Gostou do artigo? Compartilhe!

Perversões sexuais

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são perversões sexuais?

Entre os muitos conceitos complexos com que a medicina (especialmente a psiquiatria) tem de lidar, o de perversão sexual ocupa um dos primeiros lugares, gerando equívocos e ambiguidades, seja pela abordagem médico-psiquiátrica, fazendo de algumas delas uma suposta estrutura clínica, seja pelo julgamento moral que as isenta de tal atribuição.

Aqui tratamos o problema sem nenhum aspecto de julgamento, apenas descrevendo e denominando de perversões sexuais os comportamentos diferentes do ato sexual tradicional entre um homem e uma mulher não aparentados que envolve a penetração vaginal pelo pênis1 masculino.

Deliberadamente evitamos o termo “normal”, porque essa consideração é muito mutável. As perversões sexuais foram primeiro sistematizadas por Richard von Krafft-Ebing em 1886.

Leia sobre "Hipersexualidade", "Parafilias" e "O sexo oral e o sexo anal".

Quais são as perversões sexuais?

De um ponto de vista apenas descritivo, as perversões sexuais são:

Incesto

Denomina-se incesto às relações sexuais entre os membros de uma mesma família ou entre parentes que tenham relações próximas de consanguinidade. O tabu do incesto, referendado por leis que proíbem o casamento entre membros da mesma família ou de consanguinidade próxima, é um dos mais difundidos em quase todas as culturas, mas a abrangência das proibições varia muito de uma cultura para outra. A justificativa pragmática para isto é evitar o endocruzamento, que poderia causar uma série de transtornos genéticos aos filhos de pais aparentados, devido à concentração de genes defeituosos. Em algumas sociedades antigas, como no Egito, por exemplo, onde não havia um sucessor legal ao trono, o incesto chegou a ser permitido e mesmo proclamado como forma de perpetuar a linhagem real.

Homossexualidade

Homossexualismo é a atração ou a realização de atividade sexual entre pessoas do mesmo sexo. Os homens homossexuais são chamados gays e as mulheres chamadas lésbicas. As reações sociais em relação ao comportamento homossexual foram e são muito variáveis. Em culturas e em tempos diferentes, o homossexualismo às vezes foi tolerado, aprovado ou punido.

Zoofilia

Também chamada zooerastia ou bestialismo, é a conjunção carnal entre um homem ou uma mulher e um animal. Apesar de a prática ser bastante comum em muitos países, em alguns deles já é considerada crime ambiental. Do ponto de vista cultural, podemos considerar o fato de que a zoofilia é uma prática relacionada principalmente a pessoas oriundas de zonas rurais, muitas vezes desabitadas, portanto, um ambiente bastante propício a fazer com que se satisfaçam sexualmente dessa forma, considerando a escassez de pessoas humanas. No entanto, parece que essa inclinação também existe em algumas pessoas mesmo quando há parceiros humanos disponíveis.

Pedofilia

Pedofilia é a atração sexual de indivíduos adultos por crianças. Os pedófilos são homens ou mulheres que têm preferência sexual por crianças do mesmo sexo ou de sexos diferentes. A maioria dos pedófilos são homens e aparentam ser pessoas comuns, sem que se perceba nada de anormal nas suas atitudes até serem pilhados nelas. Em geral, têm atividades sexuais também com adultos e um comportamento social que não levanta qualquer suspeita. Os pedófilos agem, quase sempre, de forma enganadora e sedutora para conquistar a confiança e amizade das crianças e estabelecer relações sexuais com elas.

Fetichismo

Segundo Sigmund Freud, o fetichismo é a situação em que “o objeto sexual normal é substituído por outro que conserva alguma relação com ele, mas é inteiramente inadequado para servir ao objetivo sexual normal”, podendo ser uma parte do corpo (pés, por exemplo) ou um objeto relacionado ao corpo (sapatos, por exemplo). O fetiche pode assumir integralmente o lugar do objeto sexual usual ou ser necessário à complementação da relação sexual tradicional, para que a pessoa obtenha satisfação sexual plena.

