Gostou do artigo? Compartilhe!

Preenchimento glúteo - como aumentar o bumbum?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é preenchimento do bumbum?

O preenchimento do bumbum é um tipo de procedimento estético cada vez mais procurado pelas pessoas, principalmente mulheres ainda jovens, que consiste em técnicas para tornar os glúteos1 mais salientes e arredondados. Ter um bumbum bem arredondado e destacado corresponde ao ideal estético de muitas mulheres.

O preenchimento glúteo feito profissionalmente por um cirurgião plástico pode seguir uma dessas três técnicas:

  1. Lipoescultura
  2. Bioplastia
  3. Prótese2
Saiba mais sobre "Bioplastia" e "Lipoaspiração".

A lipoescultura consiste na aspiração de gordura3 de outras partes do corpo e sua reinserção na região dos glúteos1. A bioplastia consiste na injeção4 nos glúteos1 de um produto químico biocompatível, com consistência de gel, o polimetilmetacrilato (PMMA). A prótese2 é constituída por dispositivos (bolsas) preenchidos por silicone colocada por meio de uma cirurgia, com anestesia5 geral ou peridural6. Ela pode ser removida, se necessário ou se for o desejado. No preenchimento por lipoescultura, cerca de 40% da gordura3 injetada é reabsorvida, mas não causa reações ou rejeições, uma vez que se trata de produto originário do corpo da própria pessoa.

Embora isso possa ser feito de forma correta e por profissionais habilitados, pois são procedimentos normais da cirurgia plástica, a grande demanda do procedimento enseja o aparecimento de pessoas inescrupulosas e inabilitadas que se propõem a realizar clandestinamente e em locais inapropriados o tipo aparentemente mais fácil deles, a bioplastia. Complementarmente, encontram pessoas pouco esclarecidas, movidas por um desejo intenso, que se dispõem a se submeterem a essas práticas inseguras. O resultado, em grande número de casos, é a produção de resultados insatisfatórios, reações desagradáveis, sequelas7 definitivas e morte.

Por que fazer preenchimento do bumbum?

O envelhecimento, os danos causados pelo sol, a gravidez8, as flutuações significativas no peso e fatores genéticos podem relaxar a elasticidade9 do tecido10 das nádegas11, o que pode resultar em flacidez das mesmas. A elevação das nádegas11, por meio das diversas técnicas de preenchimento, melhora a forma e o tônus do tecido10 subjacente que suporta a pele12 e a gordura3 na região glútea13, de modo a obter um contorno mais suave e mais agradável. Além disso, o excesso de pele12 e gordura3 flácida é removido.

Apenas elevar os glúteos1 de modo tradicional não aumentará o bumbum, mas pode melhorar uma superfície irregular da pele12. Este procedimento pode ser associado ao preenchimento porque o levantamento das nádegas11 não se destina a adicionar volume a elas.

Veja sobre "Envelhecimento saudável" e "Síndrome14 da distorção da imagem corporal".

Os perigos da bioplastia com polimetilmetacrilato (PMMA)

Não há procedimento absolutamente seguro para o aumento das nádegas11. O aumento do bumbum parece ser um dos procedimentos mais incertos feitos pelos médicos hoje em dia. Quando feito com a própria gordura3, retirada de outras partes do corpo, esse aumento se reduz ou desaparece com o tempo, devido ao fato de que essa gordura3 sofre reabsorção. O uso de materiais sintéticos injetáveis para aumento das nádegas11 é frequente causa de complicações, com áreas endurecidas, granulomas15 e descoloração da pele12. Ademais, é improvável que a paciente obtenha o aumento e a modelagem desejados sem injetar muito material e em várias sessões de injeções, o que aumenta significativamente os riscos.

A bioplastia costuma ser anunciada e propagada por pessoas inescrupulosas como uma técnica simples, barata, sem cortes e com resultados imediatos. Tudo isso faz com que seja muito sedutora para pacientes16 inadvertidas e seja aplicada por pessoas inabilitadas. Trata-se “apenas” de injeções de PMMA.

Além do preenchimento do bumbum, o PMMA pode ser usado também em procedimentos estéticos menores, para corrigir rugas e restaurar pequenos volumes perdidos com o envelhecimento, mas nem a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica nem a Sociedade Brasileira de Dermatologia recomendam o uso do produto para fins estéticos, seja em pequena ou grande quantidade. O uso indiscriminado dessa substância pode ser desastroso e causar problemas muito mais sérios do que os que pretende corrigir.

O PMMA é constituído por microesferas e sua aplicação é definitiva e irreversível porque ele não é absorvível e, um vez injetado, se espalha nos tecidos. Além disso, há diversas qualidades do PMMA e muito frequentemente as aplicações clandestinas não utilizam os produtos de excelência.

Sequelas7 irreversíveis e mesmo a morte podem surgir horas, dias e até anos depois de injetado. Podem aparecer inflamações17 gravíssimas, necrose18 de tecidos e embolia19 pulmonar. Esta última, pode levar à morte e as outras acabam por determinar a retirada de parte da pele12, da gordura3 e até do músculo da região onde a substância foi aplicada, deixando deformidades incorrigíveis no corpo. Isso acontece porque o organismo não consegue absorver o PMMA. Uma vez aplicado, o produto não pode mais ser retirado. As pessoas têm de passar o resto da vida usando corticoides, anti-inflamatórios e antibióticos, pelo menos nas crises.

Só os médicos devidamente treinados e especializados podem aplicar o PMMA e monitorar essa aplicação, mas muitas clínicas e pessoas não habilitadas estão aplicando livremente o produto. As consequências podem ser vistas quando aparece na mídia o relato de mortes de pacientes que fizeram tais procedimentos de forma inapropriada.

Leia também sobre "Botox", "Ritidoplastia ou Lifting facial" e "Blefaroplastia20 ou plástica nas pálpebras21".

 

ABCMED, 2018. Preenchimento glúteo - como aumentar o bumbum?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1323043/preenchimento-gluteo-como-aumentar-o-bumbum.htm>. Acesso em: 17 ago. 2022.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Glúteos:
2 Prótese: Elemento artificial implantado para substituir a função de um órgão alterado. Existem próteses de quadril, de rótula, próteses dentárias, etc.
3 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
4 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
5 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
6 Peridural: Mesmo que epidural. Localizado entre a dura-máter e a vértebra (diz-se do espaço do canal raquidiano). Na anatomia geral e na anestesiologia, é o que se localiza ou que se faz em torno da dura-máter.
7 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
8 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
9 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
10 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
11 Nádegas:
12 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
13 Região Glútea:
14 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
15 Granulomas: Formação composta por tecido de granulação que se encontra em processos infecciosos e outras doenças. É, na maioria das vezes, reacional a algum tipo de agressão (corpo estranho, ferimentos, parasitas, etc.).
16 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
17 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
18 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
19 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
20 Blefaroplastia: Cirurgia plástica ou estética para corrigir as deformidades causadas pelo excesso de pele e de bolsas de gordura nas pálpebras superiores e/ou inferiores.
21 Pálpebras:
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cirurgia Plástica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.