tenha completado. Não se deve esquecer de fazê-lo arrotar depois de cada mamada, porque por mais que a mãe tenha cuidado o bebê engolirá alguma quantidade de ar.

Algumas informações úteis sobre o bebê

Por ocasião do nascimento, a pele9 do bebê é avermelhada e coberta por uma camada de gordura19, cuja função até então era de conservar sua temperatura e aumentar a resistência às infecções20 e que logo será removida. As manchas róseas que podem aparecer na testa, pálpebras21, nariz22 e nuca são dilatações transitórias dos vasos cutâneos que desaparecem geralmente até o 15º mês de vida. Não é raro que o bebê apresente transitoriamente manchas avermelhadas nos olhos23 e inchaço24 nas pálpebras21, que não necessitam cuidados especiais. Logo nos primeiros dias de vida do bebê, uma icterícia25 fisiológica26 e transitória se manifesta como um amarelado na pele9 do bebê. As mamas27 do bebê podem, transitoriamente também, estar entumecidas e é comum que saia delas, independente do sexo da criança, um pouco de leite, semelhante ao colostro28 materno. As mamas27 do bebê não devem ser comprimidas, caso em que é mais possível instalar uma infecção29 no local.

Nas meninas pode ocorrer um pequeno sangramento vaginal, o que decorre da passagem de hormônios maternos para o bebê, antes do nascimento, e que desaparece espontaneamente em 10 a 14 dias. A cabeça2 do recém-nascido pode apresentar-se deformada por hematomas30, edemas31 e alterações ósseas no crânio32, produzidas pelo ato do nascimento, principalmente no parto natural. Essas alterações cedem e retornam ao normal dentro de poucos dias. A "moleira" do recém-nascido é uma região na parte superior do crânio32 que ainda não foi solidificada e que só se completará por volta dos 18 meses de vida. As primeiras fezes do bebê são escuras e pegajosas, denominadas "mecônio33". A urina34, a princípio se apresenta avermelhada, mas vai se tornado cada vez mais clara com o decorrer do tempo. Os bebês35 já nascem com a capacidade de sugar e logo aprendem a coordenar a sucção com a deglutição36 e a respiração, de modo a não mais engasgar. A imaturidade dessa coordenação é a responsável pelos engasgos do bebê.

ABCMED, 2015. Cuidados com o recém-nascido. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-crianca/746602/cuidados+com+o+recem+nascido.htm>. Acesso em: 24 out. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
2 Cabeça:
3 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
4 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
5 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
6 Nádegas:
7 Coxas: É a região situada abaixo da virilha e acima do joelho, onde está localizado o maior osso do corpo humano, o fêmur.
8 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
9 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
10 Antebraço:
11 Fragmento: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
12 Cordão Umbilical: Estrutura flexível semelhante a corda, que conecta um FETO em desenvolvimento à PLACENTA, em mamíferos. O cordão contém vasos sanguíneos que transportam oxigênio e nutrientes da mãe ao feto e resíduos para longe do feto.
13 Hérnias: É uma massa circunscrita formada por um órgão (ou parte de um órgão) que sai por um orifício, natural ou acidental, da cavidade que o contém. Por extensão de sentido, excrescência, saliência.
14 Mamilos: Órgãos cônicos os quais usualmente fornecem passagem ao leite proveniente das glândulas mamárias.
15 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
16 Seio: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
17 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
18 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
19 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
20 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
21 Pálpebras:
22 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
23 Olhos:
24 Inchaço: Inchação, edema.
25 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
26 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
27 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
28 Colostro: Líquido amarelado e rico em anticorpos, secretado pelas glândulas mamárias alguns dias antes e depois do parto.
29 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
30 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
31 Edemas: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
32 Crânio: O ESQUELETO da CABEÇA; compreende também os OSSOS FACIAIS e os que recobrem o CÉREBRO. Sinônimos: Calvaria; Calota Craniana
33 Mecônio: Material mucilaginoso (espesso, de cor variando entre verde e preto) encontrado nos intestinos de fetos à termo. Constituído por secreções de glândulas intestinais, PIGMENTOS BILIARES, ÁCIDOS GRAXOS, LÍQUIDO AMNIÓTICO e fragmentos intra-uterinos. O mecônio constitui as primeiras evacuações feitas pelo recém-nascido.
34 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
35 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
36 Deglutição: Passagem dos alimentos desde a boca até o esôfago; ação ou efeito de deglutir; engolir. É um mecanismo em parte voluntário e em parte automático (reflexo) que envolve a musculatura faríngea e o esfíncter esofágico superior.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.