Sadomasoquismo

O sadomasoquismo é um tipo de relação que se baseia na busca do prazer sexual através da dor. Uma pessoa tem o papel de causá-la (sadismo) e a outra pessoa o papel de sofrê-la (masoquismo). As práticas para infringir e receber a dor variam grandemente, desde algumas leves e pouco ofensivas até outras que chegam às raias da mutilação. Em geral, essas práticas também envolvem alguma forma de humilhação verbal ou comportamental do polo masoquista da relação.

Transvestismos

O transvestismo envolve excitação sexual intensa e recorrente com o uso de roupas do sexo oposto, que pode se manifestar como fantasias, impulsos ou comportamentos. O termo se refere mais comumente a pessoas do sexo masculino, que são a maioria a apresentar esse comportamento, mas também existe em mulheres. O transvestido costuma manter seu hábito mesmo quando não há excitação sexual permanente.

Narcisismo

O narcisismo define o indivíduo que admira exageradamente a sua própria imagem e nutre uma paixão excessiva por si mesmo. Embora o termo não seja aplicado apenas à vida sexual, é nesse terreno que ele ganha a sua maior importância. O termo é derivado da lenda de Narciso, que segundo a mitologia grega era um belo jovem que despertou o amor da ninfa Eco, mas que morreu de inanição ao ser arrebatado pela própria imagem refletida nas superfícies de um lago.

Autoerotismo

O autoerotismo é o fenômeno de emoção sexual espontânea na ausência de qualquer estímulo externo direto ou indireto. O indivíduo obtém satisfação unicamente a partir do próprio corpo. Sua forma típica é o orgasmo durante o sono, mas também ao ato de ver e tocar os geniais com as próprias mãos2 a fim de obter prazer. Este ato geralmente é denominado masturbação3.

Coprofilia

A coprofilia é um interesse patológico por fezes de um modo geral e especialmente sua associação ao prazer sexual. A prática abrange a manipulação, fixação, fotografia ou transtornos obsessivos ligados às fezes e, em casos extremamente graves, a coprofagia (ingestão de fezes).

Necrofilia

A necrofilia é a excitação sexual decorrente da visão4 ou do contato com um cadáver. É um transtorno de sexualidade em que o agente busca prazer realizando o ato sexual com o morto. A motivação mais comum para a necrofilia é a posse de um parceiro que não oferece resistência nem rejeição. Trata-se de uma parafilia5 extremamente rara.

Exibicionismo

Exibicionismo é uma forma de perversão sexual que consiste em exibir a própria nudez, especialmente as partes sexuais, com a finalidade de obter excitação sexual ou um forte desejo de ser observado por outras pessoas durante a atividade sexual.

Voyeurismo

O voyeurismo é a prática que consiste num indivíduo conseguir obter prazer sexual através da observação de partes ou atos sexuais de outras pessoas. Os adeptos do voyeurismo são os chamados voyeurs (termo em francês para designar "aquele que vê").

Veja também sobre "Ninfomania", "Satiríase" e "Abuso sexual de crianças".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Mayo Clinic e da Cleveland Clinic.

ABCMED, 2022. Perversões sexuais. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/psicologia-e-psiquiatria/1425790/perversoes-sexuais.htm>. Acesso em: 6 dez. 2023.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Pênis: Órgão reprodutor externo masculino. É composto por uma massa de tecido erétil encerrada em três compartimentos cilíndricos fibrosos. Dois destes compartimentos, os corpos cavernosos, ficam lado a lado ao longo da parte superior do órgão. O terceiro compartimento (na parte inferior), o corpo esponjoso, abriga a uretra.
2 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
3 Masturbação: 1. Estimulação manual dos órgãos genitais que geralmente leva ao orgasmo. 2. No sentido figurado, inutilidade de tratar os mesmos temas (considerados infecundos), numa discussão ou pesquisa intelectual ou artística, de modo repetitivo, complacente e inconcludente.
4 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
5 Parafilia: Parafilia consiste em um interesse sexual intenso e persistente por qualquer coisa diferente da estimulação genital e carícias com parceiros humanos que consentem com o ato, ela é “normal” (fenotipicamente falando) e apresenta maturidade física e mental.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.